Novas Espécies De Cochonilha Ameaçam A Lavoura De Café: Descubra Métodos De Prevenção E Controle

Novas espécies de cochonilha ameaçam a lavoura de café: descubra métodos de prevenção e controle

A cochonilha é uma praga agrícola que pode trazer prejuízos para a lavoura de café em termos de produtividade e qualidade. E duas novas espécies de cochonilha vêm afetando as lavouras de café conilon nas principais regiões produtoras dessa cultura no Brasil. Saiba mais sobre isso e descubra maneiras de prevenção e controle da cochonilha no café! 

Incidência de duas novas espécies de cochonilha ameaçam produção de café conilon

A população de duas novas espécies de cochonilha, uma praga agrícola que atingir e prejudicar a lavoura de café, têm crescido no Espírito Santo e no Sul da Bahia.

É o que informa o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Vale notar que essa região é um dos principais polos de plantio de café conilon, que é uma das variedades mais cultivadas no país.

A longo prazo isso pode afetar a produtividade do café brasileiro, que é uma das commodities agrícolas mais relevantes do Brasil. Vale lembrar que, só no ano de 2023, o país produziu 55,1 milhões de sacas.

Isso significou um crescimento de 8,2% em relação ao ano anterior, e o país manteve seu posto de maior produtor de café do mundo. É o que mostram os números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O Incaper chama a atenção, no entanto, para o fato de que essas espécies de cochonilha não são uma praga exatamente nova, mas sim espécies que antes tinham populações em níveis que não eram suficientes para causar danos econômicos.

Em entrevista ao portal Notícias Agrícolas, entomologista e pesquisador do Incaper, Renan Batista Queiroz explica que as variações climáticas recentes como altas temperaturas e níveis baixos de chuva podem ter favorecido o crescimento dessa “nova praga”.

O pesquisador aponta ainda que o principal diferencial delas em relação às espécies mais comuns de cochonilha que afetam o café é que elas podem infestar todas as partes aérea da planta, como os ramos, as folhas e os frutos.

Mas quais os danos que a presença da cochonilha no café pode causar? Para entender isso, é preciso entender como essa praga age no cafeeiro.

De maneira geral, a cochonilha suga a seiva das folhas das plantas de café. O resultado disso é o enfraquecimento da planta. Além disso, a cochonilha também costuma secretar uma substância açucarada ao se alimentar.

Por sua vez, isso favorece a formação de fungos, além de atrair outros insetos, podendo facilitar a proliferação de outras pragas no cafezal.

Em relação aos danos causados que a cochinilha café pode causar na lavoura de café, eles podem ser significativos. Um dos principais é que as folhas começam a apresentar uma coloração amareladas ou avermelhada.

A depender da intensidade da infestação, elas podem inclusive começar a cair, prejudicando os processos de fotossíntese da planta. Além disso, como já notado, fungos prejudiciais também podem afetar as folhas.

Assim, a produção de café é drasticamente reduzida, causando prejuízos financeiros ao cafeicultor. Diante desse risco, como o agricultor pode fazer para se prevenir não só das “novas espécies”, mas também da cochonilha de modo geral?

Como prevenir e controlar a cochonilha no café?

Um dos maiores temores em relação a essas novas espécies de cochonilha cuja incidência vem crescendo nas lavouras de café é que os programas de prevenção e controle normalmente são voltados para outras espécies mais comuns dessa praga.

É o que explica Renan Batista Queiroz, que ressalta ainda que o Incaper está investigando para identificar corretamente quais são as novas espécies, que pertencem aos gêneros Pseudococcus e Ferrisia.

O pesquisador também alertou que é importante que o cafeicultor deve estar atento ao cafezal para identificar a presença das novas espécies de cochonilha o quanto antes, para evitar que a infestação atinja grandes níveis. Mas, como fazer isso?

Em primeiro lugar, é preciso verificar as partes aéreas da planta, que são locais onde a praga pode ser encontrada. Além disso, os insetos possuem coloração normalmente branca e são maiores que as espécies mais encontradas nos cafezais.

Outro sinal característico é que essa nova cochonilha possui uma espécie de par de antenas no final do abdômen, o que ajuda a facilitar a identificação da praga.

As Novas Espécies De Cochonilha Que Estão Ameaçando A Produtividade Do Café Conilon

As novas espécies de cochonilha que estão ameaçando a produtividade do café conilon (Fonte: Incaper)

Renan Batista Queiroz alerta que essa rápida identificação ajuda o agricultor a implementar as medidas de controle enquanto a população da praga ainda está em níveis menores. Mas, quais são essas medidas?

De maneira geral, a melhor medida para evitar o prejuízo causado pela cochonilha no café é a prevenção. Assim, o monitoramento constante, com o uso de tecnologias modernas como as da agricultura 5.0 é essencial.

Além disso, práticas que buscam cuidar da lavoura de maneira mais holística, como o manejo integrado de pragas (MIP) são saídas eficientes. Vale notar que o MIP também ajuda no controle mais efetivo quando a praga já está instalada na lavoura.

Outras alternativas quando a cochonilha já está presente no cafezal são a aplicação de inseticidas específicos e o controle biológico.

Vale destacar o controle biológico como uma solução que é menos invasiva e mais alinhada com os princípios do manejo integrado de pragas.

No controle biológico da cochonilha, são utilizados inimigos naturais da cochonilha, como é o caso vespa parasitoide Encarsia formosa e também a joaninha Cryptolaemus montrouzieri.

