Conheça A Bio Revolution, Tecnologia Revolucionária Que Permite Aditivar Fertilizantes Minerais Com Microrganismos

Conheça a Bio Revolution, tecnologia revolucionária que permite aditivar fertilizantes minerais com microrganismos

Um dos desafios da utilização dos microrganismos na agricultura é a sua adição nas lavouras: como se trata de organismos vivos, existe uma série de condições que precisam ser atendidas para que haja sucesso nessa prática. Durante anos, a Verde Agritech estudou um meio de superar essas dificuldades e ajudar a agricultura a se desenvolver de uma maneira mais sustentável e inovadora. Assim surgiu a tecnologia Bio Revolution.

Para falar sobre essa inovadora tecnologia, participaram do evento de lançamento o Ex-Ministro da Agricultura e Pai da Agricultura Tropical, Dr. Alysson Paolinelli; o Mestre em Fisiologia e Bioquímica de Plantas pela Michigan State University (EUA) e fundador do Instituto de Agricultura Biológica, José Luiz Garcia; e o Agricultor de Mangueirinha/PR e vencedor do 12º Desafio Nacional de Produtividade do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Laercio Dalla Vecchia.

Estiveram presentes também nove PhD, que explicaram sobre a Bio Revolution e o Bacillus aryabhattai. O evento foi promovido pela Verde Agritech, empresa que produz os fertilizantes BAKS®, K Forte®, K Forte Boro e Silício Forte, no dia 14 de junho de 2022.

Você pode conferir a conversa, mediada por Cristiano Veloso, na íntegra pelo link:

 

O que é a tecnologia Bio Revolution e quais os processos de controle de qualidade da Verde Agritech?

Os microrganismos são uma parte essencial e numerosa do ecossistema: estima-se que, em apenas 1 colher de chá de solo, possam existir mais de 50 bilhões de microrganismos. Além disso, cerca de 97% deles são benéficos.

O avanço das pesquisas científicas ajudou a compreender o potencial benéfico desse exército microscópico e a Verde Agritech buscou durante anos uma forma de levar isso ao agricultor de uma maneira inovadora.

Desses esforços, surgiu a tecnologia Bio Revolution, que, incialmente, utiliza o consagrado Bacillus aryabhattai para aditivar o K Forte®. Essa tecnologia foi desenvolvida em parceria com pesquisadores das Universidades Federais de Minas Gerais (UFMG), do Mato Grosso (UFMT) e de São Carlos (UFSCAR).

Vale ressaltar que a Bio Revolution é a primeira tecnologia no mundo que permite aditivar fertilizantes com microrganismos, com uma grande estabilidade.

O que permitiu que essa inovadora tecnologia fosse desenvolvida foram as propriedades físico-químicas dos fertilizantes que são produzidos pela Verde Agritech, a partir de uma matéria-prima nacional rica em glauconita.

Graças a isso e aos processos de produção utilizados pela Verde Agritech, pôde-se chegar a um fertilizante com porosidade e uma área de superfície ideais para a manutenção das colônias bacterianas no fertilizante.

É o que explica a PhD em Geologia Econômica e Aplicada pela UFMG, Dra. Débora Silvano Moreira:

“A tecnologia inovadora de produção faz com que o produto possua uma estrutura, geometria, distribuição e tamanho de poros bem definido e em grande quantidade. Isso vai resultar num fertilizante com uma elevada área de superfície específica. As características físicas e químicas que são únicas, como capacidade de retenção de água, elevada porosidade e ampla área de superfície específica fazem com que o produto possua uma excelente interação com microrganismos, permitindo a adesão e a formação de biofilmes.As Características Físico-Químicas E O Processo De Produção Da Verde Agritech Favorecem A Colonização Da Matéria-Prima Dos Fertilizantes Dela Pelos Microrganismos

As características físico-químicas e o processo de produção da Verde Agritech favorecem a colonização da matéria-prima dos fertilizantes dela pelos microrganismos. (Fontes: Cuadros, 2017; David et al., 2020; Fomina e Skorochod, 2020; Lünsdorf et al., 2000; Stojkovič e Žnidaršič-Plazl, 2020)

Os biofilmes são estruturas tridimensionais de substâncias poliméricas extracelulares que contém colônias de microrganismos. E, quanto maior a área superficial, melhor o crescimento desses biofilmes.

Ainda de acordo com a Dra. Débora Moreira, existem estudos que correlacionam a elevada porosidade com a adesão dos microrganismos.

São estudos como o artigo Clay minerals interaction with microorganisms: A review, de Javier Cuadros; e a pesquisa Cultivation of Productive Biofilms in Flow Reactors and Their Characterization by CLSM, de Christian David e outros pesquisadores.

Além disso, a estrutura física em formato de “castelo de cartas” da matéria-prima dos fertilizantes da Verde Agritech é benéfica, uma vez que protege os microrganismos de condições danosas, como a radiação ultra-violeta.

