Adubo Para Milho: Por Que O Seu Uso Melhora A Lavoura?

Adubo para milho: por que o seu uso melhora a lavoura? 

Atualizado em::

Você sabia que cada nutriente desempenha funções que contribuem para a melhor produtividade, qualidade e sanidade das lavouras de milho? Entenda porque o uso de adubo para milho melhora a lavoura e o que precisa você considerar para escolher o melhor deles! 

A importância da adubação do milho na agricultura

O milho é considerado uma cultura altamente responsiva à melhoria do nível da fertilidade do solo, apresentando um alto potencial de rendimento quando existe uma disponibilidade adequada de nutrientes no solo. 

Por isso, o uso de adubo para milho e sua aplicação adequada no solo pode proporcionar diversos benefícios para melhor produtividade das lavouras e qualidade dos grãos.  

Um dos principais benefícios do uso de adubo para milho é a adição de nutrientes essenciais às plantas. O milho é uma planta exigente em nutrientes, e essa exigência só têm aumentado com o lançamento de cultivares e híbridos cada vez mais produtivos. 

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a extração de nutrientes pelo milho, como o potássio e o magnésio, aumenta linearmente com o incremento na produtividade da cultura. 

E isso acontece porque muitos desses nutrientes desempenham funções que são capazes de afetar diretamente ou indiretamente esse parâmetro. 

O nitrogênio, por exemplo, é um nutriente-chave para o crescimento vegetativo da planta e é essencial para a produção de clorofila, um pigmento chave do processo de fotossíntese. 

Já o potássio é nutriente que está intimamente ligado com produção de grãos e de matéria seca do milho, por desempenhar funções ligadas ao crescimento celular e ao transporte de fotoassimilados pela planta.

Mesmo micronutrientes, como o boro por exemplo, também pode contribuir para a  maior produtividade da cultura , ao promover o incremento do número de grãos por fileira da espiga e o melhor enraizamento das plantas. 

Além dos benefícios da aplicação de adubo no milho para o incremento da produtividade das lavouras, a adubação também pode ajudar as plantas a resistir a condições desfavoráveis que impactariam negativamente no seu desenvolvimento, como as condições climáticas adversas e o ataque de pragas e doenças. 

Adubos ricos em potássio, por exemplo, podem ajudar a melhorar a eficiência de uso da água das plantas, o que contribui para mitigação dos danos causados pelo estresse hídrico e térmico nas lavouras de milho durante os períodos de seca. 

Já no caso do aumento da resistência do milho ao ataque de pragas e doenças, alguns nutrientes e elementos benéficos encontrados no adubo para milho são capazes de promover esse benefício nas lavouras.

Esse é o caso dos adubos ricos em silício, que além de contribuírem para o aumento da produtividade do milho, conseguem promover a formação de uma espécie de barreira física que consegue danificar o aparelho bucal de alguns insetos-praga, como lagartas. 

No estudo Efeito da aplicação de silício em plantas de milho no desenvolvimento biológico da lagarta-do-cartucho Spodoptera frugiperda (J.E.Smith) (Lepidoptera: noctuidae), Marcio M. Goussain e outros pesquisadores verificaram que o desgaste mandibular nas lagartas-do-cartucho presentes em plantas de milho tratadas com silício resultou em: 

  • Uma mortalidade duas vezes maior dos insetos; 
  • Um índice de canibalismo oito vezes maior entre as lagartas-do-cartucho. 

Sendo assim, podemos perceber que cada tipo de nutriente presente no adubo para milho nutriente acaba tendo uma contribuição significativa para produtividade e qualidade da cultura, assim como na resistência dela a estresses bióticos e abióticos. 

Qual é o melhor adubo para o milho?

Como o uso de adubo para milho é fundamental para garantir o crescimento saudável do milho e para obter uma boa colheita, é importante que o agricultor sempre faça o uso de boas práticas para garantir uma adubação eficientes das suas lavouras. 

Apesar de existirem vários tipos de adubos disponíveis no mercado, cada um com suas próprias vantagens e limitações, o agricultor pode levar em consideração alguns fatores do seu sistema de produção para escolher o melhor adubo para o milho. 

Normalmente, quando o milho está inserido em sistemas de cultivo que envolvem outras culturas, como os sistemas de rotação e de sucessão de culturas, o agricultor precisa considerar não apenas a exigência nutricional do milho, mas como também das demais plantas, para obter resultados satisfatórios de cada safra. 

Entretanto, nem sempre garantir a boa disponibilidade de nutrientes para as plantas ao longo de um ano agrícola é uma tarefa fácil, já que grande parte dos fertilizantes mais utilizados na agricultura são de disponibilização rápida de nutrientes. 

Uma das formas melhorar a sincronia entre a liberação de nutrientes pelos fertilizantes e a necessidade nutricional das culturas é através da utilização de fertilizantes de liberação progressiva de nutrientes e o longo efeito residual, como o BAKS® e o K Forte®. 

Fertilizantes com essas características conseguem melhorar a estabilidade dos teores de nutrientes no solo por períodos mais prolongados, porque eles são menos suscetíveis aos processos naturais de perdas de nutrientes no solo, como a lixiviação. 

Dorvalino Foscarini, agricultor de Uberaba/MG que cultiva milho e soja, substituiu o KCl pelo K Forte® pois estava insatisfeito com a lixiviação do potássio importado.

Entretanto, para utilizá-los da forma correta e na dosagem adequada, é importante que o agricultor sempre realize corretamente todas as etapas para recomendação dos adubos para milho. Dentre elas, podemos destacar: 

Assim, ao realizar esses passos, o agricultor proporcionando condições que irão potencializar a nutrição da lavoura com o uso do adubo para milho mais adequado. 

A adubação do milho deve considerar as características do sistema de produção e dos fertilizantes

Em conclusão, podemos perceber que o uso de adubo no milho pode trazer muitos benefícios para as lavouras, uma vez que cada nutriente é capaz de contribuir com diferentes funções que promovem a melhor produtividade, qualidade e sanidade das plantas. 

Mas, para que esses nutrientes estejam disponíveis em quantidades adequadas para as plantas durante o seu ciclo produtivo, é preciso que o agricultor leve em consideração as características do seu sistema de produção e dos fertilizantes aplicados, para que ele consiga definir o adubo para milho que mais vai atender as necessidades da sua propriedade! 

Compartilhe esta publicação