Saiba como o silício ajuda no combate a pragas e doenças das plantas

Saiba como o silício ajuda no combate a pragas e doenças das plantas

O silício é um elemento benéfico, que possui uma ampla variedade de benefícios para as plantas, dentre eles o combate de pragas e doenças de plantas. Entenda sobre os diferentes mecanismos desse elemento que já está sendo utilizado no Manejo Integrado de Pragas e Doenças. 

A relação entre o silício e as plantas

O silício é um nutriente reconhecido como um elemento benéfico pela comunidade científica desde 2015. Esses elementos são importantes para o crescimento e desenvolvimento das plantas, mas que a ausência não é um fator limitante. Elementos como o silício, sódio e cobalto são considerados benéficos por:
  • Compensar ou eliminar os efeitos tóxicos de outros elementos;
  • Substituir um elemento essencial em alguma de suas funções menos específicas;
  • Serem essenciais apenas para algumas espécies.

Além disso, o seu envolvimento no fortalecimento das defesas das plantas contra pragas, doenças, são o maior ponto de destaque que incluiu o silício como mais uma ferramenta no Manejo Integrado de Pragas e Doenças.

Ele está disponível na solução do solo e é absorvido pelas plantas na forma de ácido silícico (H4SiO4). Para a maioria das plantas acumuladoras de silício, a disponibilidade e absorção do elemento está fortemente relacionada ao pH do solo. Quanto maior o pH, maior a disponibilidade de silício no solo, levando, consequentemente, à maior absorção pela planta

Uma vez absorvido pela planta, o silício pode gerar dois efeitos diferentes: o acúmulo nas células epidérmicas e a ativação de reações de defesa natural da planta. Ambos efeitos vão desempenhar um papel essencial em fortalecer a planta contra pragas, doenças e estresses abióticos.

A deposição de sílica abaixo da camada de tecido vegetal, chamada cutícula, gera uma barreira física na planta. Isso acaba dificultando o ataque insetos sugadores e mastigadores danificando os seus aparelhos bucais, como também a penetração de alguns fitopatógenos, como os fungos.

A resistência mecânica também é capaz de diminuir ou atrasar a velocidade de danos de algumas pragas nas plantas. Assim, elas ficam mais suscetíveis a atuação de inimigos naturais, condições climáticas desfavoráveis e métodos químicos de controle.

Outro efeito complementar do silício é o aumento dos tricomas. Eles são os pequenos pelos que ficam na superfície da planta, tornando as suas partes menos palatáveis e dificultando a digestão dos insetos. Na foto, uma lagarta da espécie Helicoverpa armigera em folhas de soja. (Fonte: ARAÚJO, S. J. - Embrapa Arroz e Feijão)

Outro efeito complementar do silício é o aumento dos tricomas. Eles são os pequenos pelos que ficam na superfície da planta, tornando as suas partes menos palatáveis e dificultando a digestão dos insetos. Na foto, uma lagarta da espécie Helicoverpa armigera em folhas de soja.
(Fonte: ARAÚJO, S. J. – Embrapa Arroz e Feijão)

Os estudos já comprovam a eficácia da atuação do silício contra as seguintes 5 principais pragas:

  • Lepidóptera (mariposas e borboletas);
  • Acarina (ácaros);
  • Hemípteras (percevejos e pulgões);
  • Díptera (moscas);
  • Coleóptera (besouros).

Um efeito mais indireto do silício contra pragas, é sua capacidade de ativar de reações de defesa naturais da planta. Ele faz com que essas expressões sejam maiores ou mais eficientes com a atração de inimigos naturais dos insetos pragas.

E a sua atuação bioquímica na planta, também é capaz de potencializar alguns mecanismos que desaceleram a colonização de tecidos infectados por fitopatógenos e ainda é capaz de aumentar o nível de substâncias pigmentastes, que são importantes para a fotossíntese das plantas.

Porém, a doutora em Entomologia Agrícola pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP) e Professora do Curso de Agronomia da Faculdade Anhanguera, Dra. Ana Clara Ribeiro de Paiva destaca:

“Quando falamos em resistência em plantas através da aplicação de silício, estamos falando de uma resistência induzida, ou seja, a manifestação dessa resistência é temporária”. Isso faz com que esse efeito não seja herdado geneticamente e sejam necessárias reaplicações do nutriente para manter o efeito.

Quais são alguns dos resultados que o silício já demonstrou a campo?

