Lavoura De Café: Qual A Importância Dos Fertilizantes Para A Produtividade?

Lavoura de café: qual a importância dos fertilizantes para a produtividade?

Além de estar ligado à cultura brasileira, o café é altamente relevante para a agricultura brasileira. Isso se reflete na posição de liderança que o país ocupa tanto no cenário da produção quanto no da exportação mundial de café. Todavia, os cuidados com a lavoura de café demandam uma atenção detalhada em cada fase de seu processo para garantir uma boa produtividade e de qualidade. Isso inclui o uso adequado de fertilizantes. Mas qual a importância dos fertilizantes para a produtividade da lavoura de café? 

Por que o café é importante para a agricultura do Brasil?

Estando presente na atividade agrícola do Brasil desde o século XVIII, o café faz parte do dia a dia de praticamente todos os brasileiros. Além disso, ele também ocupa posição privilegiada na agricultura do país.

Os números da produção de café no Brasil mostram a relevância dessa commodity agrícola: só em 2023, foram 55,1 milhões de sacas de café produzidas.

Em relação ao ano anterior, isso houve um crescimento de 8,2%, mantendo o país no topo do ranking mundial de produção de café. É o que apontam dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Já a em relação à exportação, o relatório de dezembro de 2023 do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) mostra que foram mais de 39 milhões de sacas exportadas para países como Alemanha, Japão, Itália e Bélgica.

O resultado disso foi a geração de uma receita significativa para o Brasil, de mais de 8 bilhões de dólares. Assim, o cultivo do café no Brasil é altamente benéfico para a agricultura e a economia brasileiras.

Mas, quais os principais tipos de café produzidos no Brasil? Quais são as características principais dessa cultura? No Brasil, os principais tipos de café produzidos são:

  • O arábica: Considerado de alta qualidade, o café arábica é cultivado em regiões de altitude elevada, como Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo. Ele possui um sabor suave e aroma mais delicado.
  • O robusta ou conilon: Conhecido por esses nomes, o café canefora é cultivado em regiões de clima quente, como o Espírito Santo e Rondônia. Ele tem um sabor mais forte e amargo em comparação com o arábica e é frequentemente usado em blends e cafés solúveis.

Vale lembrar que cada tipo de café tem diferentes cultivares, que possuem características variadas. Por exemplo, o arábica possui a variedade Catuaí, que é 100% brasileira, a Bourboun, a Mundo Novo, entre outras.

Uma das características mais marcantes da lavoura de café é que ela é perene. Isso significa que ela capaz de produzir por longos períodos de tempo ou até indefinidamente, de acordo com os cuidados tomados ao longo dos ciclos produtivos.

Mas, como funcionam as etapas da lavoura de café? Quanto tempo dura esse ciclo? Normalmente, o ciclo produtivo do café, desde o plantio de café até a colheita, geralmente leva cerca de 3 a 4 anos.

Vale notar que o período exato pode variar, a depender de alguns fatores, a exemplo da variedade da planta, as condições climáticas e o manejo agrícola.

Em relação às etapas, o ciclo completo do café, até que ele esteja pronto para ser comercializado inclui:

  • O plantio das sementes ou mudas;
  • O crescimento das plantas;
  • A floração ou florada do café;
  • A formação dos frutos, também conhecidas como cerejas de café;
  • A colheita;
  • O processamento;
  • A secagem;
  • E, por fim, o beneficiamento.

Fases Fenológicos Do Ciclo Do Café

Fases fenológicos do ciclo do café (Fonte: Camargo & Camargo, 2001)

Esse ciclo mais longo do café também traz uma característica importante, que é o fato de que, no segundo ano do ciclo, o cafeeiro ainda é muito pequeno e os frutos são retirados para não prejudicar o crescimento.

É só a partir do terceiro ano que o pé de café começa a crescer e a produzir os grãos próprios para comercialização. Assim, é importante que o agricultor tenha um bom planejamento na hora de começar a trabalhar na sua lavoura de café.

Mas, como o agricultor pode fazer para otimizar esse planejamento? 

Como fazer o planejamento da lavoura de café?

Na concepção de um planejamento eficiente para a lavoura de café, é preciso levar em conta diversos fatores, que são cruciais para o sucesso do cultivo. Entre eles, estão:

  • A escolha da variedade mais adequada ao microclima da região;
  • O preparo do solo;
  • A análise cuidadosa de índices pluviométricos;
  • A implementação de práticas de manejo integrado de pragas e doenças.

