Agricultor De Guimarânia - Mg Relata Benefícios Do K Forte® Na Adubação De Sistema De Rotação De Culturas

Agricultor de Guimarânia – MG relata benefícios do K Forte® na adubação de sistema de rotação de culturas

Hélio da Silva Júnior é engenheiro agrônomo e também produtor agrícola no município de Guimarânia, Minas Gerais. Além de café, ele cultiva soja, sorgo, tomate e pimentão. Já utilizando o K Forte® no manejo do café, ele experimentou o uso do fertilizante multinutriente da Verde Agritech nas suas suas culturas de ciclo mais rápido. Veja o que ele relata sobre o uso do K Forte® no tomate cultivado em sistema de rotação com a soja!

K Forte®: um fertilizante para melhorar a fertilidade do solo

Engenheiro agrônomo de formação, Hélio da Silva Júnior se dedica à produção agrícola em sua propriedade, localizada no município de Guimarânia, em Minas Gerais.

Há quatro anos ele utiliza o K Forte® no manejo das lavouras em sua propriedade: além do café, ele também cultiva  soja, sorgo, tomate e pimentão.

Hélio conta que, quando começou a utilizar o fertilizante multinutriente da Verde Agritech, uma das preocupações era justamente se haveriam bons resultados em culturas de ciclo mais rápido, como o tomate.

Entretanto, diante dos resultados positivos, Hélio Júnior relata que tem inclusive aumentado a quantidade de K Forte® utilizada na lavoura de tomate:

“E a gente tem aumentado gradualmente o uso do K Forte® na cultura do tomate também, visando justamente o trabalho de solo e de melhoria de potássio disponível para a planta.”

Mas, como ele conseguiu integrar o K Forte® no manejo da sua lavoura e quais foram os resultados que o fertilizante multinutriente da Verde Agritech trouxe?

O K Forte® tem efeito residual prolongado dos nutrientes, beneficiando os sistemas de rotação de culturas 

Graças à sua matéria-prima nacional e rica em glauconita, o K Forte® é um fertilizante cuja disponibilização dos nutrientes acontece de maneira gradual.

Na prática, isso significa que os nutrientes são disponibilizados para as plantas durante um tempo maior que as fontes de liberação mais imediata. Isso favorece a construção e a manutenção da fertilidade do solo.

Em culturas de ciclo longo, como o café, a vantagem disso é que há potássio disponível durante todo o ciclo da planta. Mas, e naquelas que são de ciclo mais rápido? Nesses casos, como o K Forte® ajuda a elevar e manter os níveis de potássio do solo, isso já beneficia as culturas.

Todavia, práticas como o uso da rotação de culturas, que por si só já trazem vantagens para o agricultor em termos de aproveitamento e conservação do solo, se beneficiam também do uso de fertilizantes como o K Forte®.

Hélio Júnior explica justamente que, no caso do tomate, ele utiliza o sistema de rotação de culturas, plantando o tomate em rotação com a soja. Assim, o efeito residual do K Forte® é benéfico para a lavoura:

“Então encaixa muito bem, porque o resíduo que o tomate não conseguiu aproveitar do K Forte®, a soja acaba aproveitando. Mesmo assim, eu faço uma ‘intera’ de aplicação na soja, que acaba sobrando pro tomate também na próxima safra também, nessa rotação. Então eu consegui achar esse tipo de manejo que acabou funcionando muito bem pra mim.”

Assim, as lavouras tanto do tomate quanto da soja conseguem ter o potássio disponível para crescer e se desenvolver adequadamente, favorecendo a produtividade.

Além disso, Hélio ainda relata outros benefícios do K Forte® além do efeito residual dos nutrientes no solo.

K Forte®: um fertilizante multinutriente que torna o manejo mais completo e otimizado 

Ainda graças à sua matéria-prima, o K Forte® é um fertilizante multinutriente: além do potássio, ele fornece à lavoura o magnésio e o manganês, que são nutrientes muito importantes para as plantas.

Além disso, ele também é fonte de silício. Embora não seja considerado um nutriente essencial, os benefícios do silício para as plantas fazem com que ele seja classificado como um elemento benéfico, induzindo a resistência a pragas e doenças e também aos estresses abióticos.

Assim, o uso do K Forte® faz o manejo mais completo e mais eficiente, melhorando a resistência das plantas na percepção de Hélio Júnior:

“Por ter o manganês ajudando, fazendo parte da defesa da planta e ele já ter esse manganês disponível lá. O silício, por fazer parte de engrossar a parede celular, o potássio de regulador de estômatos. Então eu acredito que o conjunto fez com que a planta ficasse mais resistente sim.”

Ele destaca ainda que o tomate é uma cultura especialmente sensível às variações hídricas e que, com o uso do K Forte®, mesmo com um excesso de chuvas, a lavoura se manteve forte e sem o aparecimento de doenças causadas por patógenos como bactérias.

Hélio atribui essa resistência aos benefícios do silício, combinados aos efeitos benéficos dos outros nutrientes do K Forte®. Ele ainda ressalta que houve otimização dos custos. Isso porque o K Forte®, além de ser multinutriente, é livre de cloro, o que elimina a necessidade parcelamento das aplicações de fertilizante e reduz as entradas na lavoura.

Em razão dos benefícios que o uso do K Forte® trouxe, Hélio Júnior recomenda o uso do fertilizante multinutriente da Verde Agritech:

“A dica que eu tenho é que use o K Forte®, é um bom produto, traz bons resultados, é d fácil aplicação, é cômodo de se trabalhar com ele e tem tido produtividades interessantes pra nós aqui.”

Veja o depoimento completo de Hélio da Silva Júnior no vídeo:

O uso do K Forte® foi eficiente na nutrição potássica e otimizou o manejo, graças aos outros nutrientes que ele disponibiliza para a lavoura 

A experiência de Hélio da Silva Júnior mostra a eficiência do K Forte® na nutrição potássica da lavoura utilizando o sistema de rotação de culturas.

Sendo um fertilizante de liberação gradual dos nutrientes, isso faz com que ele seja livre de lixiviação e ajude a construir e manter a fertilidade do solo. Além disso, o efeito residual duradouro favorece a nutrição das culturas utilizadas no sistema de rotação.

O K Forte® ainda é fonte de magnésio, manganês e silício, o que torna o manejo mais completo e favorece a resistência das plantas a pragas, doenças e estresses abióticos. Tudo isso otimizando também o custo-benefício do manejo para o agricultor!

Compartilhe esta publicação