O feldspato potássico é um potencial agromineral de baixa solubilidade que ajuda a disponibilizar os nutrientes pouco solúveis para as plantas.

O que é o feldspato potássico e qual o seu potencial como fonte de potássio?

O feldspato potássico é um mineral de baixa solubilidade utilizado na agricultura como fonte de potássio. Ele se torna um potencial agromineral na indústria de fertilizantes quando passa por um processo de tratamento, para que os nutrientes pouco solúveis sejam disponibilizados para as plantas. Conheça o que é o feldspato potássico e como ele é usado na agricultura.

O que é o feldspato potássico

Os feldspatos potássicos são compostos por silicatos de alumínio combinados com sódio, potássio, cálcio e, às vezes, bário. Eles fazem parte de uma importante família de minerais, os feldspatos, estando presente em mais da metade das rochas que formam a crosta terrestre.

São representantes desse grupo a microclina, o ortoclásio e a sanidina, encontrados associados aos três principais tipos de rochas que constituem a crosta terrestre:

  • Magmáticas ou ígneas: formadas a partir da consolidação do magma;
  • Sedimentares: formadas a partir da deposição e cimentação de sedimentos;
  • Metamórficas: formadas a partir da transformação de outras rochas e minerais em diferentes condições de temperatura e pressão.

Os pegmatitos, feldspatos com quartzo encravado, são um dos representantes do grupo da microlina mais explorados no Brasil considerada a sua maior abundância e pureza na natureza. Os principais depósitos do país estão na província da Borborema, no nordeste, e na província Oeste do estado de Minas Gerais.

Para serem utilizados como um potencial fonte de potássio na agricultura, os feldspatos potássicos precisam passar por tratamentos químicos ou térmicos para aumentar a liberação dos nutrientes para as plantas.

Regiões que possuem atividades hidrotermais, como a cidade de Poços de Caldas em Minas Gerais, apresentam uma das poucas condições naturais que permitem o surgimento de forma mais solúveis dessas rochas. Mas, de forma geral a eficiência agronômica dos feldspatos potássicos depende de diversos fatores como:

  • Origem;
  • Composição;
  • Fatores do solo;
  • Tratamento químico ou térmico aplicado às rochas;
  • Tempo de incubação;
  • Culturas;

A importância de fertilizantes potássicos para agricultura

O potássio é um dos macronutrientes mais requeridos pelas plantas, devido ao seu papel essencial em diversas reações bioquímicas relacionadas a funções indispensáveis para a sobrevivência das culturas.

Quando aplicado no solo, o potássio fica retido por meio da capacidade de troca catiônica (CTC), que é a capacidade que o solo tem para reter os nutrientes enquanto ainda não são absorvidos pelas plantas.

A CTC deve ser alta para permitir a retenção e mitigar os efeitos da lixiviação dos nutrientes. Para isso, a adição e manutenção de teores de matéria orgânica no solo torna-se uma prática indispensável para garantir a máxima eficiência dos fertilizantes.

É o que explica a engenheira agrônoma, mestre em microbiologia agrícola e diretora da MK2R, Kátia Beltrame:

O potássio é então absorvido pelas plantas e distribuído por todos os seus tecidos, sendo considerado um nutriente muito móvel. Dessa forma, sintomas de deficiência, como a “queimadura” das bordas nas folham, ocorrem em folhas mais velhas.

Isso acontece porque o nutriente é alocado para os órgãos mais jovens da planta em situações de baixa disponibilidade de potássio. Mas o ideal é não esperar o surgimento dos sintomas visuais na planta, pois a deficiência já atingiu um ponto que comprometeu a produtividade da cultura.

Práticas como análise do solo, para correção e manutenção dos teores de potássio, e análise foliar para o ajuste fino da recomendação de adubação são ferramentas presentes na rotina dos agricultores.

As análises também são importantes para indicar as quantidades corretas de fertilizantes potássicos para cada situação encontrada no campo. As fontes mais convencionais desses fertilizantes são os cloretos, sulfatos e nitratos de potássio, cada um com as suas diferentes vantagens e desvantagens.

Apesar da falta de tecnologias comerciais para tornar o uso dos feldspatos potássicos viável economicamente, as pesquisas conduzidas por Antônio Clareti Pereira, Marta Rocha dos Santos Gomes e Sônia Denise Ferreira Rocha demonstram um futuro promissor.

No artigo Eficácia do tratamento térmico na extração hidrometalúrgica de potássio em rochas contendo feldspato potássico, verificaram uma solubilização de quase 75% do potássio presente nos feldspatos após o tratamento químico e térmico.

O que ainda inviabiliza a utilização em larga escala desse mineral está atrelado aos altos custos do processamento industrial para tornar melhorar a eficiência agronômica.

As perspectivas do feldspato potássico na agricultura

A viabilização do uso dos feldspatos potássicos em larga escala na agricultura, ainda está muito dependente do desenvolvimento de técnicas industriais economicamente viáveis para a solubilização do potássio nesse mineral. Mesmo assim, pesquisas conduzidas em pequena escala vêm demonstrando um bom potencial para esse agromineral.

Até lá, o agricultor deve buscar por alternativas às fontes convencionais de adubação potássica, que apresentam algumas desvantagens como a fácil lixiviação de nutrientes e a presença de sais e cloro.

Uma dessas alternativas é o Siltito Glauconítico, encontrado na região de São Gotardo, em Minas Gerais. Ele é uma rocha é rico em minerais potássicos e glauconita, que trazem benefícios que melhoram as propriedades do solo.

Estar atento aos avanços da área agrícola e às novas fontes de nutrição potássica é a chave para ter uma lavoura com mais qualidade de produtividade, contribuindo para uma agricultura mais sustentável e que melhora a saúde das pessoas e do Planeta!

Compartilhe esta publicação