O que é o micaxisto

Conheça o micaxisto, suas vantagens e suas limitações

O potássio é um nutriente envolvido em processos vitais no ciclo de vida das plantas e, devido à sua baixa disponibilidade nos solos brasileiros, precisa ser fornecido através da adubação. A busca por novas fontes de potássio que tornem a adubação mais eficiente tem chamado a atenção dos pesquisadores.  Uma dessas fontes que têm sido pesquisadas é o micaxisto. Saiba mais sobre esse insumo, suas vantagens e limitações.

O que é o micaxisto?

O micaxisto é o nome pelo qual um tipo de rochas metamórficas compostas é conhecido. De maneira geral, os micaxistos têm uma xistosidade acentuada. Esse elemento estrutural da rocha se caracteriza pela existência de planos paralelos, como se fossem folhas ou finas lâminas, resultantes da forte cristalização dos minerais que a constituem.

A composição dos micaxistos é, essencialmente, de quartzo e micas, que podem ser muscovitas ou biotitas. Além disso, a estrutura dos micaxistos pode conter também feldspatos e alguns compostos minerais como:

  • Granadas;
  • Estaurolita;
  • Silmanita;
  • Anfibólio.

A presença de compostos como a biotita faz com que os micaxistos tenham potássio com potencial de aplicação no solo. Esse nutriente faz parte do grupo dos chamados macronutrientes, juntamente com o nitrogênio e o fósforo. O potássio está envolvido em vários processos bioquímicos e metabólicos das plantas e está diretamente relacionado à qualidade do produto agrícola.

Entre esses processos, estão:

  • Fotossíntese;
  • Ativação enzimática;
  • Transporte de fotossintatos no floema;
  • Crescimento celular;
  • Síntese proteica;
  • Regulação do potencial hídrico das células;
  • Amenização de estresses bióticos e abióticos;

O potássio tem pouca disponibilidade nos solos brasileiros, como o estudo Aspectos relacionados ao mapeamento da disponibilidade de potássio nos solos do Brasil, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) destaca. Por isso, dada a sua importância no ciclo de vida vegetal, é preciso incluir o potássio no manejo nutricional agrícola.

Mas, quais são as vantagens do uso do micaxisto para fornecer potássio para o solo?

As vantagens e limitações do micaxisto na agricultura

Quando as rochas de micaxisto são processadas, elas se transformam num pó de rocha. Esse tipo de insumo é utilizado na técnica agrícola conhecida como rochagem. No Brasil, a rochagem passou a ser investigada mais intensamente a partir do final da década de 90.

Esquematização de como funciona a rochagem

Esquematização de como funciona a rochagem (Fonte: Eder Martins, Embrapa, 2002)

O pó de rocha utilizado na rochagem é considerado um remineralizador. Esse tipo de insumo apresenta, geralmente, quantidades menores de nutrientes que fontes convencionais, mas com disponibilização mais lenta.

A longo prazo, isso traz o benefício do efeito residual dos nutrientes no solo, mantendo o equilíbrio nutricional. No caso do micaxisto, estudos indicam que esse efeito residual pode durar até três anos, conforme ressalta o pesquisador Antônio Alexandre Bizão, no estudo Agronominerais silicáticos como fornecedores de potássio e outros nutrientes para soja e milheto em latossolo vermelho-amarelo.

Outra vantagem do uso do micaxisto é que ele é menos suscetível a problemas como a lixiviação, muito comum ao se utilizar fontes convencionais e mais solúveis. Esse fenômeno faz com que os nutrientes se percam para as camadas mais profundas do solo, prejudicando o aproveitamento daquilo que é aplicado na lavoura.

Entretanto, o micaxisto também tem algumas limitações do seu uso como fertilizante. A principal limitação do uso do micaxisto como fertilizante é que, de maneira geral, ele tem baixas concentrações de potássio.

Além disso, quando o solo tem bastante deficiência de potássio e as plantas precisam do nutriente disponibilidade com mais rapidez, a liberação mais lenta pode ser uma limitação do micaxisto.

Contribuição do micaxisto para adubação e alternativas ao seu uso.

Em resumo, o uso do micaxisto na agricultura pode trazer benefícios, como o fornecimento de potássio com liberação gradual e efeito residual no solo. Entretanto, devido às suas limitações, o agricultor deve ficar atento aos níveis do nutriente no solo.

Uma saída seria usar o micaxisto como complemento da adubação, quando os níveis de potássio do solo já estão estabilizados. Assim, o micaxisto pode manter os níveis potássicos no solo.

O correto é: Existem também outras fontes com uma relação custo-benefício melhor, como o Siltito Glauconítico, que consegue nutrir adequadamente a lavoura com potássio e não sofre das limitações das fontes convencionais – além de preservar os microrganimos e melhorar a qualidade do solo graças às propriedades da glauconita.

Com o avanço das tecnologias e das pesquisas, o agricultor tem em suas mãos cada vez mais opções para nutrir a lavoura com potássio com mais eficiência. Assim, os alimentos produzidos têm mais qualidade e são mais nutritivos, melhorando a saúde das pessoas e a do Planeta.