“A tecnologia Bio Revolution forma uma condição ideal e particular. Ela cria um microambiente específico que permite a retenção de microrganismos e proporciona uma proteção contra condições físico-químicas desfavoráveis”, complementa a Dra. Débora Moreira.

A inovação trazida pela Bio Revolution traz um novo caminho para a agricultura. É o que avalia o Mestre em Fisiologia e Bioquímica de Plantas pela Michigan State University (EUA) e fundador do Instituto de Agricultura Biológica, José Luiz Garcia:

“Eu vejo (a tecnologia Bio Revolution) como uma revolução. Essa revolução vai nos permitir utilizar o K Forte® como um veículo do Bacillus aryabhattai: isso vai trazer uma revolução que é um prenúncio de uma terceira revolução na agricultura, que é a revolução da física. A física é a próxima disciplina que vai ser implementada na agricultura: já tivemos a química, agora temos a biologia e agora vamos ter a física.”

Para garantir a qualidade dos fertilizantes produzidos com a Bio Revolution, a Verde Agritech realizou testes de prateleira do Bacillus aryabhattai para atingir a concentração de bactérias garantidas no nosso produto.O Bacillus Aryabhattai Passou Por Testes Para Garantir A Qualidade Do Produto Da Verde Agritech

O Bacillus aryabhattai passou por testes para garantir a qualidade do produto da Verde Agritech.

Já o controle de qualidade é feito seguindo a metodologia aprovada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, detalhada no Manual de produção e controle de qualidade de produtos biológicos à base de bactérias do gênero Bacillus para uso na agricultura.

“Além disso, a Verde Agritech é certificada pela ISO 9001 e ISO 14001, que garantem não só a melhor gestão de qualidade dos processos de produção como também uma conduta ambientalmente correta pela empresa”, destaca Júlia Antunes Tavares Ribeiro, Mestre em Biotecnologia pela Universidade Federal de São João Del Rei.

Como já destacado, o Bacillus aryabhattai foi escolhido como o primeiro microrganismo para aditivar os fertilizantes da Verde Agritech. Mas, qual o motivo dessa escolha?

O Bacillus aryabhattai e seus benefícios para a agricultura

O Bacillus aryabhattai é uma espécie de rizobactéria gram positiva, em formato de bastonete e que foi isolada e identificado pela primeira vez em 2009.

Tal descoberta foi atribuída a S. Shibavi e outros pesquisadores, autores do artigo Janibacter hoylei sp. nov., Bacillus isronensis sp. nov. and Bacillus aryabhattai sp. nov., isolated from cryotubes used for collecting air from the upper atmosphere.

Os benefícios do Bacillus aryabhattai para as plantas são diversos e têm chamado a atenção dos pesquisadores pela sua versatilidade e capacidade de melhorar o manejo agrícola.

Os PhD que participaram do evento de apresentação do Bio Revolution destacaram alguns desses benefícios, trazendo um embasamento científico a respeito dessa rizobactéria e seu papel na agricultura:

1) Aumento da resistência a estresses abióticos

Através de ações como a produção de fitohormônios, sideróforos e a criação de biofilmes que mantêm as raízes das plantas hidratadas, o Bacillus aryabhattai pode ajudar a induzir o aumento da resistência aos estresses abióticos.

Entre esses estresses, podemos citar condições de estresse hídrico, o estresse oxidativo e a salinidade. As substâncias que o Bacillus ayabhattai produz ajudam as plantas a ativarem mecanismos de defesa contra condições que podem ser prejudiciais, a exemplo da regulação do fechamento dos estômatos.

Entre os estudos que comprovam essa ação, podemos mencionar:

  • Screening of Brazilian cacti rhizobacteria for plant growth promotion under drought, escrito por Vanessa Nessner Kavamura e outros pesquisadores;
  • Screening of siderophore-producing salt-tolerant rhizobacteria suitable forsupporting plant growth in saline soils with iron limitation, escrito por Shahnaz Sultana e Muhammad Manjurul Karim;
  • Bacillus aryabhattai SRB02 tolerates oxidative and nitrosative stress and promotes the growth of soybean by modulating the production of phytohormones, escrito por Yeon-Gyeong Park e outros pesquisadores.

2) Melhoria da resistência a pragas e doenças

O Bacillus ayabhattai é eficaz na colonização das raízes das plantas, o que dá a ele vantagens sobre patógenos que podem ser nocivos, como fungos e nematoides, entre outros. Assim, ele impede que esses agentes prejudiquem as plantas.

Além disso, o Bacillus aryabhattai também produz uma série de substâncias que estimulam as defesas naturais das plantas, como enzimas e proteínas, compostos orgânicos voláteis e metabólitos secundários, entre outros.