Além disso, outra ação importante e que pode fazer toda a diferença na prevenção e também no controle da cochonilha no café é a boa adubação. Mas, qual a razão disso?

O papel da adubação na prevenção e no controle da cochonilha no café

Assim como as pessoas, as plantas precisam de nutrientes, que elas absorvem principalmente através das raízes, que, normalmente, retiram esses importantes recursos do solo. Por isso, é importante manter os níveis nutricionais do solo adequados.

E, na atividade agrícola, a adubação é o principal meio de fazer isso é através da adubação, que tem nos fertilizantes a ferramenta mais proeminente nesse sentido. Mas, qual a relaçaõ disso com a prevenção e o controle da cochonilha?

Além de ajudarem crescimento e desenvolvimento vegetal, muitas vezes os nutrientes também exercem papéis na melhoria da resistência a diferentes tipos de estresses que podem atingir as plantas, incluindo os ataques de pragas e as doenças.

Por exemplo, o potássio é um nutriente que, além de ter funções essenciais para a produtividade e a qualidade do café, também ajuda a amenizar esses estresses, que são conhecidos como estresses bióticos.

Vale destacar também o papel do silício nesse sentido. Existe um debate sobre se esse elemento deve ser considerado como um nutriente essencial para as plantas. No entanto, ele visto pela comunidade científica como um elemento benéfico.

Isso em razão das diversas vantagens que o fornecimento adequado de silício na agricultora pode trazer paras as plantas. Entre elas, está justamente a indução da resistência contra pragas e doenças, além da promoção da resistência aos estresses hídricos.

Isso se dá pela ação desse elemento dois aspectos. Um é o físico, já que ele fortalece os tecidos vegetais, dificultando a penetração de agentes patógenos e a perda de água pelas plantas.

No caso da cochonilha, a praga pode ter mais dificuldade de danificar as partes das plantas e conseguir sugar a seiva vegetal.

O outro aspecto da ação do silício é o metabólico, já que ele age na fisiologia vegetal e estimula as defesas naturais das plantas. Assim, ter uma adubação rica em silício pode ser uma estratégia interessante na prevenção e controle da cochonilha.

Outro ponto importante que relaciona a adubação a uma prevenção e controle da cochonilha no café mais eficazes é em relação à salinidade do solo.

A razão para isso é que alguns tipos de fertilizante, como os que têm excesso de cloro, podem favorecer a elevação desse parâmetro do solo.  Isso, por sua vez, pode criar condições mais propícias para a proliferação dessa praga.

Tendo isso em mente, é essencial que, na adubação, os agricultores utilizem fertilizantes que sejam eficientes no fornecimento dos nutrientes e que não favoreçam a salinização do solo.

É o caso do K Forte® e dos outros fertilizantes que a Verde Agritech, empresa de tecnologia agrícola, produz.

Uma das características vantajosas do K Forte® e dos outros fertilizantes da Verde Agritech é que eles são multinutrientes, fornecendo o potássio e outros nutrientes para as plantas. Além disso, eles são fonte de silício.

Dessa maneira, o manejo é mais completo e eficaz com o uso de um único fertilizante. E, no contexto da cochonilha no café, as plantas têm suas defesas naturais favorecidas.

Vale notar ainda que K Forte® e os outros fertilizantes que a Verde Agritech produz contam com tecnologias exclusivas e inovadoras, que foram desenvolvidas ao longo de anos de estudos em conjunto com instituições renomadas.

Essas tecnologias ajudam, por exemplo, na disponibilização dos nutrientes de maneira gradual. Essa característica traz um efeito residual duradouro que contribui para a construção e a manutenção da fertilidade do solo. Assim, o manejo é otimizado e o investimento do agricultor é valorizado.

Outra tecnologia de destaque dos fertilizantes da Verde Agritech é a Bio Revolution, que permite que eles sejam aditivados com microrganismos benéficos.

Esses pequenos seres podem trazer diversas vantagens para o manejo. Uma delas é a indução da resistência a pragas e doenças.

Inclusive, o Bacillus aryabhattai, primeiro microrganismo utilizado com a Bio Revolution, traz esse benefício para o manejo, entre diversos outros.

O Bacillus aryabhattai é um microrganismo que traz muitas vantagens para o manejo

Vale destacar ainda que o K Forte® e os fertilizantes da Verde Agritech também não favorecem a salinidade do solo, o que é importante para que a cochonilha não se prolifere na lavoura.

Assim, ao utilizar os métodos de prevenção e controle da cochonilha recomendados, juntamente com uma adubação efetiva e com fertilizantes de qualidade, o agricultor pode minimizar os possíveis impactos dessa praga agrícola.

Estar atento e implementar medidas de prevenção e controle adequados, além de uma boa adubação, são ações importantes para evitar danos

Em síntese, a população de duas novas espécies de cochonilha tem crescido nas lavouras de café da principal região produtora da variedade conilon dessa cultura. Isso, por sua vez, acendeu o alerta para possíveis perdas em produtividade e qualidade.

Para evitar isso, é importante que os cafeicultores estejam atentos para identificar a praga o quanto antes, a fim de evitar que ela se prolifere a níveis elevados, o que dificulta o manejo e o controle.

Nesse sentido, é importante também aplicar os métodos de prevenção e controle recomendados para a cochonilha, como inseticidas e o manejo integrado de pragas.

Além disso, a adubação adequada, com fertilizantes que forneçam nutrientes como o potássio e elementos benéficos como o silício pode ser uma importante ferramenta aliada do cafeicultor nessa prevenção e controle da cochonilha.

Compartilhe esta publicação