K Forte

Produtor agrícola de Jaboticabal fala sobre os resultados do K Forte® nas lavouras de cana-de-açúcar e soja

Paulo Eduardo Garcia Junior, conhecido como Eduardo Garcia, é Engenheiro Agrônomo e produtor agrícola em Jaboticabal, interior de São Paulo. Há mais de 70 anos, a família de Eduardo cultiva diversas culturas, entre elas a cana-de-açúcar e a soja. Depois de adotar o manejo orgânico na lavoura, Eduardo Garcia conheceu o K Forte®. Saiba quais os resultados positivos do fertilizante multinutriente da Verde Agritech trouxe para a lavoura dele e como o K Forte® otimizou o manejo biológico de pragas!

Encontrando um fertilizante para um manejo agrícola orgânico

Juntamente com a sua família, Eduardo Garcia é proprietário da Agronômica 3G. A empresa tem um módulo de produção na Fazenda São José, localizada Jaboticabal. Ele conta que a propriedade está na família há pelo menos 70 anos.

Segundo Eduardo, na década de 70 a família fez a transição do cultivo de culturas como algodão, café e laranja para a cana-de-açúcar. Entretanto, a essa época eles ainda realizavam o manejo convencional da lavoura.

Posteriormente, eles passaram a trabalhar como manejo orgânico e, por volta de 2016, Eduardo e a família começaram a trabalhar com a soja orgânica. Nesse período, Eduardo conta que conheceu o K Forte®.

Eduardo Garcia conta que, após um período de testes, ficou muito satisfeito com os resultados e de lá para cá tem utilizado o fertilizante multinutriente da Verde Agritech na lavoura:

“Hoje nós já estamos já com um canavial implantado sobre esta área, já está indo para o quarto corte e a cana está excepcional. Vai nos dar um resultado muito bom, eu espero. E de lá pra cá a gente vem usando todo o ano o K Forte®.”

Mas, quais são os resultados que o K Forte® trouxe para a lavoura de Eduardo Garcia?

K Forte®: fertilizante sem cloro e compatível com o controle biológico de pragas

Um dos pilares do cultivo orgânico é a utilização de métodos culturais, biológicos e mecânicos, em contraposição ao uso de materiais sintéticos e químicos.

Isso inclui o uso de defensivos e alguns tipos de fertilizantes. Nesse sentido, Eduardo Garcia conta que o K Forte®, além de trazer bons resultados nutricionais para cana-de-açúcar, contribui com o manejo biológico:

“A gente vê que está um canavial sadio, um canavial bem satisfatório em resultados. E a gente tem um acompanhamento de levantamento de pragas. Então, a gente vê, nesses anos, além do manejo orgânico e o uso de biológicos, a gente está tendo um equilíbrio de controle de pragas, nós temos um aporte mineral que tem auxiliado nesse controle de pragas.”

Isso acontece em razão de alguns motivos. O primeiro deles é que, graças à sua matéria-prima nacional rica em glauconita, o K Forte® não somente eficiente no fornecimento de potássio, mas também é livre de cloro.

O cloro é um micronutriente necessário para as plantas, mas requerido em quantidades muito pequenas e que geralmente já são fornecidas pelo próprio solo. Assim, quando se utiliza fertilizantes com um alto teor desse nutriente, como é o caso do Cloreto de Potássio (KCl), há um excesso de cloro sendo aplicado no solo.O Cloreto De Potássio É Composto Por Aproximadamente 47% De Cloro

O Cloreto de Potássio é composto por aproximadamente 47% de cloro.

O excesso de cloro no manejo, além de trazer sintomas de fitotoxidez para as plantas, traz consequências ao solo. Ele aumenta, por exemplo, a compactação e a salinidade. Isso, por sua vez, juntamente com o potencial biocida do cloro, tem um reflexo na saúde biológica do solo.

Como comparação, a pesquisadora Heide Hermary, no artigo Effects of some synthetic fertilizers on the soil ecosystem, descreve que a aplicação de 200Kg de Cloreto de Potássio equivale a despejar 1600 litros de água sanitária no solo.

