Como A Qualidade Do Café É Influenciada Pelas Doses De Potássio?

Como a qualidade do café é influenciada pelas doses de potássio?

Ter uma boa qualidade do café é algo que os cafeicultores almejam, já que melhores parâmetros agregam valor ao produto e se convertem em mais rentabilidade da lavoura. Diversos fatores podem influenciar a qualidade do café, mas o manejo nutricional é um dos principais, especialmente o manejo do potássio. Descubra como a qualidade do café é influenciada pelas doses de potássio e até mesmo pelo tipo de fertilizante utilizado!

Qual a importância do potássio no café?

O potássio é um nutriente essencial para que as plantas cresçam e sejam produtivas, sendo considerado um macronutriente primário, juntamente com o nitrogênio e o fósforo.

Isso quer dizer que ele é requerido em grandes quantidades e exerce funções importantes no desenvolvimento vegetal. Embora cada cultura tenha suas particularidades, de maneira geral as funções do potássio nas plantas são:

  • Ativação enzimática;
  • Síntese proteica;
  • Fotossíntese;
  • Transporte de fotoassimilados no floema;
  • Crescimento celular;
  • Regulação do potencial hídrico das células;
  • Melhoria da qualidade de flores e frutos;
  • Amenização de estresses bióticos e abióticos.

Na cultura do café, o potássio é o segundo nutriente mais absorvido pelo cafeeiro, com uma intensificação dessa exigência durante a fase reprodutiva da planta.

 

O potássio exerce funções importantes no café.

Devido à sua função de translocar as substâncias produzidas pelas folhas através da fotossíntese, o potássio exerce um papel importante na formação e na qualidade dos grãos do café.

É o que notam Jose B. Matiello e Márcio L. Carvalho, no artigo Efeito da aplicação de nitrato de potássio sobre o rendimento de frutos de cafeeiros.

Nesse trabalho, os pesquisadores observaram que houve um aumento de até 13% no rendimento e no tamanho dos grãos de café das plantas que foram tratadas com aplicações foliares de nitrato de potássio.

O rendimento e o enchimento dos grãos são fatores que indicam uma melhor qualidade do café, logo, uma boa nutrição com potássio pode ajudar a melhorar esse parâmetro. Mas, existem mais relações do potássio e das doses desse nutriente aplicadas na lavoura com a qualidade do café?

A relação entre o potássio e a qualidade do café

Além de ter influência no rendimento e enchimento dos grãos, o potássio está ligado a alguns outros parâmetros que são relacionados à qualidade do café.

É o que mostra o estudo Qualidade dos grãos de café em função de doses de potássio, de autoria do Dr. Enilson de Barros Silva e outros pesquisadores. Nesse trabalho, eles identificaram que a adubação com potássio no café afetou:

  • A atividade enzimática da polifenoloxidase;
  • O índice de coloração;
  • A acidez titulável total;
  • Os açúcares totais.

Os dados obtidos pelos pesquisadores mostraram que o incremento das doses de potássio até um determinado ponto fez com que esses parâmetros tivessem resultados melhores.O Incremento Das Doses De Potássio Na Adubação Do Cafeeiro, Até Um Determinado Ponto, Melhorou Parâmetros Ligados À Qualidade Do Café (Fonte: Barros Et. Al, 2002)

O incremento das doses de potássio na adubação do cafeeiro, até um determinado ponto, melhorou parâmetros ligados à qualidade do café. (Fonte: BARROS et. al, 2002)

Como acontece com todos os nutrientes envolvidos nos processos de crescimento das plantas, o excesso de potássio acabou fazendo com que os parâmetros tivessem resultados menores. Por isso, é importante que seja utilizada a dose ideal de potássio no manejo para garantir a qualidade do café.

O Dr. Enilson de Barros e seus colegas, ao levarem em consideração fatores ligados aos locais em que foram feitos os experimentos, além dos escores de qualidade estimada, calcularam que:

“Com estes resultados, verifica-se que, para o cafeeiro, a dose de K2O, que permite a obtenção da qualidade máxima estimada dos grãos de café, é de 266 kg.ha-1 de K2O.”

Entretanto, é preciso que o agricultor conheça a sua lavoura, bem como os objetivos de produtividade na hora de fazer o planejamento do manejo nutricional, a fim de calcular a dose ideal para ser utilizada na sua lavoura.

Além disso, existe ainda outro fator que pode interferir na qualidade do café: o excesso de cloro.

Como o excesso de cloro prejudica a qualidade do café?

Na adubação potássica, um dos fertilizantes mais utilizados é o Cloreto de Potássio (KCl). Todavia, o KCl tem um grande problema: o seu alto teor de cloro, de aproximadamente 47%.

Além de causar problemas para as plantas e para o solo, como sintomas de toxidez nas plantas, compactação e aumento da salinidade do solo, o excesso de cloro pode prejudicar um parâmetro muito importante na avaliação da qualidade do café: a qualidade da bebida.

Isso acontece porque o excesso de cloro provoca a redução na atividade da enzima polifenoloxidase (PPO), como escreve o Dr. Enilson de Barros em outro de seus trabalhos, intitulado Qualidade de grãos de café beneficiados em resposta à adubação potássica.

A atividade da polifenoloxidase está significativamente relacionada com a qualidade da bebida do café, como notam a pesquisadora Hermínia Emília Prieto Martinez e seus colegas, no artigo Nutrição mineral do cafeeiro e qualidade da bebida.

Mas por que isso acontece? A explicação para a redução na atividade da PPO quando há excesso de cloro é a caracterização dessa enzima como uma enzima cúprica, ou seja, que contem cobre (Cu) em sua composição.

Na presença de altos teores de cloro (Cl), o excesso dos íons desse elemento leva à precipitação do íon Cl com o Cu2+, reduzindo assim a ativação da enzima.

Portanto, o uso excessivo de fertilizantes com altos níveis de cloro em sua composição, como é o caso do Cloreto de Potássio, pode prejudicar o potencial de qualidade da bebida do café, reduzindo assim a qualidade do café em geral.

Então, o que é preciso para colher um café de boa qualidade?

O que é preciso para colher um café de boa qualidade?

Para que o café produzido e colhido obtenha altos padrões de qualidade, o agricultor precisa estar atento ao manejo nutricional como um todo. Isso inclui o manejo do potássio, uma vez que esse nutriente tem funções que estão intimamente ligadas à qualidade do café.

Esse manejo precisa levar em consideração o conhecimento da lavoura, entendendo fatores como o tipo de solo, a produção esperada e a qualidade que se espera obter, para ajudar a determinar a dose ideal de potássio a ser utilizada.

Além disso, o uso de fertilizantes potássicos que sejam livres de cloro, como é o caso do K Forte® também é algo que contribui para a obtenção da máxima qualidade do café, uma vez que o excesso desse elemento pode prejudicar não só a produtividade como a qualidade do café!

 

Compartilhe esta publicação