Entre os artigos que mostram essa ação, podemos citar:

  • On the potential of Bacillus aryabhattai KMT-4 against Meloidogyne javanica, escrito por Sonam Antil e outros pesquisadores;
  • Evaluation ofcBacilluscary abhattai Sneb 517 for control of Heterodera glycines in soybean, escrito por Jing Zhao e outros pesquisadores;
  • Enhanced Tolerance of Chinese Cabbage Seedlings Mediated by Bacillus aryabhattai H26-2 and B. siamensis H30-3 against High Temperature Stress and Fungal Infections, escrito por Young Hee Lee e outros pesquisadores.

3) Promoção do crescimento das plantas e disponibilização de macro e micronutrientes

A ação do Bacillus ayabhattai também ajuda na promoção do crescimento das plantas, através da produção dos fitohormônios que atuam no metabolismo vegetal, estimulam as defesas naturais e induzem a resistência às defesas contra patógenos.

Além disso, essa rizobactéria também ajuda a disponibilizar macro e micronutrientes que são muito relevantes para o desenvolvimento das plantas, a exemplo do fósforo e do zinco.

Entre os estudos que avaliaram essa ação do Bacillus aryabhattai, pode-se mencionar:

  • Phosphate-Solubilizing Microorganisms: Mechanism and Their Role in Phosphate Solubilization and Uptake, de autoria de Pratibha Rawat e outros pesquisadores;
  • Isolation of Phosphate Solubilizing Bacteria from Maize Rhizosphere and Their Potential for Rock Phosphate Solubilization–Mineralization and Plant Growth Promotion, escrito por M. Manzoor e outros pesquisadores;
  • Inoculation of zinc solubilizing Bacillus aryabhattai strains for improved growth, mobilization and biofortification of zinc in soybean and wheat cultivated in Vertisols of central India, de Aketi Ramesh e outros pesquisadores.

4) Uso na biorremediação de poluentes

Outro benefício muito vantajoso do Bacillus aryabhattai é a sua capacidade de ação biorremediadora. A biorremediação é uma técnica que utiliza agentes biológicos para eliminar ou remover substâncias contaminantes do agroecossistema.

Estudos mostram que o Bacillus ayrabhattai é eficaz na eliminação de resíduos do glifosato, um herbicida amplamente utilizado no Brasil, mas que pode ter impactos na saúde humana. Entre essas pesquisas, podemos citar:

  • Glyphosate Bioremediation through the Sarcosine Oxidase Pathway Mediated by Lysinibacillus sphaericus in Soils Cultivated with Potatoes, de Mario Pérez Rodríguez e outros pesquisadores;
  • Bacillus aryabhattai FACU: A promising bacterial strain capable of manipulate the glyphosate herbicide residues, escito por Nagwa I. Elarabi e outros pesquisadores.

Visto os amplos benefícios do Bacillus aryabhattai, qual é a importância de se ter uma tecnologia como a Bio Revolution para a agricultura?

A importância da tecnologia Bio Revolution para a agricultura

A agricultura do Brasil é uma das maiores potências do mundo nesse setor. Isso coloca o país em uma posição de destaque na produção de alimentos, o que é uma importante demanda atual.

O que ajudou a fazer com que o Brasil chegasse a esse patamar foi a implementação da chamada Agricultura Tropical, que é a valorização dos solos e climas tropicias para a agricultura.

Uma das maiores personalidades da agricultura brasileira, o Dr. Alysson Paolinelli é conhecido como o Pai da Agricultura Tropical e faz parte da diretoria da Verde Agritech.

Ele destacou as vantagens da biologia fértil dos países tropicais para os processos agrícolas e também falou sobre como a Bio Revolution é um passo importante para otimizar essa caraterística:

“A nossa biologia tem de ser trabalhada urgentemente. Estou lutando por isso, não pode ser só o governo. A iniciativa privada no Brasil está apresentando resultados muito eficientes, competentes e que estão dando a dianteira nesse processo. Os outros países estão vindo aqui muitas vezes para conhecer as inovações que nós estamos fazendo nessa área e estão voltando absolutamente convencidos de que vão ter um concorrente novo, com nova tecnologia e novo conhecimento. E isso vai ser muito importante para o produtor do futuro!”

Laercio Dalla Vecchia, campeão nacional de produtividade de soja do Cesb, se disse muito entusiasmado com a valorização da biodiversidade do solo e ressaltou a necessidade do agricultor de enriquecer esse agroecossistema com os microrganismos.

Ele ainda elogiou as características do K Forte®, fertilizante multinutriente da Verde Agritech que irá utilizar a tecnologia Bio Revolution, ao destacar que ele é livre de cloro e com baixo teor salino.

Além disso, o K Forte® também pode ser aplicado com antecedência na lavoura, uma vez que é de liberação gradual e livre de lixiviação. Isso faz com que o processo seja otimizado e que haja tempo para que os microrganismos possam se multiplicar de forma eficiente no solo.

Para entender mais sobre a tecnologia Bio Revolution e os benefícios do Bacillus aryabhattai para as plantas, confira o vídeo do evento na íntegra!

Compartilhe esta publicação