Saiba como aumentar a capacidade do solo de reter água e nutrientes

Na atividade agrícola, o cultivo sucessivo tende a exaurir tanto a água quanto os nutrientes que as plantas necessitam retirar do solo para se desenvolver. Entenda sobre os principais fatores que estão envolvidos na capacidade do solo em reter água e nutrientes e como otimizá-los.

A capacidade de retenção de água do solo

A capacidade de retenção de água e nutrientes do solo surge a partir da relação entre os diferentes elementos que o compõem. Elementos minerais, ar, água, matéria orgânica e os microrganismos estão constantemente estabelecendo interações que promovem diferentes efeitos no agroecossistema.

Na fração sólida do solo, a textura é um dos principais fatores que define a capacidade de retenção de água. A textura se refere à proporção de argila, silte e areia do solo. As diferentes configurações entre esses elementos classificam o solo em diferentes grupamentos texturais.

Tabela usada para determinar a classe textural do solo de acordo com os seus teores de argila, silte e areia. (Fonte: Embrapa)

Tabela usada para determinar a classe textural do solo de acordo com os seus teores de argila, silte e areia. (Fonte: Embrapa)

Além disso, a proporção desses 3 diferentes elementos define tanto a área de superfícies das partículas do solo, quanto o tamanho dos poros. E é nos poros que a água fica armazenada nos chamados macroporos e microporos.

Os macroporos são os espaços maiores entre as partículas do solo que possuem um diâmetro maiores que 0,05 milímetros.  O tamanho faz com que a água retida nesses espaços seja transitória e percole pela ação da gravidade.

A água consegue ficar mais tempo retida nos microporos, que são os espaços que possuem um diâmetro que varia entre 0,05 e 0,0002 milímetros. Na prática, a água retida nos microporos, denominada água capilar, define a Capacidade de Campo (CC).

A capacidade de campo se refere a capacidade máxima de armazenamento de água do solo, sem que haja perdas por percolação. É o momento em que a forças de capilaridade dos poros entram em equilíbrio com a força da gravidade exercida para baixo através do peso da água.

Um fator que propicia a maior presença de microporos é a matéria orgânica, que constitui cerca de 5% da fração do solo. A matéria orgânica além de aumentar a porosidade do solo e a distribuição do tamanho dos poros, influencia no principal parâmetro que avalia a capacidade de retenção de nutrientes do solo, a Capacidade de Troca Catiônica (CTC).

A capacidade de retenção de nutrientes do solo

A CTC mede a quantidade de cargas negativas presentes no solo, que ficam presas as diferentes partículas do solo. Naturalmente, no solo as cargas negativas, denominadas ânions, são representadas em sua maioria pelas partículas orgânicas.

As cargas negativas são aquelas responsáveis pela atração e retenção das cargas positivas, denominadas cátions, por meio do princípio da Lei de Coulomb. As cargas positivas são representadas tanto pelos óxidos e hidróxidos de ferro e alumínio, quanto por grande parte dos elementos minerais (nutrientes) presentes naturalmente no solo e em introduzidos de forma artificial através dos fertilizantes.

Para que os nutrientes fiquem retidos nas partículas do solo, é necessário que as cargas negativas estejam livres e disponíveis para que a ligação as cargas negativas aconteçam. Com isso, é muito importante garantir um manejo adequado de cátions indesejáveis, como alumínio, através da calagem e gessagem e monitorar outros fatores que interferem na CTC, como o pH.

E a própria matéria orgânica pode ser usada como um dos recursos para corrigir a acidez do solo juntamente com o calcário, muito presentes no bioma do Cerrado brasileiro, como explica o diretor de pesquisa da Agroadvance e consultor da Vittagro, Dr. Eduardo Zavaschi:

Mas, além do uso da matéria orgânica, calagem e gessagem para aumentar a capacidade de retenção de água e nutrientes no solo, existem mais alternativas para o agricultor?

A glauconita é uma das alternativas para aumentar a capacidade de retenção de água e nutrientes do solo

Uma das alternativas para o agricultor aumentar a capacidade de retenção de água e nutrientes do solo, é com a utilização de fertilizantes que possuam minerais que gerem esses beneficios, como o Siltito Glauconítico.

O Siltito Glauconítico é uma rocha ígnea encontrada na região de São Gotardo, Minas Gerais, rica em minerais potássicos e glauconita. Compondo mais de 70% do Siltito Glauconítico, a glauconita é um mineral rica em poros e cargas negativas em sua estrutura.

O Dr. John Tedrow, pesquisador da Rutgers, The State University of New Jersey (EUA), evidencia a relação desses fatores com os efeitos benéficos da glauconita no artigo Greensand and Greensand Soils of New Jersey: A Review:

“Os efeitos benéficos da glauconita no solo parecem estar proximamente relacionados a uma combinação de fatores, como ter uma alta capacidade de absorção de nutrientes do solo e uma capacidade de retenção de umidade relativamente alta”.

Isso faz com que no solo, ela apresente uma capacidade de ir aumentando gradativamente a quantidade de poros e a CTC do solo, com as sucessivas aplicações dos fertilizantes feitos a partir do Siltito Glauconítico, como o BAKS e o K Forte®.