17-08-2020_Especialistas na produção de soja e milho conversam sobre como planejamento e novos paradigmas de nutrição são a chave para enfrentar a crise

Especialistas na produção de soja e milho conversam sobre como planejamento e novos paradigmas de nutrição são a chave para enfrentar a crise

Em meio ao contexto atual de crise no Brasil e no mundo, muitas são as incertezas do mercado agrícola.

Como manter a produção e lidar com as constantes mudanças dos custos? Como se preparar e garantir que a produção seja mantida e, mais que isso, aumente?

Para discutir sobre essas questões, Cristiane Aparecida de Paula, Julieta Maria de Azevedo e Eduardo Coelho, especialistas na produção de soja e milho, se reuniram em um evento online gratuito.

A conversa ocorreu durante o evento “Almoço com Gigantes – Soja e milho: É possível aumentar produtividade e ainda reduzir custos?”.

O debate foi promovido pela Verde no dia 22 de abril de 2020.

Sob a mediação do fundador e CEO da Verde, Cristiano Veloso, os palestrantes conversaram sobre as incertezas que o momento atual traz para os produtores de soja e milho e sobre a importância de fazer uma boa gestão, com planejamento sólido.

Julieta Maria de Azevedo, produtora de soja e milho da região de Buritis, Minas Gerais, avaliou que os produtores precisam conhecer bem a sua realidade, avaliando os indicadores de produtividade, rentabilidade, custos, saúde do solo e entender o que eles estão mostrando.

Aliado a isso, ela ressalta que é preciso ter flexibilidade no planejamento: “O planejamento tem que ser muito detalhado, tem que ser muito bem cuidado, mas sem ser engessado. Tem que estar preparado para mudanças”.

Cristiane Aparecida de Paula, que é agrônoma e técnica agrícola, formada pela Universidade Federal do Mato Grosso, também falou sobre a importância de ter um planejamento sólido, mas com flexibilidade diante das surpresas que podem acontecer e que a base para isso é ter um bom nível de conhecimento para tomar as decisões.

Falando sobre o conhecimento, Eduardo Coelho, engenheiro agrônomo e sócio-diretor da Cientia, falou sobre a necessidade de fazer uma ponte entre as pesquisas feitas nas universidades e a realidade do campo. Para ele, a internet e eventos como o Almoço Com Gigantes são facilitadores desse processo.

Eduardo também falou sobre como a agricultura de ponta traz novas perspectivas para o produtor, que são importantes nesse momento de crise.

Uma dessas perspectivas é a noção de que a saúde e as reservas de nutrientes do solo são o “caixa” do agricultor:

“Onde está o fluxo de caixa do produtor? No solo. O caixa do [nosso] cliente é o solo. Porque se em algum ano houver alguma intempérie de fertilidade, ele usa aquela fertilidade que o solo tem para suprir isso”.

Os especialistas também debateram sobre novos paradigmas da agricultura que podem ajudar o agricultor, como o uso de biológicos e a necessidade de repensar a disponibilidade de nutrientes e fertilizantes não-solúveis em água.

Cristiane Aparecida de Paula falou sobre como é preciso pensar em possibilidades diferentes para lidar com pragas, como por exemplo, os nematoides.

Na avaliação dela, isso requer uma análise mais profunda sobre as especificidades do problema, já que cada caso é diferente do outro. Isso se aplica também ao uso dos biológicos:

“Hoje nós vivemos um momento de biológicos que ainda necessita de muitos estudos. São muitas perguntas: qual serve, qual é a dose, qual é o mais adequado? Esse assunto ainda é uma pauta que precisa de um debate mais aprofundado”.

Sobre a disponibilidade de nutrientes e a questão de insumos solúveis e insolúveis em água, Eduardo Campos ressaltou que muito da literatura especializada leva em consideração a realidade e as características dos solos europeus e não do Brasil:

“O grande erro que eu já cometi com meus clientes foi interpretar as nossas informações com produtos solúveis em água. Hoje eu percebo que isso é um erro muito grande para a nossa realidade. Uma coisa é o solo brasileiro e outra coisa é o solo da Europa. Hoje eu consigo fazer com que o nosso cliente economize usando produtos mais eficientes para a sua realidade”.

Cristiane Aparecida de Paula é especialista em Proteção de Plantas e Experimentação de Campo.

Desde 2005 é pesquisadora no Grupo Bom Futuro, empresa referência na produção de sementes de soja, milho e algodão.

No Grupo Bom Futuro, Cristiane conduz ensaios a campo e também bio-ensaios in vitro.

Cristiane também desenvolve um trabalho com biológicos, com experiência no uso e produção de fungos e bactérias benéficos para a agricultura.

Julieta Maria de Azevedo é uma das referências em produção de soja e milho em Minas Gerais.

Com 35 anos de experiência no agronegócio, Julieta trabalha com agricultura de alta precisão e alta produtividade, sempre buscando produtos e tecnologias de ponta para garantir excelentes resultados em sua propriedade de 13 mil hectares.

Eduardo Coelho atua na Cientia há quase 12 anos, tendo experiência na coleta de dados e planejamento de soluções para o melhor manejo do solo dos produtores com quem trabalha.

Além disso, Eduardo Coelho tem amplo conhecimento nas melhores técnicas e tecnologias para obter os melhores resultados das culturas de soja, milho e feijão.

A conversa com Cristiane Aparecida de Paula, Julieta Maria de Azevedo e Eduardo Coelho pode ser vista na íntegra aqui:

Não perca os próximos eventos! Confira toda a programação do Encontro com Gigantes e faça sua inscrição pelo link:

https://www.kforte.com.br/encontrocomgigantes/.