Conheça Quais São Os X Sintomas De Deficiência De Enxofre Nas Plantas

Conheça quais são os 5 sintomas de deficiência de enxofre nas plantas

Atualmente, a expressão dos sintomas de deficiência de enxofre nas plantas está se tornando uma situação cada vez mais recorrente nas lavouras, principalmente para as culturas mais exigentes neste nutriente, como as leguminosas, oleaginosas e crucíferas. Mas, como identificá-los? Conheça quais são os 5 principais sintomas de deficiência de enxofre nas plantas e como evitá-los.

Quais são os sintomas de deficiência de enxofre nas plantas?

Os sintomas de deficiência de enxofre nas plantas podem causar um grande impacto na produtividade de diversas culturas.

Isso por afetarem diretamente o desenvolvimento vegetativo das plantas, qualidade dos alimentos e até mesmo processos naturais que favorecem a nutrição da lavoura, como a fixação biológica de nitrogênio.

Tal fato acontece porque o enxofre desempenha um papel essencial na constituição de diversos elementos estruturais e metabólicos das plantas, que acabam contribuindo para vários processos fisiológicos.Resumo Das Funções Do Enxofre Nas Plantas

Resumo das funções do enxofre nas plantas. (Fonte: Malavolta et al.,1997).

Entretanto, o aumento da exigência nutricional das culturas, associado ao uso de fertilizantes com baixos teores de enxofre e a redução dos teores de matéria orgânica no solo, se tornaram alguns fatores precursores para o aumento da ocorrência dos sintomas de deficiência de enxofre nas lavouras.

Mas, quais são eles? Os principais sintomas de deficiência de enxofre nas plantas são:

1. Clorose uniforme, seguida do aparecimento de tons arroxeados a avermelhados nos órgãos vegetativos mais jovens

De forma geral, quando uma planta tem todas as condições ideais para o seu pleno desenvolvimento, ela vai apresentar uma intensa coloração verde nos seus órgãos vegetativos, como as folhas.

Tal coloração advém de diferentes pigmentos que compõe os vegetais: as clorofilas e os carotenoides. Enquanto as clorofilas vão dar a característica cor verde às plantas, os carotenoides serão responsáveis por outras colorações, como o laranja, o amarelo e o vermelho.

Portanto, quando se é verificada a presença de clorose, ou seja, amarelecimento nos órgãos vegetativos das plantas, é um indicativo de que a proporção de carotenoides é superior à das clorofilas.

Naturalmente, as plantas podem apresentar variações nas proporções desses pigmentos para obter colorações específicas, como é o caso da cenoura. Entretanto, condições adversas no campo, como as deficiências nutricionais, também podem ter o mesmo efeito.

Como o enxofre participa da síntese de clorofila, em condições de baixa disponibilidade, a planta não consegue manter uma produção adequada desse pigmento. E isso acaba levando a predominância dos carotenoides, que se manifestam com as cores arroxeadas e avermelhadas.

No artigo Response of Chlorotic Acid Lime to Iron and Sulphur Fertilization., o Dr. Pravinchandra Patel e outros pesquisadores observaram uma correlação direta entre a adubação sulfatada e os teores de clorofila total das plantas de limão.

Apesar dos sintomas de deficiência de enxofre terem certa semelhança com os sintomas decorrentes da falta de nitrogênio, a principal diferença está no fato de que eles vão se manifestar principalmente nas folhas mais jovens da planta.

Isso acontece porque o enxofre é considerado um nutriente pouco móvel na planta, justificado pelo fato de ele ser um componente estrutural de vários compostos.

 

É muito importante saber fazer o diagnóstico correto dos sintomas de deficiência nutricional na agricultura.

2. Redução do tamanho das folhas mais novas e encurtamento dos internódios

Pesquisas indicam que o envolvimento do enxofre com a clorofila não tem impacto somente na coloração da planta, mas como também com o acúmulo de matéria seca de diferentes culturas agrícolas.

A relação entre a clorofila e o acúmulo de matéria seca das plantas se dá por ela ser considerada um dos pigmentos mais importantes que participam do processo de fotossíntese.

Processo este que, por sua vez, tem um impacto direto na produtividade das plantas, já que ele é responsável pela síntese de compostos orgânicos que serão direcionados para o crescimento vegetativo e reprodutivo das plantas.

Em um estudo realizado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), citado pelo engenheiro agrônomo Diego Henriques Santos na revista Campos e Negócios, experimentos de campo mostraram que as respostas na produtividade de colmos e também no teor de açúcar da cana dependeram da aplicação de enxofre na adubação da cultura.

