Enxofre Em Pastagens Qual A Importância Da Adubação

Enxofre em pastagens: qual a importância da adubação?

Atualizado em::

Você sabia que manter os teores adequados de enxofre no solo pode incrementar a produtividade das pastagens e ainda melhorar o desempenho da nutrição dos animais? Entenda qual a importância da adubação com enxofre em pastagens e como garantir um bom manejo desse nutriente no campo!

Qual é a função do enxofre nas pastagens?

O enxofre desempenha funções muito importantes para as pastagens, contribuindo para o aumento da produção da matéria seca e melhorando a qualidade nutricional dessas forrageiras para alimentação animal.

O aumento da produção de matéria seca das pastagens acontece porque o enxofre é constituinte de moléculas orgânicas que estão relacionadas ao processo fotossintético das plantas, como o aminoácido cisteína e a enzima RuBisCO.

Além disso, o enxofre também pode trabalhar em sinergismo com outros nutrientes que favorecerem as pastagens. Esse é o caso do o nitrogênio, um nutriente com capacidade de promover altos incrementos na produção de biomassa e na capacidade de suporte das pastagens.

Estudos indicam que o enxofre pode melhorar a eficiência do uso do fertilizante nitrogenado e aumentar a resposta da planta forrageira ao nitrogênio aplicado.

No artigo Produção de massa seca, eficiência e recuperação do nitrogênio e enxofre pelo capim-tanzânia adubado com nitrogênio, potássio e enxofre, Kátia Aparecida de Pinho Costa e outros pesquisadores observaram que foi necessário aumentar a dose de enxofre à medida que se aumentou a dose de nitrogênio, para se obter concentrações adequadas de ambos os nutrientes no capim-tanzânia.Concentração Foliar De Enxofre No Capim-Tanzânia Em Função De Doses De Nitrogênio E Enxofre.

Concentração foliar de enxofre no capim-tanzânia em função de doses de nitrogênio e enxofre. (Fonte: Monteiro et al., 2004)

Os ganhos de produtividade proporcionados pelo enxofre também se refletem no componente animal dos sistemas de produção, uma vez que a adubação sulfatada adequada é capaz de favorecer:

  • O teor de proteínas das forrageiras;
  • A digestibilidade dos animais;
  • Taxa de conversão alimentar;
  • Apetibilidade.

Esses benefícios estão ligados à relação do enxofre com a produção de óleos e compostos aromáticos que liberam os sabores e aromas aos animais. Além disso, o enxofre também tem ligações com a conversão do nitrogênio não-proteico em proteico, o que acaba favorecendo a qualidade nutricional da forragem.

Em forrageiras de inverno, como o azevém, por exemplo, já se comprovou uma correlação positiva entre os níveis de enxofre e a digestibilidade da matéria seca das plantas por carneiros. Isso, por sua vez promove um incremento de ganho de peso dos animais.

Além disso, Godofredo Cesar Vitti e outros pesquisadores, no estudo Manejo do enxofre na agricultura, destacam a importância da relação entre o enxofre e o nitrogênio, explicando que eles “andam juntos” no metabolismo das plantas através de duas rotas principais:

Isso se traduz numa relação direta na qualidade dos alimentos, o que inclui a forragem, e dos seres que consumem esses alimentos.

Godofredo César Vitti e seus colegas explicam que, em relação à formação de proteínas de qualidade, o nitrogênio faz parte da formação dos 20 aminoácidos que compõem as proteínas. Desses aminoácidos, o enxofre é um componente em quatro: a cistina, a metionina, a cisteína e a taurina.

Dessa maneira, quando há a ausência ou deficiência do enxofre durante o crescimento das plantas há também a formação de proteínas de baixa qualidade. Vale destacar que o consumo de plantas deficientes em cistina e metionina é responsável por doenças irreversíveis em animais e no homem, como escorbuto, hemofilia e cegueira noturna, dentre outras.

Estudos também indicam que o consumo indireto do enxofre contido nas pastagens é essencial para uma maior síntese de proteína microbiana, que favorece o desempenho animal. Para bovinos não lactantes, a exigência de enxofre pode chegar a corresponder à 0,10% da matéria seca consumida.

Em entrevista à GlobalFert, o engenheiro agrônomo Eduardo S. Silva ressalta:

“Em análises bromatológicas, que medem o valor nutritivo das plantas, foi comprovado que quem investe no enxofre obtém pastagem com mais proteínas. Os bovinos que ingerem essa alimentação resultam em animais mais musculosos, no caso do gado de corte, ou com maior produção de leite, no caso do gado leiteiro.”

Diante da relevância desse nutriente, como, então, fazer o manejo do enxofre em pastagens?

O manejo do enxofre em pastagens

Garantir um bom manejo do enxofre em pastagens é uma prática essencial para evitar problemas relacionados a redução de produção de matéria seca das forrageiras e desbalanços nutricionais nos animais.

Patricia Menezes Santos, juntamente com outros pesquisadores da Embrapa, no material Adubação de pastagens, sugere que para adubação de pastagens em sistemas intensivos seja aplicado entre 60 a 90kg/ha de enxofre.

Quantidade essa que deve ser ajustada de acordo com a análise do solo, usando sempre os métodos de análise que mais se adequem aos objetivos da propriedade rural.

Também existem práticas que podem favorecer a disponibilidade de enxofre no solo, visto que cerca de 90% do enxofre nos solos encontra-se em formas orgânicas.

Práticas agrícolas que favoreçam tanto a atividade microbiana do solo, que é responsável por transformar o enxofre em formas que são absorvidas pelas plantas, quanto o incremento e a manutenção da matéria orgânica no solo, são alguns exemplos.

 

É possível aumentar a matéria orgânica do solo por meio da adoção de simples práticas agrícolas.

Porém, é importante ressaltar que as fontes orgânicas de enxofre geralmente possuem teores que nem sempre serão suficientes para atender todas as exigências das pastagens, já que, de maneira geral, o enxofre é o 4º nutriente mais absorvido pelas plantas.

Nesse sentido, é importante contar também com fontes de enxofre capazes de fornecer o esse importante nutriente durante todo o ciclo das pastagens. Dentre as principais características que devem ser observadas no momento da escolha, estão:

Essas características podem influenciar no desempenho dos fertilizantes na nutrição sulfatada das pastagens. Por exemplo, os fertilizantes de liberação progressiva são menos sujeitos à lixiviação, o que ajuda na construção e manutenção da fertilidade do solo.

Já fertilizantes com baixo índice salino favorecem a saúde biológica do solo, o que é importante, entre outras coisas, para os processos de oxidação que disponibilizam o enxofre contido em fontes como o enxofre elementar micronizado.

O enxofre é um aliado para pastagens produtivas e de qualidade

Considerando os diversos benefícios que o enxofre pode proporcionar para se alcançar pastagens mais produtivas e de qualidade, é imprescindível garantir um manejo desse nutriente nos programas de adubação usando os melhores fertilizantes sulfatados disponíveis no mercado!

 

Compartilhe esta publicação