Estes elementos são fundamentais para o sucesso da produção e precisam ser meticulosamente ajustados ao longo do ciclo do café. Vamos analisar esses fatores um pouco mais de perto.

1 – A escolha da variedade adequada

Como já mencionado, existe uma multitude de variedades de café disponíveis no mercado. Cada uma delas tem características próprias, como maior ou menor resistência aos estresses hídricos, resistência a determinadas pragas e doenças, etc.

Portanto, é essencial que o agricultor conheça as condições climáticas da sua região, bem como da ocorrência de pragas e doenças, para escolher a que mais se adequa ao local da lavoura de café.

Nessa etapa, é importante contar com o apoio de um agrônomo ou profissional qualificado para orientar nessa escolha.

2 – O preparo do solo

O bom preparo do solo faz com que ele esteja nas melhores condições para que a lavoura de café se desenvolva. Ele envolve ações como a aragem, a gradagem e nivelamento. Além disso, também é importante se atentar para:

3 – A análise dos índices pluviométricos

Os índices pluviométricos, ou seja, os índices que mostram a quantidade de chuvas em uma determinada região, são muito importantes para o sucesso da lavoura de café. Isso porque as plantas precisam de níveis adequados de umidade para se desenvolver.

Além disso, dependendo do tipo de fertilizante utilizado, as chuvas também podem interferir na forma como o manejo da adubação é feita, mas trataremos disso mais adiante.

Por isso, é essencial que o agricultor tenha em mente essas estatísticas para planejar como ele conduzirá o seu manejo, seja para escolher a época do plantio de café, seja para escolher os fertilizantes, seja para implementar sistemas de irrigação em épocas de estiagem.

Nesse sentido, o uso de tecnologias, como as da agricultura 5.0, pode ser muito vantajoso, já que elas ajudam a determinar esses índices com mais precisão.

4 – O manejo integrado de pragas e doenças

As pragas e doenças são fatores de preocupação para os agricultores, já que elas podem prejudicar severamente a lavoura, levando a perdas e prejuízos financeiros.

Por isso, é essencial que o cafeicultor conheça quais são as principais pragas e doenças que afetam a lavoura de café na sua região e implemente medidas eficazes de controle para elas. Isso inclui o manejo integrado de pragas e doenças (MIP).

[sc name=”download-e-book-07“][/sc]

Esse tipo de controle, além da eficácia, contribui para um manejo mais sustentável, já que utiliza recursos de maneira mais assertiva e menos invasiva.

Nesse sentido, outras técnicas, como o uso de insumos biológicos também contribui para esse manejo mais sustentável e eficiente das pragas e doenças da lavoura de café.

Vale notar também que é importante estar atento para o manejo das plantas daninhas, que também conta com o manejo integrado de plantas daninhas (MIPD).

Outro cuidado importante com a lavoura de café é em relação à adubação. Mas, por que ela é importante? E, dentro desse contexto, qual a importância dos fertilizantes para a produtividade? Como o agricultor pode escolhê-los de forma eficaz?

Por que investir no uso de fertilizantes no plantio de café?

A adubação é uma etapa fundamental no plantio do café e na agricultura em geral. Isso porque é através dela que o agricultor consegue fazer com que os níveis de nutrientes do solo estejam adequados para que lavoura se desenvolva.

Nesse contexto, os fertilizantes são insumos essenciais para o sucesso da adubação da lavoura de café. A razão para isso é que eles são a principal ferramenta para o fornecimento dos nutrientes para o solo.

Mas, qual a importância dos nutrientes para a lavoura de café? Assim como os seres humanos, as plantas precisam de nutrientes para o seu crescimento. E existem diversos nutrientes que são necessários para elas.

Um dos mais importantes é o potássio. Aqui, vale destacar que ele é o segundo mais requerido pela cultura do café, tendo uma grande exigência na fase de reprodução da planta. Assim, ele contribui para a produtividade da lavoura de café.

E o potássio também é essencial para a qualidade desse cultivo. Vale notar que ele é considerado o nutriente da qualidade na agricultura, já que ele tem variadas funções, como o metabolismo e o transporte de carboidratos.

Outra função importante do potássio é a regulação de processos osmóticos, o que influencia a abertura e o fechamento dos estômatos. Mas, o que são essas estruturas?

Os estômatos têm um papel ativo na respiração celular das plantas, além de contribuírem para que elas tenham mais capacidade de lidar com situações de estresse hídrico. E eles também favorecerem o processo de fotossíntese.

Outros nutrientes de grande relevância para o crescimento e desenvolvimento do cafeeiro são o nitrogênio, o fósforo, o boro, o manganês, o magnésio.

