Entenda o que o super simples

Entenda as vantagens e desvantagens do uso do super simples como adubo

O superfosfato simples, chamado de SSP ou de super simples, é um fertilizante utilizado na agricultura como fonte de fósforo, cálcio e enxofre. Por fornecer três importantes nutrientes para as plantas, o seu uso como adubo traz benefícios para o agricultor, mas ele também tem algumas desvantagens. Entenda melhor o que é o super simples ou SSP e quais são os prós e os contras do uso desse insumo como adubo.

O que é o super simples ou superfosfato simples (SSP)?

O superfosfato simples, também conhecido como super simples ou SSP, é um composto químico cuja fórmula é Ca(H2PO4)2 + CaSO4.2H2O. Geralmente, ele é obtido a partir do tratamento de rochas do grupo dos fosfatos naturais, como a apatita e a fosforita, com ácido sulfúrico.

Representação da formação do adubo super simples e de outros fertilizantes de fósforo a partir de rochas fosfatadas

Representação da formação do adubo super simples e de outros fertilizantes de fósforo a partir de rochas fosfatadas (Fonte: José Carlos Alcarde e Luiz Inácio Prochnow)

O resultado das reações químicas desse tratamento é um fertilizante com cerca de 20% de fósforo (sob a forma de P2O5), 20% de cálcio e 12% de enxofre. Esses três elementos são muito importantes para o ciclo de vida das plantas.

O fósforo, por exemplo, é um dos macronutrientes primários. Ele está envolvido nos processos de transferência de energia das células, estando presente em substâncias como a glicose, a frutose e a adenosina trifosfato (ATP). Ele ainda é um dos componentes dos nucleotídeos, os “blocos construtores” do DNA e do RNA celular.

O cálcio, por sua vez, é um macronutriente secundário e é um componente das paredes celulares. Ele atua também na polinização, participando da germinação do grão de pólen e do crescimento do tubo polínico, além de participar da ativação de enzimas importantes para o metabolismo vegetal. A sua presença no solo ainda ajuda a reduzir a toxidez de elementos como o alumínio.

Já o enxofre também é um macronutriente secundário, ligado primariamente a funções de metabólicas das plantas, uma vez que ele participa ativamente da formação de moléculas orgânicas como aminoácidos, proteínas e enzimas que estão envolvidas no ciclo de vida vegetal.

As vantagens do uso do super simples como adubo

Por causa dessa importância do fósforo, do cálcio e do enxofre, eles são, de maneira geral, consumidos em grandes quantidades pelas plantas. Isso faz com que haja a necessidade de reposição deles no solo.

Assim, o uso do super simples como fertilizante traz a o benefício de oferecer ao agricultor um único insumo que tem os três nutrientes. Além disso, as formas como o fósforo, o cálcio e o enxofre são encontrados no SSP estão prontamente disponíveis  para o consumo das plantas.

Em determinadas condições, quando o agricultor precisa repô-los rapidamente no solo, quando há uma deficiência aguda, por exemplo, isso é bastante vantajoso. Pensando exclusivamente no fósforo, essa rápida disponibilidade apresentada pelo nutriente no SSP traz outro benefício, visto que boa parte do fósforo acaba se fixando no solo, ficando indisponível para as plantas.

Principais problemas do uso do superfosfato simples na agricultura

Apesar dos seus grandes benefícios, o uso do super simples como fertilizante também tem algumas desvantagens para o agricultor. A principal delas é em relação ao custo. Boa parte dos fertilizantes utilizados na agricultura brasileira ainda é importada.

Segundo a Associação Nacional de Distribuidores de Adubo (ANDA), o Brasil é responsável por 7% do consumo global de fertilizantes. Ainda segundo a associação, mais de 70% dos adubos utilizados na agricultura nacional vem de outros países.

Dos fertilizantes fosfatados, como é o caso do SSP, 60% é importado. Isso faz com que a agricultura brasileira fique dependente de fatores externos que podem afetar o preço global dos fertilizantes, como a alta do dólar e crises internacionais. A importação traz custos a mais, como impostos e gastos com a logística do transporte dos insumos.

Além do mais, pensando no Super Simples como maneira de nutrição com enxofre, há um custo elevado, já que o ponto de enxofre dele acaba sendo mais caro proporcionalmente para o agricultor.

A alta solubilidade do enxofre presente no SSP também o torna mais suscetível a perdas por lixiviação.  Quando esse fenômeno acontece, os nutrientes se movem no perfil do solo, se perdendo para as camadas mais profundas do solo. Isso faz com que o agricultor perca parte daquilo que coloca no solo, levando a prejuízos a longo prazo.

Além disso, a ocorrência de um volume alto de chuvas, por exemplo, promove ainda mais a incidência do processo de lixiviação nos fertilizantes muito solúveis. Isso acaba deixando o agricultor à mercê das imprevisibilidades causadas pelas mudanças climáticas.

Super simples: um adubo com vantagens, mas nem sempre com o melhor custo-benefício

Em síntese, o superfosfato simples ou o super simples utilizado como fertilizante de fósforo traz vantagens para o agricultor, como nutrir o solo com três elementos essenciais para o processo de crescimento das plantas.

Entretanto, levando em consideração que boa parte do fósforo, um dos principais nutrientes do super fosfato simples, é importado, isso deixa o agricultor brasileiro suscetível a altos preços provocados por fatores externos e grandes cargas tributárias de importação.

Além do mais, quando pensado apenas como adubo fonte de enxofre, o super simples acaba tendo um preço proporcional mais caro. Assim, alternativas como o enxofre elementar micronizado oferecem mais custo-benefício e vantagens para o agricultor.