Mesmo A Aplicação De Uma Quantidade Pequena De Cloreto De Potássio No Solo, Como 50Kg Ainda Equivale A Despejar 400 Litros De Água Sanitária, Causando Danos À Microbiota

Mesmo a aplicação de uma quantidade pequena de Cloreto de Potássio no solo, como 50Kg ainda equivale a despejar 400 litros de água sanitária, causando danos à microbiota.

Assim, o uso de fertilizantes que sejam livres de cloro, como é o caso do K Forte®, favorece a saúde biológica do solo. Consequentemente, o manejo biológico de pragas e doenças, que também utiliza os microrganismos benéficos do solo, é favorecido.

Mas, além disso, o fertilizante multinutriente da Verde Agritech tem ainda outras características que são benéficas para o manejo de pragas e doenças das lavouras.

K Forte® traz os benefícios do silício para o manejo de pragas

Graças à sua matéria-prima, o K Forte® fornece às lavouras não somente o potássio, mas também nutrientes como o magnésio e o manganês.

Além disso, ele também é rico em silício. É o que ressalta Eduardo Garcia, que fala também sobre os benefícios desse elemento para as plantas:

“Com o uso do K Forte®, que fornece potássio, mas ele é muito rico em silício, isso trouxe benefícios para nós. Isso trouxe benefícios porque o silício faz parte da estrutura da planta. Então com certeza ele tem deixado esse benefício de uma planta mais estruturada, uma parede celular mais estruturada, uma parede mais resistente ao ataque dessa praga.”

De fato, o silício tem ganhado cada vez mais destaque entre as pesquisas da área agrícola, sendo considerado como um elemento benéfico para as plantas e com alguns pesquisadores inclusive propondo que ele seja considerado um nutriente essencial.

Isso porque ele traz diversos benefícios para as plantas, entre os quais estão a melhoria da estrutura das plantas e também a indução da resistência às pragas e doenças. A explicação para isso se dá, de maneira geral, através de dois meios.

A primeira é através da deposição do silício nas camadas do tecido vegetal. Isso torna a planta mais estruturada e também dificulta a ação de insetos praga, já que as folhas mais resistentes acabam danificando o aparelho bucal deles.

Já a segunda é através da atuação do silício no metabolismo vegetal, estimulando a produção de enzimas, por exemplo.

Eduardo Garcia conta que, além dos bons resultados na cana-de-açúcar, esses efeitos benéficos do silício foram percebidos também nas lavouras de soja com as quais ele trabalha.

Além da atuação na resistência aos estresses bióticos, os efeitos benéficos do silício também incluem a indução da resistência a estresses abióticos, como a seca e a geada. Nesse sentido, Eduardo Garcia destaca a boa recuperação do canavial após um período de falta de chuvas.

Assim, graças aos resultados positivos com o K Forte®, Eduardo Garcia pretende continuar utilizando o fertilizante multinutriente da Verde Agritech, além de também já estar fazendo testes com BAKS®, outro fertilizante da empresa.

Ele destaca que assim pode repor os nutrientes do solo e, além disso, trazer melhorias na resistência a pragas:

“Então, além da gente estar repondo nutrientes no solo, além da gente estar refazendo a estrutura do nosso solo com produtos naturais, nós estamos beneficiando nossas plantas nutricionalmente e com uma estrutura muito mais resistente a essas pragas”

Veja o depoimento completo de Paulo Eduardo Garcia Junior no vídeo:

 

O K Forte® otimiza o manejo agrícola e é compatível com o controle biológico de pragas

A experiência de Paulo Eduardo Garcia Junior mostra que o K Forte® é uma fonte de potássio eficiente e que trouxe resultados positivos para diversas culturas.

Além de ser aprovado para o uso na agricultura orgânica, o fertilizante multinutriente da Verde Agritech ainda é rico em silício. Os benefícios desse elemento para as plantas incluem indução da resistência das plantas aos estresses bióticos e abióticos. O K Forte® ainda é fonte de magnésio e manganês, tornando o manejo nutricional mais completo.

Além disso, sendo um fertilizante livre de cloro, a saúde da microbiota do solo também é favorecida, o que potencializa a saúde biológica do solo além de ser  compatível com o controle biológico de pragas!Kforte_Bannerblog

Compartilhe esta publicação