Agricultor de Pires do Rio - GO fala como melhorou a microbiota do solo e a produtividade e com o K Forte®

Agricultor de Pires do Rio – GO fala como melhorou a microbiota do solo e a produtividade e com o K Forte®

Agricultor e engenheiro agrônomo, Adriano Martins Barbosa utiliza o sistema de integração lavoura-pecuária na sua propriedade localizada no município de Pires do Rio, Goiás. Com 20 anos de experiência na pecuária, ele recorreu ao cultivo da soja e do milho de segunda safra, além da braquiária, como forma de diversificar a otimizar a sua produção. Saiba como o uso do K Forte® ajudou Adriano a melhorar a microbiota do solo e ter melhores resultados.

Melhora da resistência ao estresse hídrico e da compostagem

Com ampla experiência na pecuária, Adriano Martins Barbosa decidiu, há cerca de 4 anos, investir em um sistema de integração lavoura-pecuária. Seguindo a recomendação de um consultor com quem ele trabalha, ele começou a utilizar o K Forte® no manejo agrícola.

Adriano relata sobre como a lavoura tratada com o fertilizante da Verde teve melhor resistência ao estresse hídrico e um aumento na produtividade:

“Na questão da resistência ao estresse hídrico, a gente teve alguns dias de sol intenso em janeiro e a gente viu que foi bem tranquilo, as plantas não apresentaram nenhum tipo de sintoma de estresse por causa dessa falta de chuva. Também, do ano passado pra este ano agora, na colheita que a gente realizou em março, a gente teve um acréscimo de 11 sacas por hectare.”

Segundo Adriano Martins, o K Forte® foi integrado na técnica da compostagem utilizada na sua propriedade e avalia que o aproveitamento dos nutrientes foi melhor, gerando os resultados positivos na produtividade.

O engenheiro agrônomo ainda atribui ao silício presente no fertilizante da Verde a melhora da resistência das plantas aos estresses hídricos. E Adriano ainda destacou outro ponto positivo do K Forte®: o fato de ele ser livre de cloro.

Fontes sem cloro ajudam a melhorar a microbiota do solo

O cloro é um elemento que é considerado um micronutriente para as plantas, uma vez que ele desempenha funções importantes no crescimento delas. Entretanto, as quantidades requeridas de cloro são muito pequenas e, em geral, o cloro presente no solo já é suficiente para que elas se desenvolvam de maneira adequada.

Quando em excesso, o cloro provoca efeitos negativos nas plantas, como clorose das folhas. Além disso, o cloro em excesso também é prejudicial ao solo, em especial ao microbioma. É o que observa Adriano Martins:

“A longo prazo ele [K Forte®] traz mais benefícios para o solo. Quem está acostumado a trabalhar com agricultura convencional na maioria das vezes usa como fonte de potássio o Cloreto de Potássio. E aí você tá adicionando uma quantidade significativa de cloro no sistema e muitas vezes aqueles microrganismos benéficos do solo acabam sendo prejudicados.

O K Forte® tem como matéria-prima o Silito Glauconítico, uma fonte de potássio que é livre de cloro. Assim, o seu uso no manejo agrícola pode evitar que o agricultor tenha um excesso desse elemento no solo, o que beneficia a microbiota, como Adriano Martins destaca:

“Uma das vantagens [do uso do K Forte®] é essa: trabalhar com um produto que a longo prazo vai beneficiar a questão da flora microbiológica do solo, o custo acaba sendo mais em conta que as outras formas de adubo.”

Mas ser livre de cloro não é a única vantagem do Siltito Glauconítico.

Micronutrientes e silício: elementos benéficos para a lavoura

Encontrado na região de São Gotardo, Minas Gerais, o Siltito Glauconítico é uma fonte rica em potássio, silício e micronutrientes como o magnésio e o manganês. Os micronutrientes são exigidos em pequenas quantidades pelas plantas, mas essenciais para o seu crescimento adequado, já que participam de processos metabólicos importantes.

Já o silício é considerado pela comunidade científica como um elemento benéfico para as plantas, tendo um efeito positivo no aumento da resistência contra estresses bióticos e abióticos.

Estudos indicam que o silício melhora a estrutura das plantas, ajudando a regular as perdas de água por evapotranspiração e proporcionando economia no consumo de água, garantindo maior tolerância à seca.

O silício ainda faz com que as paredes celulares das plantas fiquem mais espessas, o que também diminui a perda de água. Assim, há um melhor aproveitamento hídrico, apresentando maior capacidade de lidar com situações de estresse como as provocadas por períodos longos de estiagem.

Adriano Martins relaciona os benefícios que ele teve na lavoura à presença do silício e de micronutrientes no Siltito Glauconítico, matéria-prima do K Forte®:

“É um produto que ele vem a complementar o que a gente tem, a disponibilidade de material que a gente pode estar trabalhando. Também tem a questão de microelementos associados: macro e microelementos, não só o potássio. A gente compra ele em vista de substituir o potássio, mas acaba que a gente compra algo mais. É um dos benefícios de a gente estar comprando o produto.”

Veja o depoimento completo de Adriano Martins Barbosa sobre o uso do K Forte®:

 

Impactos positivos na lavoura

A experiência de Adriano Martins Barbosa mostra que o uso K Forte® teve um impacto positivo na lavoura, mesmo em período de estiagem, melhorando a produtividade. Além disso, ele pode ser utilizado para otimizar técnicas como a compostagem, já que não tem cloro em sua composição, o que favorece os microrganismos benéficos essenciais para essa técnica e para a saúde do solo.

KForte_BannerBlog