Inoculação de microrganismos em fertilizantes

Entenda a importância da microbiota do solo e da inoculação de microrganismos

Muitas vezes pensados como um mal a ser combatido, os microrganismos do solo são parte integrante do ecossistema e exercem funções importantes na promoção do crescimento das plantas, aumentando a quantidade e a qualidade dos alimentos produzidos. Saiba mais sobre importância da microbiota do solo, o que é a inoculação de microrganismos e como ela pode ser a chave para uma agricultura melhor.

A importância da microbiota do solo

O conjunto dos microrganismos do solo forma o que é chamado de microbioma ou microbiota do solo. Com a crescente necessidade não só de produzir mais alimentos, mas alimentos com mais qualidade, esses pequenos seres têm ganhado cada vez mais foco nas pesquisas do setor agroindustrial.

Isso porque eles formam relações importantes com as plantas, atuando em diversos processos essenciais para a promoção do crescimento vegetal. A pesquisadora Eliane Aparecida Gomes, juntamente com outros colegas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no documento Microrganismos promotores do crescimento de plantas afirma que:

“O papel benéfico da comunidade microbiana na promoção do crescimento das plantas pode ocorrer de inúmeras formas, por exemplo, atuando na mobilização e transporte de nutrientes para a planta pela fixação de nitrogênio e solubilização/mineralização de fósforo, aumento da área de absorção das raízes, produção de fito-hormônios e de compostos orgânicos voláteis que estimulam o desenvolvimento vegetal e proteção das plantas contra patógenos.”

Já estudos como o artigo Estimulation of Plant Growth and Drought Tolerance by Native Microorganisms (AM Fungi and Bacteria) from Dry Environments: Mechanisms Related to Bacterial Effectiveness , dos pesquisadores Adriana Marulanda, José-Miguel Barea e Rosário Azcon, apontam que os microrganismos podem ajudar as plantas a lidar melhor com condições de seca.

Assim, a inclusão dos microrganismos no manejo das lavouras tem se tornado uma tendência da agricultura atual, e uma das técnicas utilizadas é a inoculação. Mas, como funciona a inoculação de microrganismos?

O que é inoculação de microrganismos

A inoculação nada mais é que a introdução de determinadas espécies de microrganismos em um ambiente, para que eles possam crescer junto com as plantas e formar relações com elas. Essas relações, como já vimos, trazem diversos benefícios que aumentam a qualidade e a produtividade da lavoura.

A forma como a inoculação é feita varia de acordo com o microrganismo utilizado e também o tipo de inoculante que funciona como veículo para o processo. Mas, de maneira geral, o inoculante pode ser um líquido, um gel ou turfoso. Dependendo da forma, ele pode ser aplicado na semente ou nos sulcos onde as sementes irão ser plantadas.

Os microrganismos vão se desenvolver e coabitar junto com as plantas, geralmente nas raízes. A partir disso, os microrganismos e as plantas começam suas interações simbióticas e passam a realizar seus processos biológicos que irão trazer benefícios mútuos.

Alguns microrganismos promotores do crescimento

Entre os principais microrganismos promotores do crescimento das plantas, estão as bactérias do gênero Bradyrhizobium. Elas são muito utilizadas na cultura da soja, atuando na fixação biológica do nitrogênio (FBN). Estudos mostram que o uso dessas bactérias proporcionou um aumento na produtividade da soja.

Entre os principais microrganismos

A inoculação de bactérias Bradyrhizobium teve efeitos positivos na produtividade da soja (Fonte: HUNGRIA et al, 2001)

Outra bactéria que consegue realizar a FBN é a Azospirillum brasilense. Ela pode ser utilizada em culturas de gramíneas, como a cana-de-açúcar, além de ter efeitos positivos para o trigo e o milho.

Já as bactérias do gênero Bacillus podem ser utilizadas na agricultura para o combate à fitopatógenos que causam doenças que diminuem a produtividade e qualidade das plantas, em especial na cultura da soja.

Mas não são somente bactérias que são utilizadas na inoculação de microrganismos. Os fungos micorrízicos arbusculares colonizam mais de 80% das raízes de plantas vasculares e formam associações benéficas contribuindo para o seu crescimento e desenvolvimento, principalmente pela melhoria da absorção de fósforo.

Diversas outras espécies de microrganismos benéficos vêm sendo pesquisadas e aplicadas na agricultura, gerando bons resultados e melhorando a qualidade da produção. O Doutor em Microbiologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Dr. Admilton Gonçalves de Oliveira Júnior, e o Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Geovanni Pinheiro, falaram sobre a importância dessas pesquisas para o futuro do agronegócio:

O uso de fertilizantes que promovem a microbiota do solo também é importante

Os microrganismos benéficos do solo, com suas capacidades de beneficiar as plantas, são importantes para promover uma agricultura mais sustentável e rentável.

Além do investimento nas tecnologias de inoculação de microrganismos, é preciso que os outros insumos utilizados na agricultura propiciem o desenvolvimento de uma microbiota do solo saudável.

Isso inclui o uso de fertilizantes livres de cloro, que não afetem os microrganismos do solo. É o caso de fertilizantes produzidos a partir de matérias primas como o Siltito Glauconítico, a ulexita e o enxofre elementar micronizado.

Preservar a microbiota do solo, incorporando dos benefícios dos microrganismos para as plantas no manejo agrícola,  é a chave para uma agricultura que melhora a saúde das pessoas e a do Planeta.