Qual É A Importância Do Enxofre Na Cultura Do Arroz

Qual é a importância do enxofre na cultura do arroz?

O enxofre é um nutriente muito importante para a cultura do arroz, estando envolvido com o crescimento, perfilhamento e a produtividade do arrozal. A expressão desses benefícios do enxofre nas plantas está relacionada às diversas funções que ele desempenha na lavoura. Entenda qual a importância do enxofre na cultura do arroz e conheça mais sobre algumas boas práticas da adubação sulfatada!

A relação entre o enxofre e a cultura do arroz

Diversos pesquisadores em todo o mundo consideram o arroz como uma cultura intermediária em termos do teor crítico de enxofre, que é a quantidade correspondente ao ponto em que o teor de um nutriente no solo atinge 90% da produção relativa da cultura.

Entretanto, mesmo não sendo considerado como uma cultura de alta exigência de enxofre, o arroz se beneficia com a adubação com esse nutriente. Isso porque ele faz parte do grupo dos macronutrientes secundários, sendo essencial para o desenvolvimento das plantas.

No artigo Effect of different sources of sulphur on rice under submerged condition, M. L. Alam e outros pesquisadores observaram que a aplicação de doses de 15kg/ha com diferentes fontes de enxofre aumentou significativamente o conteúdo de sulfato nos tecidos da planta de arroz em todos os estágios de crescimento do cultivo.

Essa exigência é um reflexo das diversas funções que o enxofre desempenha na cultura do arroz, tais como:

Quando o enxofre é absorvido pelas plantas de arroz, na forma de íons de sulfato (SO42-), parte dos nutrientes são destinados à síntese de compostos essenciais para o desenvolvimento e produtividade das plantas, como a clorofila.

A clorofila é considerada uns dos pigmentos mais importantes que participam do processo de fotossíntese que, por sua vez, sintetiza compostos orgânicos que serão direcionados para o crescimento vegetativo e reprodutivo das plantas.

No artigo Disponibilidade no solo, estado nutricional e recomendação de enxofre para o arroz irrigado, Felipe de Campos Carmona e outros pesquisadores observaram que as doses de máxima eficiência técnica (36 kg/ha) e econômica (26 kg/ha) para o arroz irrigado em solos com teor abaixo do crítico resultam em um ganho similar no rendimento de grãos, de cerca de 7,5 t/ha.Curva De Calibração De Enxofre De Solos Da Região Da Depressão Central Do Rio Grande Do Sul

Curva de calibração de enxofre de solos da região da Depressão Central do Rio Grande do Sul nas safras 2004/ 2005 e 2005/2006. (Fonte: CARMONA et al., 2009)

Além da clorofila, outro componente muito importante que o enxofre participa como constituinte são os aminoácidos, que vão dar origem às proteínas das plantas.

Segundo o pesquisador Dr. Charles E. Wilson Jr. apresenta no livro Arkansas Rice Production Handbook, cerca de 30% do enxofre absorvido pelas plantas de arroz tem como destino final os grãos, uma estrutura vegetal rica em proteínas.

Isso está ligado fato de que, por estar envolvido com a síntese proteica dos vegetais, o enxofre acaba “andando lado a lado” com o nitrogênio para constituir as conhecidas proteínas de qualidade, que podem ter um grande impacto na saúde humana e animal.

Por exemplo, o consumo de plantas deficientes em cistina e metionina, duas proteínas as quais o enxofre é constituinte, é capaz de causar doenças irreversíveis em animais e no homem, como: escorbuto, hemofilia e cegueira noturna, dentre outras.

Além disso, no estudo Respostas fisiológicas e de rendimento em arroz irrigado cultivado sob diferentes fontes de enxofre, Gilberto Troyjack Junior e outros pesquisadores explicam que o suprimento adequado de enxofre às plantas pode aumentar a utilização do nitrogênio na síntese proteica. Em decorrência disso, há o aumento do índice fotossintético das folhas e a produção.

Entretanto, a interação entre o enxofre e o nitrogênio não se limita à síntese proteica. O enxofre faz parte das reações químicas que vão resultar tanto na fixação do nitrogênio quanto na absorção desse importante nutriente pelas plantas. Sendo assim, a sua presença é essencial para o bom o aproveitamento do nitrogênio pelas plantas.

Visto a importância do enxofre na cultura do arroz, como então funciona a dinâmica desse nutriente nos arrozais?

A adubação com enxofre na cultura do arroz

Diferentemente de outras culturas agrícolas, o arroz apresenta uma condição única quanto ao manejo da adubação com enxofre. Isso porque, em algumas situações o cultivo do arroz se dá em ambientes alagados.

Quando um solo se encontra alagado, ocorre uma série de transformações químicas, físicas e biológicas que afetam a disponibilidade do enxofre, visto os diferentes caminhos que esse nutriente pode tomar, como ser:

  • Imobilizado pela matéria orgânica na fina camada oxidada na superfície do solo;
  • Removido por lixiviação ou água drenada;
  • Adsorvido nos sítios de troca aniônica;
  • Absorvido pelas raízes das plantas;
  • Reduzido a sulfeto.

Segundo a Sociedade sul-brasileira de Arroz Irrigado, solos afastados de regiões industriais, com baixos teores de matéria orgânica, e intensivamente cultivados com arroz irrigado, são potencialmente suscetíveis à deficiência de enxofre, podendo manifestar no arroz sintomas como:

  • Amarelecimento nas folhas mais jovens;
  • Redução do perfilhamento;
  • Crescimento atrofiado;
  • Atraso na maturidade.

Algumas boas práticas para minimizar condições de deficiência de enxofre nos sistemas de cultivo irrigados é a de se adicionar água somente para a lâmina d’água no nível desejado.

Já para cultivos de arroz em sequeiro ou intensamente irrigados, o problema de perdas de enxofre também pode estar presente, uma vez que grande parte das fontes de enxofre utilizadas possuem uma elevada solubilidade em água.

 

A solubilidade dos fertilizantes e a disponibilidade de nutrientes para as plantas não devem ser considerados sinônimos.

Nesses casos, a adoção do uso de fontes de enxofre de liberação progressiva pode ser uma das soluções.

Como o próprio nome sugere, as fontes de enxofre de liberação progressiva permitem uma melhor sincronização entre a quantidade de nutrientes liberados pelo fertilizante e aquela absorvida pelas plantas. Benefício este que também mitiga as perdas de nutrientes por lixiviação.

O enxofre é um nutriente indispensável para a manutenção do crescimento e da produtividade do arroz

Em resumo, o enxofre deve sempre ser visto como um nutriente indispensável para o crescimento e da produtividade do arroz, considerando as diversas funções que ele desempenha na lavoura.

Sendo que, melhores resultados podem ser alcançados com a adoção de boas práticas no manejo da adubação com enxofre, que incluem a mitigação de perdas de nutrientes com o uso de fertilizantes de liberação progressiva!

Compartilhe esta publicação