Dicas para entender como as interações entre os nutrientes influenciam a dinâmica do potássio do solo

Dicas para entender como as interações entre os nutrientes influenciam a dinâmica do potássio do solo

Você sabia que a concentração de alguns nutrientes no solo, pode comprometer a absorção de outros?  Essa interação é conhecida como inibição e ela pode influenciar na dinâmica dos nutrientes do solo, incluindo o potássio. Entenda o que é esse fenômeno e como ele pode afetar o manejo nutricional das lavouras.

O que é inibição competitiva e não competitiva dos nutrientes?

A inibição é um fenômeno químico que ocorre quando um nutriente diminui a absorção de outro e que pode ser dividido em dois grupos: inibição competitiva e inibição não competitiva.

Segundo o Jornal Informações Agronômicas 149, do International Plant Nutrition Institute (IPN), na inibição competitiva, dois elementos competem pelo mesmo local de absorção nas membranas celulares da planta e diminuem a absorção daquele que estiver em menor concentração.

De forma análoga, a inibição não competitiva acontece quando os nutrientes não competem pelo mesmo local de absorção.

Exemplos de relações de inibição competitiva e não competitiva. (Fonte: Adaptado: KANASHIRO, S., 2005)

Exemplos de relações de inibição competitiva e não competitiva. (Fonte: Adaptado: KANASHIRO, S., 2005)

Esses locais de absorção são conhecidos como canais, carreadores e bombas. Eles são estruturas presentes nas membranas celulares da planta que funcionam como portas de entrada e saída de nutrientes.

De maneira geral, os canais transportam elementos com cargas positivas (cátions) sem gasto de energia, enquanto os carreadores transportam aqueles com carga negativa (ânions) com gasto de energia

Tipos de transporte e da atividade das bombas, carreadores e canais presentes nas membranas celulares das plantas.

Tipos de transporte e da atividade das bombas, carreadores e canais presentes nas membranas celulares das plantas. (Fonte: Adaptado de Taiz & Zeiger, 1998)

Entretanto, o transporte dos nutrientes pelos canais é dependente da concentração do meio. Ou seja, a concentração do nutriente no solo precisa ser maior do que aquela no interior da planta para haver o transporte.

Mas, o que acontece se a concentração dos nutrientes com carga positiva no solo for muito baixa? A planta gasta energia para realizar o transporte através de outros mecanismos, como a Bomba de Sódio e Potássio no caso do potássio (K+).

O potássio, é um bom exemplo de um nutriente catiônico que teve seus teores de K trocável reduzidos nos solos. Fábio Alvares de Oliveira e demais pesquisadores do artigo Disponibilidade de potássio e suas relações com cálcio e magnésio em soja cultivada em casa-de-vegetação, atribuem como causas desse fenômeno na cultura da soja, como:

  • Diminuição da quantidade de K utilizada nos programas de fertilização;
  • Aumento da extração de K do solo, gerado pelo melhoramento genético dos cultivares para aumento de produtividade;
  • Uso intensivo das terras pelos programas de cultivos sucessivos.

Como, então, as interações entre os nutrientes podem afetar a absorção de potássio?

A influência das interações entre os nutrientes na absorção de potássio

Os resultados do mesmo estudo de Fábio Alvares de Oliveira e demais pesquisadores, demonstraram que as maiores produções da cultura da soja foram obtidas quando houve um maior equilíbrio dos teores foliares de K, Ca e Mg.

Esse equilíbrio é importante porque a planta apresenta a absorção preferencial de alguns íons. No Jornal Informações Agronômicas 149, do International Plant Nutrition Institute (IPN), os pesquisadores Maria Ligia de Souza Silva e Anderson Ricardo Trevizam explicam que na relação potássio (K+), cálcio (Ca2+) e magnésio (Mg2+), existe uma absorção preferencial do potássio.

Segundo os pesquisadores, isso acontece porque o íon K+ é monovalente e de menor grau de hidratação quando comparado aos divalentes, como o Mg2+. Dessa forma, o potássio pode atravessar a membrana plasmática da planta com maior velocidade, diminuindo a absorção de cátions mais lentos como Ca e Mg.

Contudo, eles ressaltam que relação inversa também pode ocorrer. Práticas como a calagem, por exemplo, promovem o aumento das concentrações de Ca e Mg do solo, relativamente à do K , podendo reduzir a absorção de potássio pelas raízes e provocar sintomas de deficiência na planta.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Verde AgriTech (@verdeagritech)

Os sinais visuais de deficiência nutricionais na planta podem se manifestar em folhas mais novas ou mais velhas, dependendo da mobilidade do nutriente.

Mas, a influência negativa da calagem na absorção de potássio geralmente só é observada quando há a aplicação indiscriminada do calcário no solo. Quando realizada de forma adequada, a calagem pode inclusive favorecer a produtividade das culturas.

No artigo Efeito da calagem sobre a produtividade de grãos, óleo e proteína em cultivares precoces de soja, Hipólito Assunção Antonio Mascarenhas e os demais pesquisadores observaram que independentemente de cultivares, a calagem aumentou a produtividade e a concentração de proteínas nos grãos de soja.

Nesse sentido, é imprescindível proporcionar um bom equilíbrio nutricional e das práticas agrícolas da lavoura para favorecer a disponibilidade de potássio e de outros nutrientes no solo.

Dicas para favorecer a disponibilidade de potássio e de outros nutrientes no solo

O equilíbrio nutricional e as práticas de correção do solo estão entre os principais fatores que vão afetar as relações de inibição competitiva e não competitiva que envolvem o potássio e os demais nutrientes relacionados a ele. Com isso, existem algumas práticas que podem favorecer esses dois manejos:

1) Avaliar uma maior diversidade de índices para orientação das recomendações de adubação

Alguns estudos sugerem a importância de se avaliar uma maior diversidade de índices para orientação das recomendações de adubação para alcançar o equilíbrio nutricional, como o artigo Disponibilidade de potássio e suas relações com cálcio e magnésio em soja cultivada em casa-de-vegetação.

Nesse estudo, os pesquisadores destacaram que a utilização do teor de K trocável como fator de avaliação do K disponível do solo, pode não ser adequado. Porque o potássio é um elemento que apresenta elevada mobilidade e os solos possuem características mineralógicas, físicas e químicas distintas.

Para a cultura da soja, por exemplo, os pesquisadores encontraram evidências de que a relação (Ca+Mg)/K trocável no solo constitui um índice importante de avaliação da disponibilidade do K no solo.

2) Aplicar dosagens adequadas de calcário no solo

A calagem é uma prática agrícola responsável principalmente por corrigir o pH do solo, neutralizar metais potencialmente tóxicos e fornecer de nutrientes importantes para as plantas, como Ca e Mg.

Ela também é capaz inclusive de auxiliar na manutenção do teor de K trocável, pois aumenta a Capacidade de Troca Catiônica (CTC) efetiva do solo e reduz as perdas por lixiviação dos nutrientes.

Essa prática deve ser executada dentro das recomendações e especificações técnicas, com o auxílio de um profissional especializado, para evitar condições de supercalagem.

Assim, a realização adequada da calagem, aliada as recomendações de adubação vão favorecer a boa eficiência da adubação potássica e da disponibilização outros nutrientes para a lavoura.