Bacillus Amyloliquefaciens Conheça Este Microrganismo E Seus Benefícios Na Agricultura

Bacillus amyloliquefaciens: conheça este microrganismo e seus benefícios na agricultura

Atualizado em::

A utilização de bactérias do gênero Bacillus na agricultura tem atraído cada vez mais a atenção de pesquisadores e agricultores. Isso graças ao potencial desses microrganismos em promover o crescimento de plantas através da ação de diferentes mecanismos. Dentre essas bactérias, a espécie Bacillus amyloliquefaciens já tem demonstrado resultados promissores no campo. Conheça mais sobre esse microrganismo e seus benefícios na agricultura.

Para que serve Bacillus amyloliquefaciens?

O microrganismo Bacillus amyloliquefaciens é uma espécie de bactéria gram-positiva benéfica, capaz de colonizar as raízes das plantas e que serve para diferentes propósitos de uso agronômico: desde a sua utilização para promoção do crescimento vegetal à supressão de fitopatógenos.

Tais benefícios estão relacionados à alta capacidade desse microrganismo em sintetizar diversas enzimas e metabólitos secundários benéficos às culturas agrícolas, como antibióticos e sideróforos.

No artigo Comparative analysis of the complete genome sequence of the plant growth-promoting bacterium Bacillus amyloliquefaciens FZB42, Xiao Hua Chen e outros pesquisadores estimam que mais de 8,5% do genoma de uma estirpe do Bacillus amyloliquefaciens é dedicado a produção desses compostos.

Outro aspecto que torna o uso do B. amyloliquefaciens tão atrativo na agricultura é a sua capacidade de formar estruturas resistentes (endósporos) às condições ambientais adversas, como a elevada temperatura, salinidade e baixa disponibilidade hídrica.

Assim, essas características somadas a diversas particularidades da espécie B. amyloliquefaciens são capazes de proporcionar diversos benefícios para a agricultura. Alguns exemplos são:

1. Aumento do rendimento produtivo agrícola

O Bacillus amyloliquefaciens está incluso dentro do grupo de microrganismos denominados rizobactérias promotoras de crescimento de plantas. Mas, o que isso significa? Que essa bactéria possui diferentes mecanismos que favorecem o crescimento e produtividade das plantas.

Dentre esses mecanismos, Jiahui Shao e outros pesquisadores destacam o aumento do conteúdo de pigmentos fotossintéticos das plantas, como a clorofila, e a produção de fitormônios, compostos voláteis e enzimas extracelulares.

Por exemplo, no artigo Use of Bacillus subtilis as biocontrol agent. VI. Phytohormone like action of culture filtrates prepared from plant growth-promoting Bacillus amyloliquefaciens FZB24, FZB42, FZB45 and Bacillus subtilis FZB37, os autores verificaram que o crescimento dos coleóptilos de milho foi atribuído à produção de bioativos por essas bactérias, como o ácido-indol-acético.

Em outras culturas, como a soja, a inoculação com B. amyloliquefaciens também demonstrou resultados promissores, promovendo um rendimento superior a 100% em uma cultivar inoculada com a espécie, em relação ao tratamento.

É o que apresenta Andersson Daniel Steffler e outros pesquisadores, no estudo Efeito do uso de Bacillus amyloliquefaciens sobre a produtividade de duas cultivares de soja.

Entretanto, há pesquisadores que também associam esses ganhos de produtividade a outros fatores, como a supressão de fitopatógenos e a melhoria da condição nutricional da lavoura.

2. Aumento da resistência das culturas contra fitopatógenos

Uma das habilidades de destaque do Bacillus amyloliquefaciens é a sua capacidade de colonizar as raízes das plantas e aprimorar diferentes mecanismos de resistência contra fitopatógenos.

O seu longo tempo de permanência no ambiente, associado à sua rápida taxa de crescimento e colonização da rizosfera, o tornam um competidor muito forte frente aos demais microrganismos fitopatogênicos presentes no solo.

Além disso, a própria produção de metabólitos secundários já mencionados também contribui para esse efeito de controle de doenças.

 

Diversas espécies de bacillus atuam no controle de doenças.

