Agricultor De Ibiúna - Sp Conta Como O K Forte® Otimizou O Manejo Agrícola

Agricultor de Ibiúna – SP conta como o K Forte® otimizou o manejo agrícola

Ezequiel Rodrigues é agricultor, produtor de hortaliças no município de Ibiúnia, em São Paulo. Para melhorar a produtividade da lavoura, ele começou a investir em manejos agrícolas diferentes, como a produção e aplicação do bokashi, um tipo de adubo orgânico. Foi assim que ele conheceu o K Forte®, fertilizante multinutriente da Verde. Saiba quais foram as melhorias que o K Forte® trouxe para o manejo da lavoura de Ezequiel Rodrigues!

Em busca de um fertilizante para melhorar o manejo agrícola

Atuando como Gerente agrícola da Solo Vivo, empresa que trabalha exclusivamente com a produção orgânica de hortaliças, Ezequiel Rodrigues estava em busca de melhorar a produtividade da lavoura.

Ezequiel conta que, por muito tempo, utilizou o manejo tradicional da região, que é a adubação com cama de frango. Entretanto, isso já não estava trazendo os resultados esperados.

Foi então que ele resolveu investir no bokashi, um tipo de adubo orgânico feito a partir da fermentação de matéria orgânica e outros insumos para otimizar a eficiência. Por volta de 2018, ele passou a utilizar o K Forte® no processo de fabricação do bokashi:

“A gente precisava de uma fonte mais natural, de alguma coisa que tivesse uma ação mais natural no solo. Foi daí que teve essa orientação do Celso pra gente usar o K Forte®, incluir no nosso processo de fabricação do bokashi.”

Mas, quais foram os resultados que o uso K Forte® trouxe para o manejo da lavoura de Ezequiel Rodrigues?

K Forte®: um fertilizante potássico eficiente e que traz bons resultados

Após um período inicial de testes e análises, Ezequiel conta que o fertilizante multinutriente da Verde ajudou a estabilizar o processo de fabricação do bokashi.

Segundo o agricultor, a fonte anterior de potássio utilizada era o sulfato de potássio. Entretanto, o sulfato de potássio é um fertilizante de alta solubilidade. Isso faz com que ele tenha uma liberação rápida dos nutrientes, mas também seja mais suscetível a perdas por lixiviação.

E, no caso de processos como a fabricação de adubos orgânicos como o bokashi, o sulfato de potássio tem outra desvantagem: o seu índice salino elevado, de 46%.

Uma alta salinidade é prejudicial aos microrganismos que participam da decomposição da matéria orgânica e são essenciais para que a fermentação dos materiais de origem animal e vegetal utilizados na produção do bokashi aconteça.

Além disso, Ezequiel Rodrigues conta que o uso do K Forte® permitiu que o resultado final da fabricação do bokashi apresentasse um produto bem mais estabilizado:

“Eu utilizo e recomendo! O K Forte® entrou como uma opção interessante pra gente. É uma forma mais natural de trabalhar, mas é importante ressaltar que pra agricultura orgânica do formato que a gente trabalha, é importante trabalhar também essa forma de compostagem, de fazer um bokashi, de levar esse produto estabilizado para o solo já. Então, ele um ótimo produto, é um produto que tem resultado.”

Além disso, a liberação gradual dos nutrientes do K Forte® contribui para a construção da fertilidade do solo a longo prazo, já que existe um efeito residual duradouro, que estabiliza os níveis de nutrientes do solo. Isso faz com que as plantas tenham acesso aos nutrientes quando precisarem durante o ciclo produtivo.

Mas o K Forte® tem ainda outras vantagens quando utilizado em processos de compostagem. Quais são elas?

O K Forte® é um fertilizante com vantagens para o uso na compostagem

O K Forte® é um fertilizante multinutriente, fonte de potássio, silício, magnésio e manganês. Mas, além disso, ele é um fertilizante livre de cloro, graças à sua matéria-prima, o Siltito Glauconítico.

O cloro, embora seja um micronutriente importante para as plantas, é requerido em pequenas quantidades, que normalmente o próprio solo já oferece.

Por isso, o uso de fertilizantes com excesso de cloro aumenta os níveis desse elemento no solo e nas plantas, trazendo consequências como a compactação e o aumento da salinidade do solo e sintomas de fitotoxicidade nas plantas.

Entretanto, outra desvantagem do cloro é que ele tem um efeito altamente biocida. Para se ter uma ideia, a aplicação de 200kg de Cloreto de Potássio (KCl), um fertilizante que tem aproximadamente 47% de cloro, equivale a despejar 1600 litros de água sanitária no solo.

É o que descreve a pesquisadora Heide Hermary, no artigo Effects of some synthetic fertilizers on the soil ecosystem.Mesmo A Aplicação De Uma Quantidade Pequena De Cloreto De Potássio No Solo, Como 50Kg Ainda Equivale A Despejar 400 Litros De Água Sanitária, Causando Danos À Microbiota

Mesmo a aplicação de uma quantidade pequena de Cloreto de Potássio no solo, como 50Kg ainda equivale a despejar 400 litros de água sanitária, causando danos à microbiota.

Além disso, o Cloreto de Potássio, de forma semelhante ao sulfato de potássio, tem um alto índice de salinidade, de 116%.

Assim, o K Forte® sendo livre de cloro e com um índice de salinidade ínfimo é ideal para os processos de compostagem, já que isso beneficia a microbiota do solo tão importante nessa técnica.

Ezequiel Rodrigues ainda chama a atenção para um outro fator positivo do fertilizante multinutriente da Verde: o custo. O agricultor destaca que, em comparação com a antiga fonte de potássio que ele utilizava na fabricação do bokashi, o K Forte® é mais acessível:

“Além da qualidade do produto e do resultado em campo, o fator custo também ajuda muito. Comparado a outra fonte de potássio, o sulfato de potássio, que nós utilizávamos, o K Forte® também tem um preço bem mais acessível.”

Veja o depoimento completo de Ezequiel Rodrigues:

 

O uso do K Forte® otimizou o manejo agrícola

A experiência de Ezequiel Rodrigues mostra que o  K Forte® é um fertilizante eficiente na otimização do manejo agrícola, incluindo os que utilizam técnicas de compostagem, como a fabricação do bokashi.

Graças à sua matéria-prima, o Siltito Glauconítico, o K Forte® é uma fonte de potássio livre de cloro. Assim, o fertilizante multinutriente da Verde não traz os malefícios que o excesso desse elemento provoca nas plantas e no solo.

O K Forte® também é um fertilizante de liberação gradual. O efeito residual duradouro desses fertilizantes traz benefícios como ser menos suscetível à lixiviação e a construção da fertilidade do solo.

Além disso, o K Forte® é aprovado para o uso na agricultura orgânica e os nutrientes presentes nele, como silício, o magnésio e o manganês, ajudam ainda a tornar o manejo nutricional da lavoura mais completo, otimizando o custo-benefício do produtor!

Agricultor De Ibiúna - Sp Conta Como O K Forte® Otimizou O Manejo Agrícola - Kforte Bannerblog 2

Compartilhe esta publicação