Conheça O Microrganismo Metarhizium Anisopliae E Seus Benefícios Na Agricultura

Conheça o microrganismo Metarhizium anisopliae e seus benefícios na agricultura

Atualizado em::

O microrganismo Metarhizium anisopliae está entre os fungos mais estudados nos programas de controle biológico de pragas agrícolas e promoção do crescimento das plantas, já tendo superado a marca de mais de 2 milhões de hectares em área aplicada. Mas, o que motiva todo esse interesse nesse microrganismo? Saiba mais sobre o fungo Metarhizium anisopliae e seus benefícios na agricultura!

Para que serve o fungo Metarhizium anisopliae?

O gênero Metarhizium contempla uma série de espécies de fungos entomopatogênicos filamentosos que vêm sendo utilizados para o controle biológico de pragas e têm demonstrado efeitos positivos na promoção do crescimento de plantas, como as pastagens e a cana-de-açúcar.

Fungos como Metarhizium robertsii, Metarhizium humberi e Metarhizium anisopliae são alguns exemplos de espécies desse gênero que podem ser encontradas habitando os solos de diversas regiões brasileiras, na rizosfera de plantas ou mesmo em cadáveres de artrópodes.

No artigo Metarhizium spp., cosmopolitan insect-pathogenic fungi: mycological aspects, os pesquisadores Donald W. Roberts e Raymond J. St Leger descrevem a ocorrência do M. anisopliae em mais de 300 espécies de artrópodes, incluindo insetos e ácaros de importância agrícola.

A história do uso na agricultura desses fungos benéficos começou com a descrição da espécie Metarhizium anisopliae na Rússia, em 1879, por um pesquisador chamado Metschnikoff, que na época o classificou como Entomophora anisopliae.

Foi somente em 1883 que ele ganhou sua atual classificação como Metarhizium anisopliae (Metsch) sorokin, sendo o último nome atribuído ao cientista que o descreveu.Aspectos Morfológicos Das Células E Hifas Do Fungo Entomopatogênico Metarhizium Anisopliae

Aspectos morfológicos das células e hifas do fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae. (Fonte: REIS, 2018)

No Brasil, o estudo do uso agrícola desse fungo entomopatogênico só se deu quase meio século depois, em 1923.

Na ocasião, Pestana identificou duas espécies de cigarrinhas infectadas por M. anisopliae e posteriormente, em 1955, o italiano Pietro Guagliumi realizou vários estudos do seu uso para controle biológico das cigarrinhas da cana-de-açúcar e das pastagens.

No artigo Eficiência de Metarhizium anisopliae (Metsch.) no controle de Mahanarva fimbriolata (Stål) (Hemiptera: Cercopidae) em cana-de-açúcar, Leila L. Dinardo-Miranda e outros pesquisadores observaram uma eficiência de mais de 90% do fungo M. anisopliae, para redução das populações da cigarrinha-das -raízes.

Além desse inseto-praga, o Metarhizium anisopliae também vem sendo estudado no Brasil para o controle de outras pragas, como por exemplo:

  • Cigarrinha das pastagens (Deois flavopicta (Stal) e Zulia entreriana (Berg));
  • Percevejos da soja (espécies dos gêneros Nezara e Piezodorus);
  • Broca da cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis Fabricius);
  • Broca da bananeira (Cosmopolites sordidus (Germar));
  • Percevejo-do-colmo do arroz (Tibraca limbativentris);
  • Formiga mandioca (Atta sexdens sexdens Linnaeus);
  • Cigarrinha das folhas (Mahanarva posticata (Stal));
  • Broca-dos-citros (Diploschema rotundicolle);
  • Broca-do-café (Hypothenemus hampei);
  • Várias espécies de carrapatos, cupins, gafanhotos e outros insetos.

Como age o fungo Metarhizium anisopliae?

O fungo Metarhizium anisopliae pode agir de duas diferentes formas na lavoura. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ele está ligado a:

  • Produção de enzimas, hormônios e metabólitos envolvidos na promoção do crescimento das plantas;
  • Morte direta de insetos praga ao entrar em contato com os inóculos desse microrganismo.

Mas, como o Metarhizium anisopliae age para causar a morte dos insetos pragas?  Esse processo começa quando os esporos assexuados (chamados conídios) do M. anisopliae entram em contato direto com o corpo de um inseto hospedeiro e germinam. Após isso, rapidamente o inseto é eliminado, ao final de alguns dias.

O processo de infecção, geralmente, é mediado por genes específicos, enquanto a sua letalidade e virulência se correlacionam mais diretamente à produção de compostos tóxicos com ação inseticidas, como as destruxinas.Ciclo Básico Da Relação Do Metarhizium Anisopliae Sobre A Cigarrinha-Da-Raíz Da Cana De Açúcar (Mahanarva Fimbriolata

Ciclo básico da relação do Metarhizium anisopliae sobre a cigarrinha-da-raíz da cana de açúcar (Mahanarva fimbriolata). (Fonte: adaptado de Alves, 1998)

Uma das formas mais evidentes de identificar esse processo de colonização e infecção no campo se dá através da observação da cutícula nos insetos mortos, que se tornam vermelhas.

Além disso, se as condições ambientais forem favoráveis à dispersão do fungo, também é possível notar um bolor branco, que adquire uma cor amarelada à medida que novos esporos são produzidos e verde quando eles se encontram maduros.

No artigo Viabilidade do uso do fungo Metarhizium anisopliae para o controle biológico de barata alemã, Bruna Gomes Magalhães e outros pesquisadores relatam as seguintes condições ideais para o desenvolvimento e propagação no campo como sendo:

  • Ausência de radiação solar ultravioleta;
  • Umidade relativa: entre 65% a 100%;
  • Temperatura: entre 25ºC e 30ºC.

A partir dessas informações, já é possível inferir algumas boas práticas que devem ser seguidas para bons resultados com a aplicação do M. anisopliae na lavoura.

Como aplicar o Metarhizium anisopliae?

A aplicação do Metarhizium anisopliae deve sempre ser planejada de acordo com as condições climáticas e os hábitos da praga alvo.

Dias nublados e com elevada umidade relativa do ar, associados à aplicação sobre a área de incidência do inseto praga, são algumas boas práticas recomendadas para alcançar o máximo efeito residual desse fungo, que pode chegar a 120 dias.

Em relação às doses e os métodos de aplicação, existe uma grande variedade de opções disponíveis para o agricultor. Todavia, de forma geral, alguns pesquisadores recomendam doses de 10.000 conídios/cm2 para matar a totalidade da população de algumas espécies de insetos a campo.

Algumas pesquisas também destacam a importância de controlar fatores que podem interferir diretamente na população desses microrganismos benéficos. É o caso por exemplo do efeito residual de defensivos agrícolas e o uso de insumos com elevados teores de cloro e salinidade, como o Cloreto de Potássio (KCl).

 

O Cloreto de Potássio tem um efeito biocida, portanto, é nocivo para a microbiota do solo e pode comprometer a eficiência dos produtos biológicos.

O uso adequado do Metarhizium anisopliae pode trazer diversos benefícios para a agricultura

Em resumo, o Metarhizium anisopliae pode trazer diversos benefícios para a agricultura, que vão desde a promoção de crescimento das plantas ao controle de importantes pragas agrícolas.

Todavia, para que esses benefícios sejam aproveitados ao máximo pelo agricultor, é preciso seguir as boas práticas de aplicação desses fungos entomopatogênicos, incluindo o cuidado na escolha dos fertilizantes que favoreçam a saúde biológica da lavoura!

 

 

 

Compartilhe esta publicação