Cafeicultor de Itamogi-MG conta como transformou seu café em café especial com o K Forte®

Cafeicultor de Itamogi-MG conta como transformou seu café em café especial com o K Forte®

Dejair Leonel de Paula é engenheiro agrônomo e cafeicultor no município de Itamogi, Minas Gerais, tendo dedicado mais de seis décadas de experiência à cafeicultura. Saiba como o K Forte® ajudou Dejair Leonel a melhorar parâmetros como o peso dos grãos do café e também a qualidade da bebida, chegando a obter até 86 pontos em escalas como a Metodologia de Avaliação Sensorial da SCA, superando a pontuação exigida para cafés especiais.

Mais qualidade da bebida do café

O engenheiro agrônomo Dejair Leonel de Paula tem uma história longa na cafeicultura: são mais de 60 anos de experiência no setor. Em 2018, ele começou a usar o K Forte® em sua lavoura, por recomendação do seu filho, que havia conhecido o fertilizante multinutriente da Verde através de um professor.

Dejair conta que, desde lá, vem aumentando gradualmente o uso do K Forte® no manejo agrícola da sua propriedade e avalia os efeitos positivos na qualidade da bebida do café:

“A nossa bebida de café do ano passado foi excelente! Nós chegamos a ter lotes de café de até 86 pontos de pontuação na bebida. Nossas bebidas de café aqui eram na faixa de 78, 79, não passava de 80 pontos. Agora a gente está conseguindo aí de 83 pontos pra cima.”

Os pontos a que Dejair se refere são uma escala de avaliação, como a da Metodologia de Avaliação Sensorial da SCA (Specialty Coffee Association) e servem para determinar a classificação da bebida do café. Cafés que obtém pontuação acima de 80 são considerados cafés especiais.

Ser classificado como um café especial agrega valor ao produto e esse mercado tem crescido no Brasil. Uma pesquisa da Euromonitor International encomendada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) projetou que em 2021 serão consumidas 1,7 milhões de sacas de café especial no país. Em comparação com o ano 2020 isso representa um aumento de 54%.

Mas o que pode explicar essa melhora na qualidade do café da lavoura de Dejair Leonel de Paula?

O excesso de cloro e seus efeitos na cafeicultura 

A qualidade da bebida do café está relacionada a diversos fatores, mas a forma como o cafeeiro é cultivado tem uma grande influência nesse parâmetro. Além de realizar um bom manejo nutricional, que garanta que o café receba os nutrientes adequados para o seu desenvolvimento, o agricultor precisa estar atento a coisas como os níveis de cloro no solo.

O cloro é um elemento que é considerado um micronutriente, ou seja, essencial para os processos de crescimento das plantas. Entretanto, é requerido em pequenas quantidades, que normalmente já são fornecidas pelo próprio solo.

Quando há excesso de cloro no manejo agrícola, isso pode ter consequências para as plantas, como a clorose nas folhas. E, no caso da cafeicultura, pode afetar também a qualidade da bebida.

No estudo Qualidade de grãos de café beneficiados em resposta à adubação potássica,  Enilson de Barros Silva, Doutor em Ciência do Solo, demonstrou que o cloro provoca a redução da atividade de uma enzima chamada polifenoloxidase (PPO).

A atividade dessa enzima está significativamente ligada à qualidade da bebida do café, como descreve Hermínia Emília Prieto Martinez, doutora em Nutrição de Solos, juntamente com outros pesquisadores, no artigo Nutrição mineral do cafeeiro e qualidade da bebida.

Uma das hipóteses levantadas pelos estudiosos da área é de que a ação inibitória do cloro em relação à atividade da PPO tem a ver com o fato de que, como a PPO é uma enzima cúprica, o excesso dos íons de cloro leva a precipitação do íon Cl com o Cu2+, reduzindo a ativação da enzima.

O K Forte® é um fertilizante produzido a partir do Siltito Glauconítico, uma matéria-prima livre de cloro que pode fornecer potássio, silício e outros nutrientes como magnésio e manganês, melhorando assim a qualidade da bebida do café.

E essas características da matéria-prima do K Forte® trazem ainda outros benefícios.

Grãos mais saudáveis e mais economia

Além da melhoria na qualidade da bebida, Dejair Leonel também relata que houve outros parâmetros beneficiados com o uso do K Forte®:

“A gente vem fazendo um trabalho com o nosso agrônomo e o K Forte® tem um papel fundamental nele: no vigor das lavouras, na qualidade dos frutos, no peso dos frutos. No ano de 2020 tivemos um rendimento muito bom em termos de massa do grão, consistência do grão, um grão perfeito.”

Ele atribui essa melhoria justamente aos nutrientes presentes na matéria-prima do K Forte®. Além disso, na avaliação de Dejair Leonel, o uso do fertilizante da Verde ajudou a reduzir custos operacionais e com defensivos, o que trouxe um melhor custo-benefício para a lavoura.

Por isso, ele recomenda o K Forte® para agricultores que querem estar um passo à frente no mercado agrícola:

“Recomendo o K Forte® 100% para os produtores que querem inovar: com uma agricultura moderna, uma cafeicultura com um trabalho com um produto 100% brasileiro.”

Veja o depoimento completo de Dejair Leonel de Paula:

Impactos positivos no manejo agrícola e na qualidade da bebida do café

A experiência de Dejair Leonel de Paula mostra que o uso do K Forte® teve um impacto positivo na qualidade da bebida do café. Além disso, a presença de elementos como silício e dos micronutrientes magnésio e manganês ajuda a tornar o manejo nutricional da lavoura mais completo, otimizando o custo-benefício do produtor.