Tendo isso em mente, fica claro a importância do investimento em fertilizantes para o sucesso da lavoura de café. Mas, além disso, é necessário que esses fertilizantes sejam eficientes e tragam mais vantagens para o manejo.

É o caso, por exemplo dos fertilizantes que a Verde Agritech produz, como o K Forte®. Mas, por que utilizar os fertilizantes da Verde na lavoura de café?

A Verde Agritech produz fertilizantes que são multinutrientes, uma característica que é muito vantajosa para o manejo nutricional. Isso porque, com um único fertilizante o agricultor consegue fornecer o potássio e outros nutrientes essenciais para as plantas

Além disso, o K Forte® e os outros fertilizantes da Verde Agritech são fonte de silício, um elemento visto como benéfico para as plantas.

Isso em razão das vantagens que ele traz, a exemplo da indução da resistência a pragas e doenças e a estresses como as secas. Dessa maneira, o manejo nutricional fica mais completo.

Os fertilizantes da Verde Agritech contam ainda com outra vantagem que é favorece a adubação de maneira geral, mas que é altamente relevante para a lavoura do café: o fato de que eles são livres de cloro.

O cloro é um micronutriente, ou seja, as plantas precisam dele. Mas as quantidades requeridas são muito pequenas. Assim, quando são utilizados fertilizantes com excesso de cloro, há prejuízos para o solo e para as plantas.

Na lavoura de café, estudos mostram que esse excesso de cloro tem impacto negativo na polifenoloxidase, enzima que é importante para a qualidade da bebida do café.

Dessa maneira, optar pelos fertilizantes da Verde Agritech ajuda a favorecer melhorias nesse parâmetro tão importante para a comercialização do café.

Outra importante vantagem do K Forte® e dos outros fertilizantes da Verde Agritech são as tecnologias exclusivas e inovadoras com as quais eles contam.

Fruto de vários anos de estudos em colaboração de instituições de pesquisa renomadas e consolidadas, elas trazem benefícios para o manejo. E a Bio Revolution é uma dessas tecnologias.

Graças à Bio Revolution, os fertilizantes podem ser aditivados com microrganismos benéficos. E o primeiro a ser utilizado com essa tecnologia é o consagrado Bacillus aryabhattai.

Entre os diversos benefícios que essa rizobactéria traz para o manejo, estão a indução da resistência a estresses bióticos e abióticos, a disponibilização de nutrientes e a promoção do crescimento das plantas.

O Bacillus aryabhattai traz diversos benefícios para o manejo agrícola

Outra vantagem que as tecnologias exclusivas da Verde Agritech proporcional para o K Forte® e os outros fertilizantes da empresa é a disponibilização gradual dos nutrientes para as plantas.

Isso ajuda, por exemplo, a evitar a lixiviação de nutrientes, que acontece em condições de excesso de umidade no agroecossistema, seja ela proveniente de chuvas ou de uma irrigação inadequada.

Como visto anteriormente, a atenção às chuvas é um ponto importante no planejamento do manejo da lavoura de café e os fertilizantes da Verde Agritech minimizam essa preocupação com a lixiviação causada pelo excesso delas.

Além disso, a disponibilização gradual traz efeito residual duradouro, que ajuda na construção e na manutenção da fertilidade do solo. Vale notar que, em se tratando de uma cultura perene como o café, isso é muito importante.

Assim, o agricultor consegue otimizar o manejo e valorizar o seu investimento. E cabe destacar que essas são apenas algumas das tecnologias com as quais os fertilizantes da Verde Agritech contam.

Dessa maneira, eles favorecem o manejo e o sucesso da lavoura de café, sendo uma boa opção para o agricultor que quer obter bons resultados.

O uso de fertilizantes eficazes e de qualidade pode fazer a diferença no sucesso da lavoura de café

Em resumo, o café é um cultivo que tem grande importância para a agricultura brasileira, além de fazer parte da cultura do nosso país. Assim, é importante que o cafeicultor esteja atento a alguns cuidados com a lavoura de café.

Entre eles, está o conhecimento de pontos como o ciclo do café, as etapas do plantio e também de práticas de manejo que ajudem a lavoura de café a se desenvolver de maneira mais produtiva e com mais qualidade.

Nesse sentido, o uso de fertilizantes que tenham qualidade e vantagens, como o K Forte® e outros produzidos pela Verde Agritech, pode fazer a diferença no sucesso da lavoura de café!

Compartilhe esta publicação