Entenda Como Evitar Os Danos Da Cochonilha No Milho

Entenda como evitar os danos da cochonilha no milho

A agricultura é uma atividade que envolve diversos desafios e um deles é o controle de pragas. Dentro desse contexto, a cochonilha costuma ser considerada uma praga secundária da cultura do milho. No entanto, esse inseto sugador pode provocar danos às lavouras que podem impactar a produtividade e a qualidade do cultivo. Assim, é importante entender quais são os danos da cochonilha no milho e saber como evitá-los de maneira efetiva!

O que é a cochonilha e quais os danos que ela pode causar no milho?

As pragas agrícolas são um grande desafio para os agricultores, já que elas podem causar danos significativos nas lavouras e comprometer a sua qualidade e a sua rentabilidade.

E, dentro do cultivo do milho, existem algumas pragas que são consideradas secundárias ou ocasionais. Ou seja, elas têm uma incidência menor do que pragas mais comuns que afetam esse cultivo, como as cigarrinhas.

Todavia, é altamente relevante reconhecer a existência dessas pragas secundárias e dos seus efeitos, principalmente tendo em vista as recorrentes alterações de status das espécies-praga da cultura do milho.

É o que afirmam João Américo Wordell Filho e outros pesquisadores, no artigo Pragas e doenças do milho Diagnose, danos e estratégias de manejo.

E uma dessas pragas é a cochonilha, que afeta principalmente os estágios iniciais do cultivo. Mas, quais são os danos da cochonilha no milho? Primeiramente, é preciso entender que essa é uma praga que se alimenta da seiva da planta.

Por sua vez, isso acaba causando danos na sua estrutura e enfraquecendo-a. A ferrugem branca nas folhas, com pequenas protuberâncias brancas, é um dos sinais visíveis da infestação da cochonilha no milho.

Outros sinais incluem a presença de uma substância açucarada, chamada de melada, que pode atrair formigas, moscas e outros insetos. Além disso, as folhas atacadas tendem a amarelar e apresentar deformações.

Os danos causados pela cochonilha no milho podem ser significativos, incluindo a diminuição da produtividade e da qualidade do milho e o comprometimento da saúde da planta.

Além disso, a infestação da cochonilha também pode afetar a colheita, tornando-a mais difícil e cara. Por isso, é importante que o agricultor esteja atento para realizar a prevenção e o controle efetivos dessa praga agrícola. 

Práticas de prevenção e controle da cochonilha no milho

Para prevenir a infestação da cochonilha no milho, é fundamental adotar algumas medidas preventivas e de controle. Entre essas medidas, pode-se destacar:

Além disso, o controle biológico também pode ser uma opção, utilizando inimigos naturais da praga para eliminar a infestação. Vale notar que esse tipo de controle tem a vantagem de ter menos impactos sobre a saúde do agroecossistema no geral.

Outra forma de prevenir e controlar a cochonilha no milho é através do monitoramento e da identificação precoce dos sinais de infestação.

Nesse sentido, os agricultores devem realizar inspeções regulares na lavoura, observando as folhas e as espigas de milho, a fim de detectar precocemente a presença de cochonilhas. Além disso, é importante manter a lavoura limpa e livre de resíduos orgânicos, que podem servir como abrigo e alimento para a praga.

E também é importante que os agricultores estejam atentos à realização de um bom manejo nutricional. Mas, como a adubação pode ajudar na prevenção e no controle da cochonilha no milho? 

A importância da adubação na prevenção e controle da cochonilha no milho

Os nutrientes essenciais no crescimento e desenvolvimento vegetal podem também exercer papéis importantes na melhoria da resistência a diferentes tipos de estresses abióticos e bióticos que podem atingir as plantas, incluindo pragas como a cochonilha.

Entre esses nutrientes, está o potássio. Isso porque, entre as suas funções, ele ajuda a amenizar os estresses bióticos.

Além disso, o potássio também atua no transporte dos produtos da fotossíntese dentro da planta, ajudando a torná-la mais resistente ao ataque da cochonilha no milho enquanto os meios de controle agem.

o enxofre também pode ser um aliado importante no controle de pragas agrícolas. Isso porque estudos indicam que ele tem uma ação desalojante.

Isso significa que ele estimula uma maior movimentação das pragas na lavoura e gerar um contato mais rápido delas com agentes de controle aplicados ou mesmo com os inimigos naturais presentes na lavoura ou introduzidos no controle biológico.

Nesse contexto, é importante também destacar a ação do silício. Ainda que não sendo amplamente considerado um nutriente essencial, ele é considerado um elemento benéfico, isso devido às diversas vantagens que o seu uso no manejo traz.

Entre elas, destacam-se a indução da resistência contra pragas e doenças. Além disso, ele favorece a resistência aos estresses hídricos, que podem ser intensificados devido aos danos causados pelo ataque da cochonilha no milho.

Assim, é essencial que o agricultor esteja muito atento aos fertilizantes utilizados no manejo agrícola. Esses insumos são as principais ferramentas para fornecer os nutrientes para as plantas.

Nesse sentido, utilizar fertilizantes adequados e eficientes e que ajudem a otimizar o manejo é crucial. É o caso do K Forte® e do BAKS®, fertilizantes produzidos pela Verde Agritech.

Uma das vantagens dos fertilizantes da Verde Agritech é que eles são multinutrientes. Além do potássio e de outros nutrientes essenciais, eles são fonte de silício. Assim, além de nutrir a lavoura de forma mais eficiente para combater a cochonilha no milho, o agricultor consegue ter um manejo mais completo com um único fertilizante.

Vale destacar também que o K Forte® e o BAKS® incorporam tecnologias exclusivas e inovadoras, que a Verde Agritech desenvolveu ao longo de anos de estudo, juntamente com instituições de pesquisa renomadas.

Elas permitem, por exemplo, que eles disponibilizem os seus nutrientes de maneira gradual. Isso ajuda na construção e manutenção da fertilidade do solo, além de gerar um efeito residual duradouro no solo otimizando o manejo e valorizando o investimento do agricultor!

Já a Bio Revolution é uma tecnologia inovadora exclusiva, que permite que os fertilzantes da Verde Agritech sejam aditivados com microrganismos benéficos, como por exemplo o consagrado Bacillus aryabhattai.

A Bio Revolution permite que os fertilizantes sejam aditivados com microrganismos benéficos

Vale destacar que essa rizobactéria traz diversas vantagens para o manejo agrícola, incluindo a indução da resistência a estresses bióticos, como pragas e doenças.

E, como os fertilizantes da Verde Agritech são livres de cloro, eles favorecem a microbiota do solo, bem como o uso de manejos biológicos, que ajudam no controle da cochonilha no milho.

Assim, o agricultor consegue fazer um manejo nutricional completo e com mais vantagens! 

Monitorar a cochonilha no milho, além de implementar boas práticas de manejo é importante para evitar que ela cause danos nesse cultivo

Em resumo, a cochonilha é uma praga agrícola que precisa ser monitorada com atenção, já que pode causar impactos significativos ao cultivo do milho. Ainda que sendo secundária, é importante o controle e a prevenção, já que podem ocorrer surtos dessa praga.

Por isso, é fundamental que os agricultores estejam atentos aos sinais de infestação as medidas adequadas como o monitoramento e o manejo integrado de pragas, é possível proteger a lavoura e garantir a qualidade e a produtividade do milho.

Além disso, a boa adubação contribui para a prevenção e o controle efetivos da cochonilha no milho. Por isso, é importante que o agricultor utilize fertilizantes eficazes e que tragam mais vantagens para o manejo!

Compartilhe esta publicação