Nitrogênio na agricultura: saiba porque o manejo desse nutriente é tão importante

Nitrogênio na agricultura: saiba por que o manejo desse nutriente é tão importante

A fertilidade do solo é de extrema importância para a agricultura, pois é ela que garante a produtividade das lavouras. Um elemento fundamental para essa fertilidade é o nitrogênio. A grande questão é como fazer o manejo correto desse nutriente, visando um uso mais eficiente e responsável, evitando perdas e minimizando possíveis danos ao meio ambiente. Saiba por que o manejo do nitrogênio na agricultura é tão importante e quais as melhores boas práticas de manejo desse macronutriente nas lavouras!

Qual é a função do nitrogênio na agricultura?

Conhecido como um macronutriente do crescimento e desenvolvimento vegetal, o nitrogênio está entre os nutrientes mais requeridos pelas culturas agrícolas fazendo parte do grupo dos macronutrientes primários, juntamente com o potássio e o fósforo. 

Tal importância do nitrogênio na agricultura está associado aos diversos processos fisiológicos e estruturais nos quais ele participa, atuando diretamente: 

  • Na fotossíntese, por ser parte constituinte das clorofilas e ser responsável pela coloração verde da planta; 
  • No desenvolvimento pleno do sistema radicular; 
  • Nas funções enzimáticas e ser componente de diversas proteínas. 

Esses diferentes processos nos quais o nitrogênio participa faz com que esse macronutriente proporcione diversos benefícios para as culturas agrícolas, tendo um impacto muito positivo na produtividade e qualidade das lavouras. 

Do outro lado, a deficiência de nitrogênio pode limitar o crescimento das plantas, já que esse nutriente é importante para a formação de estruturas vegetativas, como folhas, caules e raízes. A falta de nitrogênio pode, ainda, afetar a qualidade dos alimentos produzidos, comprometendo a sua valorização no mercado. 

Quando pensamos em adubação do solo, o nitrogênio é um dos primeiros nutrientes que vem à mente.

Por isso, fazer o manejo correto do nitrogênio na agricultura é indispensável para alcançar uma alta performance das lavouras. 

O manejo do nitrogênio na agricultura

Quando pensamos no manejo do nitrogênio na agricultura, um dos primeiros aspectos a serem considerados é o ciclo no qual esse macronutriente está inserido. 

O ciclo do nitrogênio, também conhecido como o ciclo do azoto, é considerado um dos processos de ciclagem de nutrientes mais importantes para a sustentação dos sistemas de produção de alimentos no mundo. 

Do ponto de vista agrícola, o ciclo do nitrogênio é considerado indispensável para a nutrição de diversas culturas agrícolas, uma vez que ele permite que esse nutriente esteja disponível para a absorção das plantas. 

Representação esquemática do ciclo do nitrogênio
Representação esquemática do ciclo do nitrogênio (Fonte: Gomes et al., 2000)

Diferentemente de grande parte dos demais nutrientes, o nitrogênio pode ser absorvido tanto na forma de cátion (NH4+) como de ânion (NO3–). O nitrogênio se encontra presente no solo na forma orgânica, como também na forma de minerais de amônio, nitrato e nitrito. 

Quando o nitrogênio está em sua forma orgânica, ele poderá ser disponibilizado para as plantas através do processo biológico de mineralização da matéria orgânica que é realizado principalmente pela ação dos microrganismos do solo. 

Adicionalmente, algumas culturas agrícolas também conseguem ter acesso a esse macronutriente através do processo de fixação biológica de nitrogênio (FBN) que também é realizado por algumas espécies de microrganismos que formam uma relação simbiótica com as plantas. 

As plantas leguminosas por exemplo, família à qual a soja pertence, estão entre os principais grupos que se beneficiam da FBN. 

Para potencializar os efeitos da fixação biológica de nitrogênio na agricultura, é comum que sejam utilizados inoculantes específicos na cultura de interesse ou mesmo a prática da adubação verde entre as safras da cultura principal, que traz muitos benefícios além da FBN. 

Segundo a Empresa Brasileria de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no uso documento Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth: leguminosas para adubação verde do solo e alimentação animal, as plantas usadas na adubação verde via de regra são da família das leguminosas. 

Mas, além do uso de inoculantes e da adubação verde, uma das formas mais comuns de fornecer nitrogênio para plantas é através da adubação nitrogenada. 

Como deve ser feita a adubação nitrogenada?

Outra forma muito comum de disponibilizar o nitrogênio para as plantas é através da adubação nitrogenada com adubos orgânicos, como compostos orgânicos, e os fertilizantes minerais, como a ureia, o sulfato de amônio e o nitrato de amônio. 

Para que o agricultor tenha uma escolha assertiva da fonte de nitrogênio, é recomendado que ele sempre leve em consideração o custo, a disponibilidade, a eficiência e o impacto ambiental. 

De forma geral, um dos principais problemas enfrentados pelo agricultor na hora de fazer a adubação nitrogenada são as perdas de nitrogênio pelos processos de lixiviação e volatilização. 

Recomenda-se que, para evitar as perdas de nitrogênio, o agricultor busque parcelar as aplicações, fazer a incorporação dos fertilizantes no solo e utilizar fertilizantes de liberação mais progressiva, como o K Forte® 

Um estudo conduzido pelo Dr. Carlos Henrique Eiterer de Souza e pelo Dr. Fábio Aurélio Dias Martins mostrou que o K Forte®, fertilizante multinutriente da Verde Agritech, é capaz de contribuir para reduzir o problema da volatilização.  

Os resultados obtidos mostraram que houve redução nas perdas por volatilização proporcional a quantidade de K Forte® utilizado: quanto mais K Forte®, menor a perda de nitrogênio.    

Resultados da redução das perdas de nitrogênio por volatilização com diferentes tratamentos com K Forte®.

Resultados da redução das perdas de nitrogênio por volatilização com diferentes tratamentos com K Forte®.

Além disso, uma outra grande vantagem do K Forte® e de outros fertilizantes multinutrientes da Verde Agritech, como o BAKS®, é que eles favorecem a saúde da microbiota do solo, o que potencializa os benefícios da fixação biológica de nitrogênio e da adubação verde valorizando, assim, o investimento do agricultor. 

Portanto, tanto o K Forte® quanto o BAKS® podem se mostrar como uma excelente escolha para o agricultor que busca por fertilizantes eficientes e que não sofrem com grande parte dos problemas das fontes convencionais de nitrogênio 

Escolher o fertilizante adequado é essencial para fazer o bom manejo do nitrogênio na agricultura

Em resumo, o nitrogênio é um nutriente fundamental para a agricultura, mas o seu manejo inadequado pode trazer prejuízos ao meio ambiente e afetar a produtividade das lavouras.  

Portanto, o uso responsável e eficiente do nitrogênio na agricultura requer planejamento e estratégia, sempre utilizando as fontes disponíveis mais adequadas e levando em consideração as características do solo e da cultura para alcançar a melhoria da produtividade e qualidade da lavoura! 

Compartilhe esta publicação