Descubra as vantagens do uso da ulexita como fonte de boro na agricultura.

Embora normalmente seja requerido em pequenas quantidades pelas plantas, o boro é um elemento que tem funções muito importantes no desenvolvimento vegetal. Assim, manter os níveis adequados de boro no solo é essencial para que o agricultor tenha mais produtividade e qualidade na lavoura. A escolha de fontes adequadas de boro é um passo importante para atingir esse objetivo. Descubra quais são as vantagens do uso da ulexita como fonte de boro na agricultura.

Por que é preciso realizar a adubação com boro?

O boro é um elemento que pertence ao grupo dos micronutrientes. Isso significa que ele é requerido em menor quantidade pelas plantas. Entretanto, isso não significa que ele não é importante no desenvolvimento vegetal. Ele participa de muitos processos bioquímicos essenciais, entre eles:

  • Formação de novos tecidos;
  • Síntese da parede celular;
  • Lignificação;
  • Garantia da integridade da membrana celular;
  • Metabolismo de carboidratos e de hormônios vegetais;
  • Ativação enzimática;
  • Síntese proteica.

O renomado engenheiro agrônomo Eurípedes Malavolta, no estudo Micronutrientes e metais pesados, mitos, mistificação e fatos, aponta que muitas culturas no Brasil são deficientes em boro. Algumas, como o café, tem uma deficiência bastante elevada do nutriente.

Assim, incluir o boro no manejo nutricional agrícola é muito importante para garantir que as lavouras alcancem bons níveis de produtividade e de qualidade dos alimentos produzidos. Entretanto, a adubação com boro tem alguns desafios que precisam ser levados em conta na hora de pensar nesse manejo nutricional.

O desafio do equilíbrio na adubação com boro

Como ele é exigido em pequenas quantidades  um dos grandes desafios na hora de pensar na adubação com boro é encontrar a faixa de equilíbrio entre fornecer pouca quantidade ou fornecer uma quantidade excessiva desse nutriente.

A deficiência de boro pode provocar sintomas que incluem clorose, necrose e deformações nas folhas jovens e nos perfilhos, diminuindo a produtividade e qualidade da lavoura. Por outro lado, o excesso de boro no solo pode provocar sintomas de toxidez.

Fontes de boro mais convencionais, como o ácido bórico, são muito solúveis. Isso significa que elas conseguem disponibilizar o boro para as plantas muito rapidamente. Entretanto, a pesquisadora Isabela Rodrigues Bologna, em sua  dissertação de mestrado Adubação boratada em pomar de laranja pêra rio afetado pela clorose variegada dos citros, destaca que:

“A alta disponibilidade inicial pode provocar sintomas de toxidez em culturas susceptíveis em estágios iniciais de desenvolvimento.”

Outra limitação das fontes de boro muito solúveis é que elas trazem o problema da lixiviação. Esse fenômeno acontece quando os nutrientes se perdem para as camadas mais profundas do solo, ficando fora do alcance das raízes, em decorrência do excesso de chuvas ou da irrigação mal planejada.

John Jacob Mortvedt, pesquisador e autoridade em fertilizantes de micronutrientes, no artigo Needs for controlled availability micronutrient fertilizers, ressalta que a maioria das fontes de boro sofre com o problema da lixiviação.

Já no artigo Lixiviação e disponibilidade de boro em função de fontes e características de solos, a pesquisadora do Instituto Agronômico de Campinas, Cleide Aparecida de Abreu, escreve que, quando ocorre a lixiviação, ainda que seja realizada a aplicação de fertilizantes, o solo acaba ficando deficiente em boro. A pesquisadora nota que isso afeta particularmente os solos arenosos, que ocorrem em diversas regiões do Brasil.

Entretanto, existem fontes de boro que apresentam uma disponibilização mais gradual. É o caso da ulexita, que depois de processada, tem potencial para ser utilizada como fonte de boro. Mas, quais são as vantagens do uso da ulexita na agricultura?

A ulexita é uma fonte de boro com menos lixiviação

A ulexita é um mineral cuja fórmula química é NaCaB5O6(OH)6.5(H2O). Encontrada em regiões áridas, praias salinas e lagos salinos ressecados, ela pertence à classe dos boratos, sendo mais especificamente um borato hidratado de sódio e cálcio. Como sugerido pelo nome da sua classe mineralógica, o boro é um dos elementos presentes na composição da ulexita.

A ulexita tem um teor baixo de solubilidade em água. Enquanto a solubilidade do ácido bórico, por exemplo, fica em torno de 49 g/L (gramas por litro) a 20º C, a da ulexita é de apenas 0,9 g/L a 20º.

Com uma solubilidade menor, a ulexita está menos sujeita à lixiviação quando utilizada como fonte de boro na agricultura.

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Neossolo Quartzarênico Órtico Típico, em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide et. al, 2015)

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Neossolo Quartzarênico Órtico Típico, em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide et. al, 2015)

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Latossolo Vermelho Eutroférrico Típico em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide, 2015)

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Gleissolo Melânico Distrófico Típico em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide 2015)

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Gleissolo Melânico Distrófico Típico em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide 2015)

Comparação de boro acumulado nos lixiviados no Gleissolo Melânico Distrófico Típico em função de diferentes fontes aplicadas (Fonte: ABREU, Cleide 2015)

Isso traz a vantagem para o agricultor de não perder parte do boro para os perfis mais profundos do solo, além de não correr o risco de ficar com o solo deficiente nesse nutriente mesmo realizando a adubação.

O uso da ulexita diminui o risco de toxidez por superdosagem do boro

Outra vantagem do uso da ulexita como fonte de boro na agricultura é que ela tem uma liberação gradual dos seus nutrientes. A razão disso é que o boro contido na ulexita passa por uma reação, que normalmente acontece com a acidez natural do solo, para se transformar na forma que as plantas conseguem absorver.

Aliada à sua menor solubilidade, a liberação gradual dos nutrientes da ulexita a tornam uma fonte de boro mais vantajosa na manutenção dos níveis de boro do solo. Isso porque, assim. há a diminuição dos riscos de que o boro seja disponibilizado de uma única vez, causando deficiência à longo prazo e o risco de toxidez com a superdosagem inicial.

Essas características trazem ainda mais uma vantagem, que é a otimização da relação custo-benefício do fertilizante para o agricultor. Isso acontece porque, disponibilizando os nutrientes gradualmente e com menor lixiviação, os níveis de boro no solo ficam estabilizados pro mais tempo.

A longo prazo, isso acaba gerando economia para o agricultor, uma vez que há um efeito residual do boro nos sistemas de rotação de culturas, trazendo mais aproveitamento da adubação no ciclo produtivo, e a diminuição do número de reaplicações no caso das culturas perenes.

Torne o manejo nutricional mais eficiente com a ulexita

A necessidade da inclusão do boro no manejo nutricional agrícola é essencial para melhorar os níveis de produtividade e qualidade das lavouras. Entretanto, a adubação com esse nutriente tem particularidades e desafios que exigem a busca de fontes adequadas.

A ulexita, com seu baixo teor de lixiviação e liberação gradual de nutrientes, oferece vantagens para o agricultor na hora de realizar a adubação com boro. Desse modo, fertilizantes que utilizam a ulexita como matéria prima têm uma relação custo-benefício melhor e tornam o manejo nutricional mais eficiente.