Na cultura da soja, o uso da bactéria B. amyloliquefaciens já mostra uma grande eficiência no controle da ferrugem asiática da soja, apresentando inclusive, resultados estatisticamente similares a tratamentos com controle químico.

3. Melhora da disponibilidade de nutrientes para as plantas

Naturalmente, grande parte dos microrganismos do solo está muito envolvida com a ciclagem de nutrientes entre os diferentes reservatórios orgânicos e inorgânicos do solo, como a matéria orgânica e os minerais do solo, respectivamente.

Algumas bactérias, como o Bacillus amyloliquefaciens, apresentam a capacidade de produzir metabólitos que estimulam o desenvolvimento das raízes e ajudam a melhorar a absorção de água e mobilização dos nutrientes dos minerais.

No artigo Efficacy of plant growth promoting bacteria Bacillus amyloliquefaciens B9601-Y2 for biocontrol of southern corn leaf blight, Wenyan Cui e outros pesquisadores constataram que a secreção de sideróforos por uma estirpe de B. amyloliquefaciens tem potencial para decompor minerais potássicos e fosfáticos, assim como a habilidade de fixar o nitrogênio atmosférico.

Nesse mesmo estudo, eles atribuíram essa capacidade de melhorar a disponibilidade de macronutrientes, como sendo uma das possíveis razões para a promoção no crescimento e desenvolvimento do milho constatado na pesquisa.

4. Favorecimento da saúde e qualidade do solo

Além dos aspectos nutricionais favorecidos pela presença de B. amyloliquefaciens, a própria saúde e qualidade do solo podem ser melhorados com a inoculação desses microrganismos.

Diversas pesquisas têm correlacionado a atividade dessa bactéria ao aumento sinérgico de várias enzimas do solo associadas com a qualidade do solo, como as invertases, fosfatases alcalinas e ureases.

Assim como outros estudos têm correlacionado o favorecimento de outras populações de rizobactérias benéficas e bactérias formadoras de endósporos aeróbicos com a presença do Bacillus amyloliquefaciens.

É o que demonstra Marleny Burkett-Cadena e outros pesquisadores no artigo Suppressiveness of root-knot nematodes mediated by rhizobacteria.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Verde AgriTech (@verdeagritech)

A presença de bactérias benéficas é essencial para um solo mais saudável.

5. Controle de nematoides

Por fim, um benefício de grande impacto econômico que o Bacillus amyloliquefaciens pode proporcionar é o controle de nematoides. Estima-se que, no Brasil, o prejuízo com esses vermes microscópios pode chegar a 16,5 bilhões de reais somente para a cultura da soja.

A produção de quitinases por cepas de B. amyloliquefaciens apresenta uma forte correlação positiva com o efeito nematicida provocado em algumas espécies, como o nematoide das galhas (Meloidogyne incognita) e o nematoide das lesões (Pratylenchus brachyurus).

No artigo Tratamento de sementes de soja com Bacillus amyloliquefaciens bv03 controla o nematoide Meloidogyne incognita, N.P. Graciano e outros pesquisadores constataram a redução da população de P. brachyurus nas raízes de soja de até de 65,4%, em relação a testemunha, com destaque para redução significativa de ovos, nematoides juvenis e número de galhas.

Por isso, os diversos benefícios que o Bacillus amyloliquefaciens é capaz de promover nos sistemas agrícolas são essenciais para melhorar a saúde e produtividade das lavouras.

O Bacillus amyloliquefaciens pode se tornar um grande aliado do agricultor

Na busca por uma agricultura cada vez mais sustentável e produtiva, o Bacillus amyloliquefaciens pode se tornar um grande aliado do agricultor.

Isso porque os diversos benefícios que essa bactéria é capaz de proporcionar para a qualidade e produtividade das lavouras, pode reduzir a utilização de insumos químicos no agroecossistema, proporcionando, a longo prazo, maior rentabilidade do agronegócio e valorizando o maior patrimônio que os agricultores devem preservar: o solo.

Assim, é imprescindível que o agricultor sempre conte com boas práticas agrícolas, como o uso de insumos livres de cloro e com baixo índice salino, para alcançar o melhor desempenho com a inoculação desse microrganismo benéfico no solo.

 

Compartilhe esta publicação