Os benefícios do silício a campo

Durante o Congresso Plant Health 2019, realizado pela Sociedade Americana de Fitopalogia (APS), o pesquisador Prof. Fabrício de Ávila Rodrigues, Ph.D. em Fitopatologia pela University of Florida (EUA) e um dos maiores nomes da pesquisa sobre silício no controle de doenças de plantas no mundo, mostrou como o silício pode ajudar no controle da Ferrugem Asiática da Soja e também de outras doenças e pragas.

A Ferrugem Asiática da Soja foi detectada pela primeira vez no Brasil em 2001 e desde então causa prejuízos milionários com perdas de até 90% nas safras, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Na pesquisa Asian Soybean Rust Control on Soybean Sprayed with a New Source of Soluble Silicon, o Prof. Fabrício e outros pesquisadores do Departamento de Fitopatologia da Universidade Federal de Viçosa investigaram o potencial do Silício Forte, fertilizante rico em silício produzido pela Verde, em reduzir os sintomas da Ferrugem Asiática.

Segundo Fabrício, houve redução de 42% na severidade da doença nas plantas que receberam a aplicação do Silício Forte em comparação com as plantas do tratamento controle (aplicação de água). Ele explica:

“Com o silício ocorre um atraso no aparecimento dos sintomas das doenças foliares devido a maior dificuldade na penetração dos patógenos fúngicos bem como no surgimento das estruturas reprodutivas. Assim, a planta tem mais tempo de ativar os seus mecanismos de defesa contra a infecção pelo patógeno”.

Na cultura do café, o silício já vem demonstrando resultados no controle de nematoides. No artigo Biochemical responses of coffee resistance against Meloidogyne exigua mediated by silicon, o Dr. Fabrício e seus colegas inocularam ovos do parasita em dois diferentes cultivares de café C. arábica e avaliaram o potencial da nutrição com silício no manejo integrado para o controle de nematoides de galha.

Raízes de cafeeiros infectadas pelo nematoide Meloidogyne exigua, exibindo galhas arredondadas típicas nas extremidades das raízes. (Fonte: KRZYZANOWSKI, A. A. 2006)

Raízes de cafeeiros infectadas pelo nematoide Meloidogyne exigua, exibindo galhas arredondadas típicas nas extremidades das raízes. (Fonte: KRZYZANOWSKI, A. A. 2006)

Após 120 dias, os pesquisadores avaliaram parâmetros como a quantidade de ovos presentes nas raízes do café, bem como a penetração dos nematoides no sistema radicular e concluíram que os pés de café que receberam o tratamento com silício tiveram uma resposta bioquímica mais eficiente contra a infecção.

Nos pés de café tratados com silício, houve redução da capacidade reprodutiva do nematóide nas raízes, associado ao aumento da produção de lignina e da atividade das enzimas peroxidase de fenóis (POX), polifenoloxidase (PPO) e fenilalanina amonialiase (PAL).

Já na cana-de-açúcar, a Dra. Ana Clara Ribeiro de Paiva destaca que os efeitos do silício estão indo muito além do controle de pragas, estando relacionados ao:

  • Aumento da produtividade e eficiência fotossintética;
  • Melhor suprimento de carboidratos;
  • Maior assimilação amônia;
  • Maior tolerância a adubações concentradas com nitrogênio;
  • Maior força dos colmos;
  • Melhor perfilhamento;
  • Maior proteção de danos causados pela radiação UV;
  • Maior resistência ao ataque de nematoides e doenças.

Considerando todos os benefícios e resultados que o uso do silício na agricultura vem proporcionando e o seu potencial para reduzir o volume do uso do controle químico para o manejo de pragas e doenças, ele se mostra como um dos caminhos para uma agricultura mais sustentável.

O uso do silício é um dos caminhos para uma agricultura mais sustentável

O silício é um elemento benéfico capaz de fortalecer as defesas das plantas contra pragas e doenças através de diferentes mecanismos e já vem comprovando a sua eficácia e seus diversos benefícios em culturas como a soja, café e cana-de-açúcar.

O uso silício no manejo agrícola é um dos caminhos para desenvolver uma agricultura cada vez mais sustentável e garantir uma maior sustentabilidade financeira das propriedades rurais, como explica o Prof. Fabrício Rodrigues:

Assim, fertilizantes ricos nesse elemento, como o Silício Forte, são elementos chave para que o agricultor tenha mais qualidade e produtividade na lavoura!

Compartilhe esta publicação