Sinergismo Entre Enxofre E Nitrogênio: A Relação Entre Esses Nutrientes Pode Beneficiar As Plantas? - Qual A Importancia Do Sinergismo Entre Enxofre E Nitrogenio E Quais Beneficios Ela Pode Trazer Para As Plantas

Sinergismo entre enxofre e nitrogênio: a relação entre esses nutrientes pode beneficiar as plantas?

Um bom manejo nutricional leva em conta as relações entre os nutrientes que as plantas precisam para se desenvolver. Essas relações fazem com que as interações entre eles possam prejudicar ou potencializar os benefícios dos nutrientes. Descubra como a relação de sinergismo entre enxofre e nitrogênio pode beneficiar as plantas!

O que é o sinergismo de nutrientes?

Para entender o conceito de sinergismo de nutrientes, podemos pensar em como funciona a alimentação dos seres humanos. Para que as pessoas tenham uma dieta balanceada, é preciso que haja o consumo adequado de alimentos fontes de carboidratos, lipídeos e proteínas.

Da mesma maneira, as plantas precisam de uma nutrição adequada para se desenvolverem bem. Mas, nesse caso, isso tem a ver com os nutrientes fornecidos no manejo nutricional das lavouras.

O que acontece é que os diferentes nutrientes que as plantas precisam para crescer podem interagir entre si, afetando a sua absorção. Tal interação pode ser de três tipos:

  • Antagonismo: aqui, a presença de um elemento diminui a absorção de outro elemento, independente da sua concentração no meio;
  • Inibição: é quando a presença em excesso de um elemento diminui a absorção de outro. A inibição por sua vez pode ser competitiva, quando os elementos são absorvidos pelas mesmas estruturas vegetais; e não-competitiva, quando a absorção se dá por estruturas diferentes;
  • Sinergismo: é a interação na qual a presença de um elemento favorece a absorção de outro, proporcionando efeitos benéficos para a planta

Mas, o que isso tem a ver com o enxofre e o nitrogênio? Acontece que, embora não tenham uma relação direta de sinergismo entre si, esses dois nutrientes interagem de maneira positiva na fisiologia das plantas, mais especificamente no metabolismo vegetal.

Os pesquisadores Silvia Regina Stipp e Valter Casarin relatam que, juntamente com o nitrogênio, o enxofre está presente em todas as funções e processos que são parte da vida da planta.

Esses processos vão desde a absorção iônica aos papeis do RNA e DNA, incluindo o controle hormonal e a diferenciação celular. Tais observações são feitas no artigo A importância do enxofre na agricultura brasileira.

 

O enxofre, assim como o nitrogênio, está associado a funções muito importantes nas plantas.

Assim, um manejo nutricional balanceado, com fornecimento adequado de enxofre pode beneficiar o aproveitamento do nitrogênio. E como isso acontece?

Qual a relação do nitrogênio e do enxofre com proteínas?

O enxofre e o nitrogênio “andam juntos” no metabolismo das plantas. É o que observaram Lefroy e seus colegas no capítulo Sulphur cycling in rice wetlands do livro Sulphur cycling on the continents.  Segundo os pesquisadores, isso se dá através de duas rotas principais:

  • A formação de proteínas de qualidade;
  • A fixação biológica do nitrogênio do ar e incorporação do nitrogênio mineral em aminoácidos.

As proteínas são macromoléculas biológicas presentes em todos os seres vivos e participam ativamente de todos os processos celulares. Elas são compostas por uma ou mais cadeias de aminoácidos, de cuja composição o enxofre e o nitrogênio participam.

Sabe-se que o nitrogênio faz parte da formação dos 20 aminoácidos que compõem as proteínas vegetais. Já de acordo com John e Margaret Brosnan, no artigo The Sulfur-Containing Amino Acids: An Overview, o enxofre compõe 4 deles:

  • A cistina;
  • A metionina;
  • A cisteína;
  • E a taurina.

Por causa disso, quando há ausência ou deficiência de enxofre durante o crescimento das plantas, as proteínas formadas são de baixa qualidade.

Em particular, a cistina e a metionina são muito relevantes, já que o consumo de plantas com proteínas deficientes nesses aminoácidos é responsável por doenças irreversíveis em animais e no homem, como escorbuto, hemofilia e cegueira noturna, dentre outras.

Mas, e quanto à influência do enxofre na fixação biológica do nitrogênio e a incorporação do nitrogênio mineral? Como isso beneficia as plantas?

Benefícios de uma adubação adequada com enxofre e nitrogênio

Como vimos, o nitrogênio é essencial para as plantas, uma vez que ele é o componente principal dos aminoácidos, além de outras funções muito importantes na fisiologia vegetal.

Assim, na maioria das vezes, ele é o nutriente mais requerido por elas durante os seus processos de crescimento. E as formas pelas quais as plantas adquirem o nitrogênio são através da mineralização do nitrogênio orgânico pelos microrganismos do solo e também através da fixação biológica do nitrogênio do ar, realizada também pelos microrganismos.

Segundo o renomado engenheiro agrônomo Eurípedes Malavolta, no boletim técnico Potássio, magnésio e enxofre nos solos e culturas brasileiras, o enxofre faz parte das reações químicas que vão resultar tanto na fixação do nitrogênio quanto na absorção desse importante nutriente pelas plantas.

Por isso, a falta dele no manejo nutricional das lavouras pode acabar prejudicando o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas.A Falta De Enxofre Prejudica O Aproveitamento Do Nitrogênio Pelas Plantas, Atrapalhando Por Exemplo O Processo De Nodulação Da Soja

A falta de enxofre prejudica o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas, atrapalhando por exemplo o processo de nodulação da soja. (Fonte: MALAVOLTA, 1982)

Dessa maneira, o uso de fontes de enxofre adequadas é essencial para que haja o melhor aproveitamento da adubação nitrogenada na lavoura.

É o caso, por exemplo, do enxofre elementar micronizado. Isso porque, além de ser uma fonte eficiente de enxofre, o que já traz os benefícios ligados à relação próxima do enxofre e do nitrogênio, ele é uma fonte de liberação progressiva.

Essa característica faz com que essa fonte de enxofre seja menos sujeita à lixiviação e que apresente um efeito residual no solo. Assim, os níveis de enxofre no solo se mantêm estáveis por mais tempo, construindo a fertilidade do solo e ajudando a otimizar a adubação sulfatada.

Além disso, o enxofre elementar micronizado não provoca a salinização do solo. Fontes como o sulfato de enxofre têm um alto teor salino, o que eleva a concentração de sal no solo. Em consequência, a saúde biológica do agroecossistema é prejudicada.

E, como os microrganismos são importantes para a fixação e mineralização do nitrogênio, isso também prejudica o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas.

Levando isso em consideração, é muito importante que os agricultores estejam atentos não somente à adubação nitrogenada, mas também à adubação com enxofre.

A escolha de boas fontes de enxofre pode ajudar a potencializar o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas

Em resumo, embora sejam nutrientes que não têm uma relação direta de sinergismo, o enxofre e o nitrogênio têm uma relação muito próxima dentro da fisiologia vegetal.

Assim, um manejo nutricional que considere a boa adubação com enxofre pode ter uma influência muito positiva sobre o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas. Esse bom manejo inclui a atenção aos níveis de enxofre do solo, bem como o uso de fontes adequadas desses nutrientes.

Fontes como o enxofre elementar micronizado, matéria-prima de fertilizantes como o BAKS®, que além do enxofre, também é fonte de potássio, boro, silício e manganês, podendo também ser personalizado pelo agricultor!

Compartilhe esta publicação