Entenda Em 3 Pontos Como Aplicar Enxofre Nas Plantas Da Maneira Correta

Entenda em 3 pontos como aplicar enxofre nas plantas da maneira correta

Aplicar enxofre nas plantas da maneira correta é uma prática essencial para garantir o bom o desenvolvimento vegetativo das plantas, a boa qualidade dos alimentos e até mesmo a manutenção de processos naturais que favorecem a nutrição da lavoura. Confira a seguir 3 boas práticas agrícolas para aplicar enxofre nas plantas da maneira correta!

Como aplicar o enxofre no solo?

No Brasil, a aplicação de fertilizantes com enxofre nas lavouras muitas vezes é uma prática indispensável, visto que mais da metade dos solos que compõem o território nacional são, de maneira geral, pobres em enxofre.

Além disso, esse nutriente tem se tornado um fator limitante na produtividade das culturas, muito mais do que no passado. Isso ocorre devido a fatores como:

  • O aumento da capacidade produtiva das culturas, que acabam requerendo mais enxofre;
  • O aumento do uso de fertilizantes que contém pouco ou nenhum enxofre;
  • A redução nas quantidades de enxofre atmosférico provindos da chuva;
  • A redução das reservas de enxofre do solo com as perdas de matéria orgânica.

É o que afirmam Silvia Regina Stipp e Valter Casarin, no artigo A importância do enxofre na agricultura brasileira.

Em razão disso, a intervenção do agricultor no campo, buscando escolher e aplicar boas fontes de enxofre, tem levado a respostas muito positivas das culturas agrícolas em alguns cenários.

Estudos indicam que a boa nutrição com enxofre já comprovou os seus efeitos benéficos em diversas culturas, como:

  • Banana, com o aumento da velocidade de emissão das folhas e o favorecimento da produtividade e qualidade dos frutos;
  • Pastagens, com o aumento da produção da matéria seca e melhoria da qualidade para alimentação animal;
  • Soja e milho, com a elevação dos níveis de produtividade e de qualidade dos grãos;
  • Arroz, com a promoção do crescimento, perfilhamento e a produtividade do arrozal;
  • Citros, com o aumento da retenção dos frutos e do número de frutos;
  • Café, com o aumento da produtividade e o acúmulo de matéria seca;
  • Algodão, com a melhoria do rendimento e qualidade das fibras;
  • Cana-de-açúcar, com a melhoria da qualidade e produtividade;
  • Eucalipto, com a promoção do crescimento das árvores.

Entretanto, as respostas positivas da lavoura à adubação com enxofre podem ser muito afetadas pela forma com que a aplicação de enxofre é conduzida na lavoura.

Sendo assim, é essencial conhecer e seguir algumas boas práticas agrícolas para aplicar enxofre nas plantas da maneira correta. São elas:

1. Obter uma recomendação de adubação adequada que considere o real estado de fertilidade do solo

A recomendação de adubação adequada é um dos primeiros passos para se obter respostas positivas das culturas à adubação com enxofre, uma vez que doses muito baixas ou muito altas desse nutriente podem comprometer o desempenho das lavouras.

No caso do enxofre, um dos principais aspectos que precisam ser levados em consideração na hora de realizar a análise do solo é a existência de duas principais frações de enxofre no solo: o enxofre lábil e o enxofre não-lábil.

A fração lábil de enxofre corresponde a todas as formas de enxofre presentes na fase sólida do solo que se encontram em equilíbrio com a solução do solo, conseguindo passar para ela dentro do tempo necessário para o ciclo vital de uma cultura agrícola.

Já a fração não-lábil do enxofre é usada para denominar todas as formas de enxofre que não se encontram em equilíbrio com aquelas da solução do solo e que ficam fortemente retidas pelos coloides inorgânicos e/ou orgânicos do solo.

Apesar de existirem essas duas diferentes fontes de enxofre, a maior parte dos extratores usados nas análises para determinar o enxofre solúvel do solo, por exemplo, dificilmente conseguem avaliar somente o enxofre lábil do solo.

Isso acontece porque também existe a possibilidade de extração de formas não-lábeis, podendo levar a superestimação das reservas de enxofre do solo que podem ser utilizadas pelas plantas.

Assim, o agricultor deve sempre considerar usar outros métodos para analisar o enxofre lábil no solo, já que ele representa uma “reserva de nutrientes” que deve ser levada em consideração no momento da análise e recomendação das doses de enxofre.

2. Definir a fonte de enxofre mais adequada

A escolha da fonte de enxofre também pode ter um grande impacto na aplicação, visto que cada fertilizante pode apresentar um comportamento diferente quando aplicado no solo.

Fertilizantes que contêm o enxofre na forma de sulfato, por exemplo, disponibilizam a maior parte do seu conteúdo nutricional após a aplicação, em uma forma que já é biodisponível para a absorção das plantas.

Apesar dessa característica ser necessária em alguns casos, principalmente em situações em que os sintomas de deficiência de enxofre já estão presentes, essa rápida taxa de disponibilização de nutrientes leva a um possível maior número de aplicações dos fertilizantes na lavoura. Isso porque essas fontes de enxofre são muito suscetíveis a serem perdidas pelo processo de lixiviação.

Já os fertilizantes que contêm o enxofre na sua forma elementar não apresentam essa limitação. Essa fonte de enxofre, diferentemente dos fertilizantes sulfatados, apresenta uma liberação progressiva de nutrientes e um longo efeito residual no solo.

Com isso, normalmente, o número de aplicações é drasticamente reduzido, pois existe um melhor equilíbrio entre a taxa de liberação do fertilizante e a taxa de absorção de nutrientes pelas plantas.

3. Adequar o método de aplicação ao fertilizante escolhido

Por fim, também é importante ressaltar que algumas fontes de enxofre necessitam de práticas específicas durante o processo de aplicação, a fim de aproveitar o máximo potencial do insumo no campo e minimizar as perdas durante o processo de aplicação.

Esse é o caso, por exemplo, das fontes de enxofre que apresentam uma fina granulometria, como o enxofre elementar micronizado.

Quando a aplicação de fertilizantes em pó é feita em área total, o agricultor consegue minimizar as perdas do insumo por deriva, ao realizar a aplicação em horários com pouco vento e usando abafadores.

 

Os fertilizantes em pó podem trazer diversos benefícios para a lavoura, mas necessitam de alguns cuidados na aplicação a fim de garantir sua eficiência.

Assim, o agricultor deve sempre realizar as melhores práticas recomendadas para aplicação do fertilizante, dependendo da fonte de enxofre escolhida.

O manejo do enxofre na agricultura deve ir muito além do momento de aplicação do insumo na lavoura

Como mencionado anteriormente, a forma de aplicação correta do enxofre para as plantas não depende somente do momento de aplicação do insumo na lavoura, mas como também da análise adequado dos teores de nutrientes no solo e da escolha assertiva das fontes de enxofre.

Dessa forma, quanto mais holística for a visão do agricultor frente a dinâmica do enxofre no agroecossitema, melhor poderão ser os resultados alcançados com a aplicação desse nutriente na lavoura!

Compartilhe esta publicação