Silício na cana: conheça os benefícios - Silicio na cana conheca os beneficios

Silício na cana: conheça os benefícios

O silício é considerado como o elemento mais absorvido e acumulado pela cana, podendo acumular quase 400 kg/ha na parte aérea, dependendo da cultivar.  Esse dado, apresentado por G. Samuels no artigo Silicon and sugar, revela que a alta demanda de silício na cana indica que ele desempenha diversas funções importantes para a cultura. Conheça os benefícios do silício na cana!

Quais são os principais benefícios da adubação silicatada?

O silício (Si) é considerado pela comunidade científica desde 2015 como um elemento benéfico, porque a adubação silicatada é capaz de oferecer diversos benefícios para as culturas agrícolas.

Tais benefícios incluem a indução da resistência das plantas a pragas e doenças e o aumento da produtividade das culturas.

Estima-se que sete das dez principais culturas mais produzidas no mundo são acumuladoras de silício, estando entre elas o milho, o arroz, o trigo e a cana-de-açúcar. É o que apresentam Flore Guntzer e outros pesquisadores no artigo Benefits of plant silicon for crops: A review.

Na parte área das plantas, quando comparado ao acúmulo de nutrientes como o potássio, o nitrogênio e o fósforo, o acúmulo de silício na cana pode chegar a ser mais de duas vezes maior.

Contudo, esse acúmulo depende da disponibilidade desse elemento no solo e de alguns outros fatores.

No caso dos solos tropicais, esses teores de silício no solo geralmente são muito baixos, porque eles são altamente intemperizados e têm uma presença quase inexistente de minerais primários que contêm silício.

Nesse sentido, a adubação silicatada é indispensável para o acúmulo de silício na cana e a expressão de seus benefícios para as plantas. Dentre eles, os estudos acerca do assunto já destacaram os seguintes benefícios do silício para a cultura:

1. Aumento da produtividade

A aplicação de silício na cultura da cana-de-açúcar tem demonstrado resultados concisos para o aumento da produtividade das lavouras de cana-planta e cana-soca, no Brasil e também outros países.

No estudo Uso de silicatos em cana-de-açúcar, José Luiz Demattê e outros pesquisadores realizaram ensaios com adubação silicatada em três diferentes usinas de cana no estado de São Paulo.

Os resultados mostraram que a aplicação do nutriente nas lavouras gerou aumento da produtividade em até 15 toneladas por hectare.

Também no estado de São Paulo, o pesquisador Dorival Pires de Arruda conseguiu avaliar os teores de silício com 8 diferentes extratores, e correlacioná-los à produtividade da cultura da cana. Resultados que foram explorados no estudo Avaliação de extratores químicos na determinação de silício disponível em solos cultivados com cana-de-açúcar.Correlação entre os teores de silício no solo (mg.dm-3) obtidos com o extrator ácido acético e a produtividade da cana, em solos de textura argilosa (esquerda), média (direita) e arenosa (em baixo). (Fonte: ARRUDA, 2009)

Correlação entre os teores de silício no solo (mg.dm-3) obtidos com o extrator ácido acético e a produtividade da cana, em solos de textura argilosa (esquerda), média (direita) e arenosa (em baixo). (Fonte: ARRUDA, 2009)

Mas, como o silício pode aumentar a produtividade da cana-de-açúcar?

Pesquisadores como o Dr. Lawrence Datnoff, no estudo Silicon nutrition and sugarcane production: A review, associam o aumento da produtividade da cana-de-açúcar com os efeitos positivos que o uso da adubação silicatada promove, como:

  • Redução dos efeitos da toxicidade do alumínio, manganês e ferro;
  • Aumento da disponibilidade de fósforo;
  • Maior rigidez das folhas e dos colmos;
  • Aumento da eficiência hídrica vegetal;
  • Redução do acamamento.

Outros efeitos secundários que também favorecem a produtividade, como o tempo de maturação e teores de sólidos solúveis no caldo da cana, vêm sendo favorecidos pela adubação silicatada adequada.

2. Indução de resistência das plantas a pragas e doenças

Dentro do manejo integrado de pragas e doenças, o silício também pode atuar na indução de resistência das plantas, através da ativação ou desenvolvimento de  mecanismos físicos, químicos e fisiológicos.

Quando o silício é translocado das raízes para as partes superiores da cana, como o caule e as folhas, ele é depositado sob a forma de sílica amorfa nas células da epiderme vegetal. Essa deposição cria uma barreira física que:

  • Reduz a penetração dos fungos patogênicos;
  • Dificulta o processo de alimentação das pragas, como as lagartas;
  • Diminui ou atrasa a velocidade dos danos das pragas, otimizando a atuação de inimigos naturais e outros agentes de controle.

Além disso, estudos sugerem que o silício aumenta o metabolismo secundário das plantas e eleva a concentração de compostos de defesa, como fitoalexinas, fenóis e fenilpropanóides.

O pesquisador da Embrapa Anderson Carlos Marafon, em entrevista ao Jornal Dia de Campo, citou algumas das principais pragas e doenças que podem ser diminuídas com o acúmulo de silício na cana, como:

  • Cigarrinhas da folha (Mahanarva posticata) e das raízes (Mahanarva fimbriolata);
  • Ferrugem da cana-de-açúcar (Puccinia melanocephala);
  • Mancha anelar (Leptosphaeria sacchari);
  • Broca-da-cana (Diatraea saccharalis).

 

Práticas essenciais para usar o silício no controle de pragas da cana-de-açúcar.

3. Melhoria da resistência das plantas a condições de estresses abióticos

Quando as condições ambientais não são favoráveis para o desenvolvimento das plantas, seja pelo excesso ou deficiência de fatores como água, luz ou temperatura, os vegetais começam entrar em um estado de estresse.

Nessas condições, a produtividade das lavouras pode ser muito afetada. Mário Campos, presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), cita a seca como uma das principais causas na queda da produção de cana-de-açúcar 2021/22 frente à safra anterior.

Uma das soluções para esse problema pode ser encontrada com o uso de silício na cana.

Gelza Teixeira, mestra em Ciência do Solo, explica que o silício mantém o potencial hídrico foliar, realizando o ajuste osmótico das células. Além disso, ele auxilia nas trocas gasosas do processo de respiração das plantas.

Essa modulação do metabolismo das plantas e alteração das atividades fisiológicas favorece a cultura em condições de estresse hídrico, seja ele causado pela seca ou pela presença de outros fatores, como em solos com elevado índice salino.

Como, então, obter bons resultados com os benefícios da aplicação de silício na cana?

A importância da aplicação do silício na cana

Em resumo, o silício traz diversos benefícios para a cultura da cana. Entretanto, em solos tropicais, que podem ser mais arenosos e têm baixa concentração de silício, existe a necessidade de fazer a adubação silicatada.

Estudos como o artigo Symptoms of plant malnutrition silicon an ergonomically essential nutrient for sugarcane, de Robert L. Fox e James A. Silva, inclusive mostram que a resposta da adubação com silício na cana tem respostas melhores nesse tipo de solo. Isso porque  os teores desse elemento neles podem chegar a estar abaixo de 2 mg/kg no extrato saturado.

Assim, incluir o uso de fontes de silício no programa de adubação da cana é essencial para desfrutar todos os benefícios que esse elemento pode proporcionar aos canaviais!

Compartilhe esta publicação