O enxofre também está envolvido com a fixação não fotossintética de CO2, sendo incorporado nos esqueletos de carbono formados.

Por isso, as plantas podem apresentar a redução do tamanho das folhas mais novas e encurtamento dos internódios quando não conseguem ter a nutrição adequada de enxofre.Dinâmica Do Enxofre No Sistema Solo-Planta.

Dinâmica do enxofre no sistema solo-planta. (Fonte: UNESP)

3. Produtos agrícolas com proteína de baixo valor biológico

Outro destino muito comum do enxofre dentro da planta são as proteínas vegetais, macromoléculas biológicas presentes em todos os seres vivos e que participam ativamente de todos os processos celulares.

Elas são compostas por uma ou mais cadeias de aminoácidos, sendo o enxofre responsável pela síntese de quatro diferentes aminoácidos essenciais: a cistina, a metionina, a cisteína e a taurina.

No livro Plant Physiology, os autores Frank B. Salisbury e Cleon W. Ross destacam que aproximadamente 90% de todo o enxofre reduzido nas plantas faz parte dos aminoácidos cisteína e metionina.

Além disso, o enxofre também está intimamente relacionado com o metabolismo do nitrogênio, convertendo o N-não proteico em N-proteico.

Dessa maneira, quando há a ausência ou deficiência do enxofre durante o crescimento das plantas há também a formação de proteínas de baixa qualidade. Vale destacar que o consumo de plantas deficientes em cistina e metionina é responsável por doenças irreversíveis em animais e no homem, como escorbuto, hemofilia e cegueira noturna, dentre outras.

4. Atraso na floração e na maturação das sementes e dos frutos

Plantas maduras com botões florais verdes e pequenos, com alta taxa de abortamento e maturação atrasada das sementes e dos frutos também são um sinal de alerta para a deficiência de enxofre.

As flores e os frutos muitas vezes são considerados órgãos preferenciais para as plantas direcionarem suas reservas nutricionais, já que eles estão relacionados evolutivamente como um dos mecanismos para perpetuação das espécies.

Grande parte dessas reservas nutricionais advém do processo de fotossíntese, que converte a energia solar em química para síntese de compostos orgânicos. E como o enxofre está relacionado com esse processo, condições de deficiência prejudicam a floração e frutificação de diversas culturas de grande importância agrícola.

5. Menor nodulação em leguminosas

Por fim, em culturas como as leguminosas, a deficiência de enxofre pode causar um grande impacto no processo de nodulação, fixação biológica de nitrogênio e consequentemente na produtividade das plantas.

Isso acontece porque o enxofre é constituinte de uma importante enzima responsável pela quebra do nitrogênio atmosférico (N2): a ferredoxina.

É o que explicam Getachew Zerihun e outros pesquisadores no artigo Rhizobium inoculation and sulphur fertilizer improved yield, nutrients uptake and protein quality of soybean (Glysine max L.) varieties on Nitisols of Assosa area, Western Ethiopia.

No campo, diversos estudos já vêm comprovando a relação direta dessa enzima com a nodulação e produtividade de culturas como a soja e incentivando o uso correto do uso da adubação sulfatada, associada as práticas de inoculação de microrganismos.Número De Nódulos Por Planta E Produtividade De Grãos De Soja Em Função Das Inoculações E De Doses De Enxofre.

Número de nódulos por planta e produtividade de grãos de soja em função das inoculações e de doses de enxofre. (Fonte: ALESSIO et al., 2018)

Mas, como promover uma adubação sulfatada adequada para corrigir a condição de deficiência de enxofre na lavoura?

Como corrigir a deficiência de enxofre?

A correção de deficiência de enxofre no solo deve sempre começar com uma abordagem preventiva, realizando periodicamente as análises de solo e foliares.

Isso porque quando há a manifestação dos sintomas de deficiência, a planta já teve parte da sua produtividade e qualidade comprometida.

Uma vez identificada a necessidade de aplicação de enxofre no solo, o agricultor deve proceder para escolha do melhor fertilizante para sua lavoura, sendo considerado seus diferentes benefícios e limitações.

De forma geral, fontes convencionais de liberação rápida, como o sulfato de potássio, nem sempre são a melhor escolha em se tratando da construção da fertilidade do solo.

Por isso, é essencial que o agricultor considere outras fontes de enxofre com longo efeito residual e liberação progressiva de nutrientes, como é o caso do enxofre elementar micronizado.

Usando essas fontes de enxofre é possível garantir um melhor equilíbrio nutricional da lavoura por longos períodos e que, por sua vez, evitam a manifestação dos sintomas de deficiência de enxofre nas plantas!

 

Compartilhe esta publicação