Entenda quais são as vantagens dos fertilizantes de liberação progressiva

Entenda quais são as vantagens dos fertilizantes de liberação progressiva

O uso de fertilizantes na agricultura é muito importante, já que esses produtos repõem os nutrientes que as plantas retiram do solo durante o processo de crescimento. Fertilizantes de liberação imediata são adequados em certos contextos, mas você sabe quais são as vantagens do uso de fertilizantes de liberação progressiva na agricultura?

O que são fertilizantes de liberação progressiva?

O crescimento das necessidades de produção e a industrialização da agricultura tornou a implementação de fertilizantes algo essencial nas práticas de manejo do solo. Em geral, quando se pensa nesses insumos, imagina-se que quanto mais rápido eles disponibilizem os nutrientes para o solo e para as plantas melhor é.

Não é difícil imaginar o porquê desse tipo de pensamento: quando precisamos tomar um remédio, por exemplo, quanto mais rápido ele libera seus componentes em nosso organismo, mais rápido ele nos faz sentir melhor. Entretanto, na agricultura isso é um pouco diferente.

Os fertilizantes convencionais, como o Cloreto de Potássio (KCl), disponibilizam muito rapidamente os seus nutrientes para as plantas. A curto prazo e em condições de extrema necessidade, quando, por exemplo, o solo apresenta baixos teores desse ou daquele nutriente, isso é uma vantagem.

Apesar disso, recentemente, os fertilizantes de liberação progressiva têm ganhado espaço nas pesquisas e no mercado agrícola. Mas, o que são exatamente esses fertilizantes de liberação progressiva?

Como o próprio nome sugere, esse tipo de fertilizante possui uma taxa gradual de disponibilização dos nutrientes para o solo e para as plantas. Isso faz com que o tempo em que o solo recebe os nutrientes se estenda. Esse tempo pode variar de acordo com a matéria-prima utilizada na fabricação, condições climáticas e do solo.

Em alguns casos, é utilizada uma técnica na fabricação que reveste a matéria-prima principal com materiais, que podem ser orgânicos ou inorgânicos, que controlam a liberação dos nutrientes através da regulação de parâmetros como a umidade que entra em contato com a matéria-prima principal.

O revestimento ou encapsulamento dos fertilizantes é feito com materiais orgânicos ou inorgânicos que tenham a capacidade de controlar a liberação do nutriente. (Fonte: SILVA, S. T. F. – 2019)

O revestimento ou encapsulamento dos fertilizantes é feito com materiais orgânicos ou inorgânicos que tenham a capacidade de controlar a liberação do nutriente. (Fonte: SILVA, S. T. F. – 2019)

Mas, quais são as vantagens de se utilizar fertilizantes de liberação progressiva no manejo agrícola?

Fertilizantes de liberação progressiva são menos suscetíveis à lixiviação

Um dos problemas associados às fontes de liberação muito rápida é que elas são mais suscetíveis à lixiviação. Esse fenômeno acontece quando os nutrientes são carregados para as camadas mais profundas do solo, fora do alcance das raízes das plantas.

Quando ocorre a lixiviação, parte dos nutrientes que são aplicados acaba se perdendo. No livro Fertilizantes de eficiência aprimorada, os pesquisadores Márcio Valderrama e Salatiér Buzetti estimam que 40% a 70% dos fertilizantes usados no manejo agrícola podem se perder por lixiviação e  volatilização.

Isso acaba fazendo com que as plantas não sejam nutridas de maneira adequada, uma vez que o que elas retiram do solo não é reposto totalmente. Para o agricultor, isso resulta em uma relação custo-benefício menos vantajosa.

Já as fontes de liberação progressiva estão menos sujeitas à lixiviação. Isso faz com que o aproveitamento dos nutrientes que são aplicados no solo seja mais eficiente. Além disso, como os nutrientes ficam no solo por mais tempo, as necessidades de reaplicação do fertilizante diminuem.

A consequência disso é que o manejo nutricional da lavoura é otimizado, reduzindo as necessidades de reentrada na lavoura. Além disso, outro aspecto positivo que liberação progressiva dos nutrientes proporciona é o efeito residual dos nutrientes no solo.

As vantagens do efeito residual dos nutrientes

O efeito residual de um fertilizante é, em síntese, o prolongamento dos benefícios que ele pode oferecer para o solo e para as plantas. Nas fontes convencionais, por causa das perdas por processos como a lixiviação e a volatilização, os níveis dos nutrientes no solo não se mantêm adequados por muito tempo.

Já com as fontes de liberação progressiva, como as perdas por causa desses processos são reduzidas e a disponibilização acontece ao longo de um tempo maior, os níveis de nutrientes no solo ficam estáveis por mais tempo.

Isso é particularmente positivo em sistemas de cultivo em sucessão, como os que são utilizados em lavouras de soja e milho, por exemplo. Por causa do efeito residual das fontes de liberação progressiva, o agricultor reduz o número de adubações antes da próxima cultura.

Mas em culturas perenes, como o café, o efeito residual também ajuda a deixar o solo com bons níveis nutricionais por períodos mais longos, fazendo com que haja economia no número de reaplicações e com custos operacionais.

A glauconita, presente em matérias-primas como o Siltito Glauconítico, é um exemplo de fonte nutricional agrícola que apresenta um efeito residual. Utilizada nos Estados Unidos desde 1760 como fonte de potássio, a estrutura da glauconita permite que os nutrientes, como o potássio, fiquem adsorvidos nela.

Isso acontece tanto graças às camadas que compõem a glauconita, quanto às suas cargas iônicas negativas, que atraem os nutrientes, que se encontram geralmente carregados positivamente na natureza.

A estrutura física e química da glauconita mantém o potássio por mais tempo no solo

A estrutura física e química da glauconita mantém o potássio por mais tempo no solo

No artigo An investigation of plant growth by the addition of glauconitic fertilizer, o Dr. Maxim Rudmin e outros pesquisadores da Tomsk Polytechnic University, na Rússia, falam sobre o efeito residual da glauconita:

“Isso significa que, após a colheita, a glauconita continuará tendo um efeito positivo nos rendimentos durante as próximas duas ou três estações.”

Outras fontes, como o enxofre elementar micronizado, fonte de enxofre, e a ulexita, fonte de boro, também trazem a liberação progressiva e um efeito residual dos nutrientes para a lavoura.

O uso de fertilizantes de liberação progressiva ajuda a construir a fertilidade do solo

As fontes de liberação progressiva trazem benefícios não somente econômicos, mas também ambientais, já que torna possível reduzir os impactos causados pela lixiviação e volatilização dos elementos quando comparado com as fontes convencionais de adubação.

Embora fontes de liberação imediata sejam importantes em certos contextos, em que há necessidade momentânea de repor nutrientes em um solo, quando a carência imediata é suprida, o agricultor pode construir a fertilidade do solo com o uso das fontes de liberação progressiva.